Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/4305
Tipo: Dissertação
Título: Mecanismos de adaptação e fotoproteção em tomateiros submetidos ao estresse salino
Título(s) alternativo(s): Mechanisms of adaptation and photo protection in tomato plants submitted to water stress
Autor(es): Azevedo, Leticia da Costa
Primeiro Orientador: Cano, Marco Antonio Oliva
Primeiro coorientador: Silva, Marco Aurélio Pedron e
Segundo coorientador: Campostrini, Eliemar
Primeiro avaliador: Kuki, Kacilda Naomi
Segundo avaliador: Otoni, Wagner Campos
Abstract: Plantas de tomateiro (Solanum lycopersicum Mill) cultivar Santa Clara 5600 VF foram submetidas a concentrações crescentes de NaCl até uma concentração de 150 mM. Com o objetivo de avaliar os efeitos iniciais que afeta a produção primária e os mecanismos de adaptação à salinidade sob estresse prolongado, foram implantados dois experimentos. As plantas foram cultivadas em solução nutritiva de Hoagland em casa de vegetação. No primeiro experimento, as plantas foram cultivadas em solução de 0, 50, 100 e 150 mM de NaCl o qual foi aplicado de forma progressiva de 50 mM. No segundo o NaCl foi adicionado a cada 12 horas até atingir 150 mM. Foram avaliados o potencial osmótico (ψs) das folhas e raízes, concentração dos íons Na+, Cl-, K+, Ca2+ e Mg2+ nas raízes, nos caules e nas folhas, concentração de prolina nas folhas, variáveis de trocas gasosas, estimativa da fotorrespiração fluorescência da clorofila a, imagem da fluorescência da clorofila a e atividade antioxidativa nas folhas. As plantas submetidas ao estresse salino apresentaram decréscimo no ψs das folhas e raízes. Tal decréscimo pode ser atribuído ao acúmulo de Na+, K+ e Cl- e açúcares que contribuíram para o ajustamento osmótico. Houve aumento na síntese de prolina, o qual foi relacionado como um osmólito de proteção ao estresse salino. Foi detectada queda na taxa fotossintética em reposta aos efeitos estomáticos e não estomáticos. Os teores de clorofila a, clorofila b, carotenóides e na relação clorofila a/b apresentaram decréscimo. Foi verificado decréscimo na taxa de transporte de elétrons no FSII. Houve aumento no rendimento quântico da dissipação regulada de energia não- fotoquímica no FSII Y(NPQ), na dissipação não-fotoquímica (NPQ) e altas taxas de Y(NPQ)/Y(NO) nas plantas submetidas ao estresse salino. Ocorreu aumento da atividade das enzimas SODs e APXs que participam no ciclo água-água. A partir desses resultados, pode-se concluir que, plantas de tomateiro submetidas ao estresse salino, desenvolveram ajustamento osmótico condicionando a absorção de água. Apresentaram mecanismos de fotoproteção eficientes na dissipação do excesso de energia na cadeia transportadora de elétrons. Tais mecanismos envolvem a dissipação de energia na forma de calor, pela fotorrespiração e pelo ciclo água-água. Além disso, foi possível acompanhar o prolongamento do estresse a partir das alterações na imagem da fluorescência da clorofila a.
Tomato plants (Solanum lycopersicum Mill) c.v Santa Clara 5600 VF were submitted to increasing concentratíons of NaCl, up to 150 mM. In order were set up two experiments to evaluate the initial effects that affect the primary production and the mechanisms of adaptation to salinity under continuous stress. The plants were cultivated in Hoagland`s hidroponic solution, in the greenhouse. In condition the first experiment, the plants were grown in 0, 50, 100 and 150 mM NaCl solution obtained by gradually applied 50 mM of the salt. In the second experiment, the NaCl was add every 12 hours until the final concentration of 150 mM. It were evaluated the osmotic potential (Ψs) of leaves and roots, Na+, Cl-, K+, Ca2+ and Mg2+ íons concentratíons in roots, stem and leaves, proline concentration in leaves, gas exchange, estimative of photorespiration, chlorophyll a fluorescence, chlorophyll a fluorescence image and antioxidative activity in the leaves. The plants submitted to salt stress presented a decreased on ψs of leaves and roots. This decrease might be attributed to accumulation Na+, K+, Cl- and sugars in the cytoplasm, which also contributed to an osmotic adjustment. There was an increase in the proline synthesis, which is attributed the role as osmoprotectant osmolyte protection to salt stress. It was detected decrease in photosynthetic rate in response to stomatal and non-stomatal effects. The contents of chlorophyll a, chlorophyll b, carotenoids and the chlorophyll a/b ratio showed decrease. It was observed decrease in the quantum yield of linear electron flux through PSII. Increments in quantum yield of regulated non- photochemical energy loss in PS II Y(NPQ) and in non- photochemical quenching (NPQ) and high rates of Y(NPQ)/ Y (NO) in plants submitted to salt stress. There was increase of SODs and APXs enzymes activity that participate in water- water cycle. From these results, we can conclude that, tomato plants submitted to salt stress developed osmotic adjustment in order to assure water absorption. The plants also showed efficient mechanisms of photoprotection, through dissipation of excess energy in the electron transport chain. Such mechanisms involve the dissipation of energy as heat, by photorespiration and by water-water cycle. Furthermore, it was possible to monitor the extension of stress through the means of the chlorophyll a fluorescence image.
Palavras-chave: Estresse salino
Ajustamento osmótico
Fluorescência da clorofila a
Fotossíntese
Tomate
Water stress
Osmotic adjustment
Chlorophyll a fluorescence
Photosynthesis
Tomato
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::BOTANICA::FISIOLOGIA VEGETAL::ECOFISIOLOGIA VEGETAL
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Controle da maturação e senescência em órgãos perecíveis; Fisiologia molecular de plantas superiores
Programa: Mestrado em Fisiologia Vegetal
Citação: AZEVEDO, Leticia da Costa. Mechanisms of adaptation and photo protection in tomato plants submitted to water stress. 2009. 5 f. Dissertação (Mestrado em Controle da maturação e senescência em órgãos perecíveis; Fisiologia molecular de plantas superiores) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2009.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/4305
Data do documento: 17-Fev-2009
Aparece nas coleções:Fisiologia Vegetal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
01 - capa_abstract.pdf97,57 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.