Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/3930
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorAlves, Pedro Guilherme Lemes
dc.date.accessioned2015-03-26T13:30:36Z-
dc.date.available2012-04-24
dc.date.available2015-03-26T13:30:36Z-
dc.date.issued2011-07-25
dc.identifier.citationALVES, Pedro Guilherme Lemes. Bioecology of Oncideres ocularis Thomson (Col.: Cerambycidae). 2011. 93 f. Dissertação (Mestrado em Ciência entomológica; Tecnologia entomológica) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.por
dc.identifier.urihttp://locus.ufv.br/handle/123456789/3930-
dc.description.abstractEste estudo teve o objetivo de caracterizar das fases biológicas de Oncideres ocularis Thomson, 1868, bem como verificar se existem padrões na morfologia do galho roletado por esse serrador, ou em sua atividade de oviposição que venham a interferir na reprodução da espécie. Os estudos foram realizados com galhos e insetos coletados em três plantios comerciais de Acacia mangium Willd. localizados em Coimbra-MG e um plantio consorciado entre Eucalyptus urophylla S.T. Blake x E. grandis W. Hill ex Maiden, Acacia mangium e Brachiaria spp., localizado em Viçosa-MG, entre novembro de 2009 e março de 2011. No estudo das fases biológicas desse inseto, conduzido em Viçosa-MG, constatou-se que os ovos de O. ocularis quando recém-depositados, são de coloração branca, possuem forma elipsóide de revolução alongada, têm comprimento médio de 2,44 ± 0,02 mm e largura média de 0,58 ± 0,12 mm; o período de incubação foi de 12,1 ± 0,2 dias e a viabilidade foi de 60,78%. As larvas recém-eclodidas são de coloração amarela-pálidas, ápodas, corpos providos de pelos curtos, apresentando grande quantidade nos últimos segmentos do abdômen, e possuem uma placa calcária na parte dorsal do protórax. Essas larvas tinham comprimento médio de 1,90 ± 0,03 mm, largura média de 0,61 ± 0,01 mm e largura de cápsula cefálica média de 0,35 ± 0,01 mm. A época de atividade dos adultos foi de dezembro a março. As fêmeas realizaram, em média, 17,27 ± 1,0 incisões de postura por galho roletado, colocando apenas um ovo em cada incisão. As incisões se concentraram nas seções médio-basal e mediana dos galhos roletados e tiveram menor concentração na porção apical dos galhos. Machos e fêmeas dessa espécie foram diferenciados baseando-se no comprimento do último segmento antenal; nos machos ele era sete vez mais comprido do que o próprio pedicelo, enquanto nas fêmeas essa diferença era de apenas duas vezes e meia. Os adultos puderam ser sexualmente diferenciados pela forma do último segmento abdominal, tendo a forma de “v” invertido nos machos e arredondado nas fêmeas. Esse serrador roletou galhos com diâmetro e comprimento médios de 9,88 ± 0,18 mm e 99,21 ± 2,23 cm, respectivamente. O roletamento feito por O. ocularis pode resultar na perda média de área foliar de 4.233,05 ± 726,75 cm² por árvore. As fêmeas roletaram os galhos posicionando-se de cabeça para baixo, e demorando-se de um a dois dias para consumar o roletamento. Os insetos adultos se alimentaram da casca de galhos, tanto das partes mais tenras quanto das mais lenhosas. Dos galhos roletados por essa espécie também emergiram os cerambicídeos: Engyum quadrinotatum (Thomson, 1864), Orthostema abdominale (Gyllenhal, 1817), Nesozineus bucki (Breuning, 1954) e Lepturges sp., além de besouros das famílias Buprestidae, Scolytidae e Bostrichidae. Esses insetos associados foram considerados importantes competidores por espaço e por alimento, em relação a O. ocularis. Na outra parte do trabalho, procurou-se verificar se existiam padrões na morfologia do galho que influenciasse na reprodução de O. ocularis. Para isso avaliaram-se o diâmetro do galho, a área do roletamento, o comprimento do galho,a massa foliar, massa do galho, a quantidade de ramos secundários, o volume útil do galho, a área superficial do galho, a quantidade de incisões de postura e a quantidade de larvas eclodidas em 100 galhos roletados em A. mangium. Nenhuma destas variáveis foi satisfatória para se obter um modelo capaz de prever a quantidade de ovos depositados por galho e a quantidade de larvas eclodidas, entretanto, a área superficial e o volume do galho roletado foram as que apresentaram maior coeficiente de determinação. Ficam assim, caracterizadas algumas fases biológicas dessa espécie de besouro serrador e evidente que apenas caracteres morfológicos dos galhos roletados são insuficientes para afetar a reprodução de O. ocularis em A. mangium.pt_BR
