Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/387
Tipo: Tese
Título: Capacidade funcional e autonomia de idosos com síndrome metabólica na Estratégia Saúde da Família de Viçosa/MG
Título(s) alternativo(s): Functional capacity and autonomy in the elderly with metabolic syndrome in the Family Health Strategy of Viçosa/MG
Autor(es): Martinho, Karina Oliveira
Primeiro Orientador: Tinôco, Adelson Luiz Araújo
Primeiro coorientador: Longo, Giana Zarbato
Segundo coorientador: Ribeiro, Andréia Queiroz
Primeiro avaliador: Guimarães, Andrea Carmen
Segundo avaliador: Pereira, Eveline Torres
Abstract: A rápida mudança do perfil demográfico e epidemiológico brasileiro suscita a necessidade de estudos sobre a saúde da população idosa. Projeções indicam um crescimento epidêmico da síndrome metabólica, principalmente nos idosos. Associado a isso, presenciamos a diminuição da independência e autonomia funcional dos idosos. Diante disso, este trabalho objetivou verificar a prevalência da independência e da autonomia funcional dos idosos portadores da síndrome metabólica, e seus fatores associados. Para tal, foi realizado um estudo epidemiológico de corte transversal, com amostragem probabilística, realizado com 402 idosos, ambos os sexos, com idade maior ou igual a 60 anos, atendidos na Estratégia Saúde da Família de Viçosa/MG, Brasil. Foi aplicado um questionário socioeconômico, o questionário Mini-Mental para avaliar o estado cognitivo; a Escala Geriátrica de Depressão (GDS) para os sintomas depressivos; a Escala de Katz para avaliar as atividades da vida diária; a Escala de Lawton e Brody para avaliar as atividades instrumentais da vida diária; o protocolo do Grupo Desenvolvimento Latino-Americano da Maturidade (GDLAM) para a autonomia; a bateria de testes de Rikli e Jones para a aptidão física; e o nível de atividade física pelo Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) para o nível de atividade física. A classificação da Síndrome Metabólica foi feita através dos critérios do International Diabetes Federation (IDF). Foi realizada a antropometria com as mensurações do peso e altura para cálculo do índice de massa corporal e o perímetro da cintura. Foi feita uma análise bioquímica para obtenção dos parâmetros glicemia, HDL-c, LDL-c, colesterol total e triglicerídeos. Foram realizadas análises estatísticas onde utilizou-se o teste de Shapiro-wilk para avaliar a normalidade das variáveis, o teste Qui-Quadrado e o teste Qui-quadrado de Tendência Linear para avaliar a associação entre as variáveis categóricas, o teste T de Student e a análise de variância (ANOVA) para comparar as médias das variáveis contínuas. Utilizou-se ainda modelos de regressões linear múltiplas e regressão logística multinomial múltipla para estimar as associações das variáveis com a autonomia e independência funcional. O nível de significância adotado foi de 5%. Como resultados encontrou-se uma prevalência de 65% de síndrome metabólica, a independência nas AVD foi 50,7% e nas AIVD foi de 15% e a autonomia apresentou-se fraca em 68,2% dos idosos. A população predominante era do sexo feminino (60,4%), faixa etária estava entre 70 a 79 anos (44,8%); casados (56,7%), da classe social C, D e E (89,3%) e com escolaridade de pelo menos um ano (72,4%). Negaram terem sido expostos ao fumo (58,7%) e à bebida (62,2%), possuíam nível de atividade física insuficientemente ativo (75,1%), comportamento sedentário (89,3%), não apresentaram déficit cognitivo (78,1%) e nem sintomas depressivo (74,6%). Apresentaram pelo menos uma doença crônica (80,8%) e sobrepeso (46,3%), Ao comparar os sexos, as mulheres não eram casadas (56,4%), pertenciam à classe social C, D e E (91,8%), maior sobrepeso (56%), maior presença da síndrome metabólica (72,8%), maior número de doenças crônicas (64,3%), fumavam (21,4%) e bebiam (16,9%) menos, eram mais dependentes nas atividades da vida diária (58%), possuíam melhor flexibilidade e pior resistência aeróbica, em relação aos homens. Os fatores associados aos idosos com SM à dependência nas AIVD foram ser analfabeto e ter pior autonomia. Os fatores associados à dependência nas AVD/AIVD foram: ter pelo menos um ano de escolaridade, percepção negativa da saúde, possuir déficit cognitivo e autonomia fraca, quando comparados aos idosos independentes, ajustados pelo sexo e idade. Os fatores associados a pior autonomia nos idosos sem a SM foi o aumento da idade, comportamento sedentário e sintomas depressivos. No grupo de idosos com a SM, além desses fatores, a menor escolaridade, ser insuficientemente ativo e ter doenças crônicas associaram-se com a pior autonomia. Pôde-se concluir que a prevalência da síndrome metabólica está alta, assim como a presença de dependências nas AVD/ AIVD e a autonomia fraca. A presença da SM piorou a autonomia e a independência dos idosos. Os idosos apresentaram um envelhecimento malsucedido, caracterizado por comorbidades, estilo de vida sedentário, dependência para realizar as atividades e autonomia fraca. Em relação ao sexo, as mulheres apresentaram piores percentuais, que se traduzem em pior estado de saúde em relação aos homens. Estes resultados servem para as equipes de Estratégia Saúde da Família, nortearem ações específicas para cada gênero, além de indicar mudanças urgentes nas Políticas Públicas com intuito de melhorar a qualidade de vida dos idosos.
