Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/4221
Tipo: Dissertação
Título: Inclusão social pelo trabalho sazonal: é possível? Um estudo sobre trabalhadoras na cultura da uva em Petrolina-PE
Título(s) alternativo(s): Social inclusion through seasonal labor: is it possible? A study on vine-growing workers in Petrolina-PE
Autor(es): Granja, Maria Sueli
Primeiro Orientador: Doula, Sheila Maria
Primeiro avaliador: Botelho, Maria Izabel Vieira
Segundo avaliador: Fiúza, Ana Louise de Carvalho
Terceiro avaliador: Pinto, Neide Maria de Almeida
Quarto avaliador: Amodeo, Nora Beatriz Presno
Abstract: Com a expansão da fruticultura, no Submédio São Francisco, cresceu a oferta dos postos de trabalho destinados à mão-de-obra feminina. Entretanto, a atuação da mulher nesse mercado de trabalho se deu em condições desiguais e excludentes. Conforme aborda Noronha (1985, p. 87), a mulher rural que trabalha na fruticultura irrigada é apontada como população economicamente ativa; todavia, mesmo que desenvolva atividades iguais às desenvolvidas pelos homens, o seu salário é, quase sempre, inferior ao do homem. A mulher rural enfrenta uma jornada longa. Isso, porque o homem, de modo geral, ainda continua ausente na divisão das tarefas domésticas. De acordo com Bruschini (1990), a falta de eqüidade na participação da força masculina nas tarefas de casa faz com que a mulher assuma uma carga de trabalho exaustiva, nos espaços doméstico e extra-doméstico. A inserção da mulher rural ao trabalho assalariado se dá, em geral, em atividades sazonais, restritas a algumas etapas do ciclo produtivo, não se constituindo, na maioria dos casos, como uma ocupação permanente. Diante desse cenário, buscou-se, neste trabalho, investigar as mudanças nas relações sociais e familiares a partir da inserção das mulheres na prática produtiva da fruticultura, particularmente na cultura da uva, no Núcleo 04 do Projeto de Irrigação Senador Nilo Coelho, e se essa inserção propiciou a elas e as suas famílias uma maior inclusão social. Buscando responder a esse questionamento, realizou-se pesquisa de campo, por amostra, com aplicação de questionários, onde foram entrevistadas mulheres que trabalham na fruticultura irrigada, mais especificamente, no raleio da uva, como também homens que trabalham, também, na fruticultura irrigada e empregadores deste segmento. Constatou-se que trabalho sazonal proporciona à mulher um maior poder de compra, o que representa uma situação de inclusão social, cujos benefícios são também estendidos à família. Concluindo-se, ainda, que o tipo de inclusão proporcionado pelo trabalho sazonal é, quase sempre, precário e instável.
The expansion of fruit culture in the Submedio São Francisco region has allowed the creation of work places for female labor. However, the participation of women in this work sector is characterized by unequal and excluding conditions. As stated by Noronha (1985, p. 87), rural women working in irrigated fruit culture areas are considered economically active; however, despite performing the same activities performed by men, their salary is almost always inferior. Rural female workers also face longer working hours since men, in general, do not share housework. According to Bruschini (1990), unequal male participation in housework forces women to undergo an exhaustive work load both at home and outside the house. The insertion of rural female workers as wage earners is generally via seasonal activities, restricted to some stages of the productive cycle, thus not constituting a permanent occupation, most of the times. Faced with this scenario, this work aimed to investigate the changes in the social and family relations resulting from the insertion of women in fruit culture, particularly vine-growing, at the Nucleus 04 of the Senador Nilo Coelho Irrigation Project in Petrolina-PE, and to verify whether such participation provided them and their families a greater social inclusion. Aiming to find answers to these questions, a field research was carried out by applying sample questionnaires, where women who work in irrigated fruit culture, more specifically, grape picking, as well as male workers and employers working in this sector were interviewed. It was concluded that seasonal work provides women a greater buying power leading to social inclusion whose benefits are also extended to their families. It was also concluded that the type of inclusion provided by seasonal work is almost always precarious and unstable.
Palavras-chave: Trabalhadoras rurais
Aspectos sociais
Mulheres na agricultura
Sociologia do trabalho
Projetos de desenvolvimento agrícola
Desenvolvimento social
Rural workers
Social aspects
Women in agriculture
Work sociology
Agricultural development project
Social development
CNPq: CNPQ::OUTROS::CIENCIAS SOCIAIS
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Instituições sociais e desenvolvimento; Cultura, processos sociais e conhecimento
Programa: Mestrado em Extensão Rural
Citação: GRANJA, Maria Sueli. Social inclusion through seasonal labor: is it possible? A study on vine-growing workers in Petrolina-PE. 2006. 164 f. Dissertação (Mestrado em Instituições sociais e desenvolvimento; Cultura, processos sociais e conhecimento) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2006.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/4221
Data do documento: 28-Abr-2006
Aparece nas coleções:Extensão Rural

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf2,26 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.