dc.description.abstractThe work was performed to expand the knowledge about the biology of Oncideres ocularis Thomson, 1868 (Col.: Cerambycidae), during the period of September/2009 to March/2011. Girdled twigs and adult insects of this species were collected from three commercial plantations of Acacia mangium Willd. located in the Coimbra county, Minas Gerais State, and from one silvipastoral system of Eucalyptus urophylla S.T. Blake x E. grandis W. Hill ex Maiden, A. mangium and Brachiaria spp. located at Viçosa county, Minas Gerais State, Brazil. The egg, when recently laid, was white, show an elongated ellipsoid shape, 2,44 ± 0,02 mm average length and 0,58 ± 0,12 mm width. The eggs incubation period was 12,1 ± 0,2 days and the eggs viability was 60,78%. The first instar larvae were yellowish-white, had no legs, body covered with tiny hairs, mainly, on the last abdomen segments. Larvae were 1,90 ± 0,03 mm long, 0,61 ± 0,01 mm wide, with head capsule measuring 0,35 ± 0,01 mm wide. The occurrence period adults was from December to March. Females made 17,27 ± 1,0 incisions per girdled branch, laying just one egg per incision. Incisions were more concentrated at the lower-medium and medium section of the girdled branches, and less concentrated at the upper section. Males and females adults can be distinguished by the last antennal segment length; it was seven times longer than it pedicel on males and around two times and a half longer on females. They also can be distinguished by the shape of the last abdominal segment; it had a inverted “v” shape on males, and a rounded shape on females. Girdles twigs were 9,88 ± 0,18 mm in diameter and 99,21 ± 2,23 cm in length. A girdle made by one O. ocularis can cause an average loss of 4.233,05 ± 726,75 cm² of foliar area, per tree. Females were upside down while girdling the branches, and spent from one to two days to girdle one twig, and adults fed upon twig bark. Other cerambycids also emerged from twigs girdled by O. ocularis: Engyum quadrinotatum (Thomson, 1864), Orthostema abdominale (Gyllenhal, 1817), Nesozineus bucki (Breuning, 1954) and Lepturges sp., and beetles in the Buprestidae, Scolytidae and Bostrichidae families. Such insects co-inhabiting the branches were token in account as very important competitors for space and food against O. ocularis. Variables as twig diameter, girdled area, twig length, foliar mass, twig mass, number of secondary branches, twig volume, twig superficial area, number of incisions and number of larvae hatched, evaluated on 100 girdled branches were used to search for patterns on the twig morphology that affect the reproduction of this insect . The best models had included the twig superficial area and twig volume. So biological stages of the twig girdler O. ocularis were characterized, and become clear that only the twig morphology is insufficient to explain variations on the reproduction of this insect.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Viçosapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectEntomologia florestalpor
dc.subjectBioecologiapor
dc.subjectBesouros desfolhadorespor
dc.subjectSerradorespor
dc.subjectForest entomologyeng
dc.subjectBioecologyeng
dc.subjectBeetles defoliatorseng
dc.subjectSawyerseng
dc.titleBioecologia de Oncideres ocularis Thomson (Col.: Cerambycidae)por
dc.title.alternativeBioecology of Oncideres ocularis Thomson (Col.: Cerambycidae)eng
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/9084738737031091por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentCiência entomológica; Tecnologia entomológicapor
dc.publisher.programMestrado em Entomologiapor
dc.publisher.initialsUFVpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS FLORESTAIS E ENGENHARIA FLORESTAL::SILVICULTURA::PROTECAO FLORESTALpor
dc.contributor.advisor1Silva, Norivaldo dos Anjos
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4788282T5por
dc.contributor.referee1Matrangolo, Carlos Augusto Rodrigues
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6304956221464730por
dc.contributor.referee2Leite, Hélio Garcia
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4785373Z6por
Aparece nas coleções:Entomologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf2,45 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.