The rapidly changing demographics and epidemiological profile Brazilian raises the need for studies on the health of the elderly population. Projections indicate an epidemic of metabolic syndrome, especially in the elderly. Associated with this, we saw a decrease in independence and functional autonomy of the elderly. Thus, this study aimed to determine the prevalence of functional autonomy and independence of the elderly with metabolic syndrome and its associated factors. To this end, we conducted a cross-sectional epidemiological study with probability sampling, conducted with 402 elderly, both sexes, aged greater than or equal to 60 years, served in the Family Health Strategy of Viçosa / MG, Brazil. A questionnaire was applied socio-economic status, the Mini-Mental questionnaire to assess cognitive status, the Geriatric Depression Scale (GDS) for depressive symptoms, the Katz Scale to assess activities of daily living; Scale Lawton and Brody to assess instrumental activities of daily living; protocol Group Latin American Development Maturity (GDLAM) for autonomy, the battery tests Rikli and Jones for physical fitness, and physical activity level by the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) for the level of physical activity. The classification of metabolic syndrome was made using the criteria of the International Diabetes Federation (IDF). Anthropometry was performed with measurements of weight and height to calculate body mass index and waist circumference. An analysis of biochemical parameters to obtain glucose, HDL-C, LDL-C, total cholesterol and triglycerides. Statistical analyzes were performed where we used the Shapiro-Wilk test to assess the normality of the variables, the chi-square test and the chi-square test for linear trend to assess the association between categorical variables, the Student t test and analysis of variance (ANOVA) to compare means of continuous variables. Was also used multiple linear regression models and multiple multinomial logistic regression to estimate the associations between the variables autonomy and functional independence. The significance level was 5%. The results found a 65% prevalence of metabolic syndrome, independence in ADL was 50.7% and the AIVD was 15% and autonomy presented weak in 68.2% of the elderly. The population was predominantly female (60.4%), age range was between 70-79 years (44.8%), married (56.7%), social class C, D and E (89.3% ) and education of at least one year (72.4%). Denied having been exposed to smoke (58.7%) and beverages (62.2%), level of physical activity had insufficiently active (75.1%), sedentary behavior (89.3%) showed no cognitive impairment ( 78.1%) and no depressive symptoms (74.6%). Had at least one chronic disease (80.8%) and overweight (46.3%), Comparing genders, women were not married (56.4%) belonged to class C, D and E (91, 8%), higher overweight (56%), increased presence of metabolic syndrome (72.8%), higher number of chronic diseases (64.3%), smoking (21.4%) and drinking (16.9%) less and were more dependent in activities of daily living (58%), had better flexibility and aerobic endurance worse, compared to men. The factors associated with MS and the elderly dependency in IADL were being illiterate and having worse autonomy. The factors associated with dependency in ADL / IADL were: having at least one year of schooling, negative perception of health, cognitive impairment and autonomy have weak when compared to independent seniors, adjusted for sex and age. Factors associated with worse autonomy in elderly people without MS was increasing age, sedentary behavior, and depressive symptoms. In the group of elderly patients with MS, in addition to these factors, lower education, being insufficiently active and have chronic diseases were associated with worse autonomy. It was concluded that the prevalence of metabolic syndrome is high, as well as the presence of dependencies in ADL / IADL autonomy and weak. The presence of MS worsened the autonomy and independence of the elderly. The aging was characterized by comorbidities, sedentary lifestyle, reliance, to pursue autonomy and weak. Regarding gender, women showed lower percentage, which translate into poorer health compared to men. These results serve to teams of the Family Health Strategy, guide actions specific to each genre, in addition to indicating urgent changes in public policy with a view to improving the quality of life for seniors.
Palavras-chave: Idosos - Aspectos da saúde
Síndrome metabólica
Autonomia (Psicologia) em idosos
Envelhecimento
Seniors - Health aspects
Metabolic syndrome
Autonomy (Psychology) in elderly
Aging
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::NUTRICAO
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Dietética e Qualidade de Alimentos; Saúde e Nutrição de Indivíduos e Populações
Programa: Doutorado em Ciência da Nutrição
Citação: MARTINHO, Karina Oliveira. Functional capacity and autonomy in the elderly with metabolic syndrome in the Family Health Strategy of Viçosa/MG. 2014. 97 f. Tese (Doutorado em Dietética e Qualidade de Alimentos; Saúde e Nutrição de Indivíduos e Populações) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2014.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/387
Data do documento: 18-Fev-2014
Aparece nas coleções:Ciência da Nutrição

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,05 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.