Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/4429
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorMoraes, Wanderson Bucker
dc.date.accessioned2015-03-26T13:37:53Z-
dc.date.available2014-12-15
dc.date.available2015-03-26T13:37:53Z-
dc.date.issued2014-02-27
dc.identifier.citationMORAES, Wanderson Bucker. Spatio-temporal dynamics of Ceratocystis wilt in Mangifera indica and disease association with potential vectors. 2014. 91 f. Dissertação (Mestrado em Etiologia; Epidemiologia; Controle) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2014.por
dc.identifier.urihttp://locus.ufv.br/handle/123456789/4429-
dc.description.abstractMurcha de Ceratocystis, causada por Ceratocystis fimbriata, é uma doença destrutiva da mangueira, e sua epidemiologia é pouca compreendida. O objetivo do estudo foi descrever a dinâmica espaço-temporal da murcha de Ceratocystis, e verificar sua associação com coleobrocas e cupins em duas regiões produtoras. Epidemias da murcha de Ceratocystis foram avaliadas durante 15 meses, em cinco talhões, dois em Itaocara- RJ (A1RJ e A2RJ) e três em Frutal-MG (A1MG, A2MG, e A3MG). Os modelos logístico, Gompertz, e monomolecular foram ajustados aos dados mensais de incidência, severidade, e de plantas mortas por meio da análise Bayesiana. Obteve-se melhor ajuste das curvas de todas as epidemias com o modelo de Gompertz. A distribuição marginal a posteriori da epidemia A2RJ teve maiores valores de taxa de incidência, enquanto que as distribuições das epidemias A1RJ, A1MG, A2MG, e A3MG não diferiram. Os menores valores de taxa de severidade e mortalidade foram observados nas distribuições marginais a posteriori das epidemias de Itaocara, e não houve diferenças entre as distribuições das epidemias de Frutal. O padrão de ocorrência da doença em cada planta também diferiu entre as regiões. Quando a doença foi detectada pela primeira vez, os valores de severidade em cada planta em Itaocara variaram de 0,1 a 60%, enquanto em Frutal o valor de severidade foi sempre 100%. Em Itaocara, as plantas doentes demoraram mais para morrer do que em Frutal. Com relação à dinâmica espacial, em Itaocara observaram-se valores máximos de intensidade da doença em focos e valores intermediários em diferentes locais dos talhões, enquanto em Frutal a doença ficou agrupada em focos de maior intensidade e progrediu apenas nesses locais. Em Itaocara, a doença disseminou-se de forma aleatória a partir dos focos iniciais para locais mais distantes, enquanto em Frutal disseminou-se de forma agregada para as plantas sadias próximas. Não houve associação espacial da doença com cupins em todos os talhões, mas houve associação espacial da doença e coleobrocas aos estádios iniciais da doença em A1RJ e A2RJ, e aos estádios posteriores nos talhões A1MG e A2MG. Assim, concluiu-se que a dinâmica espaço-temporal da murcha de Ceratocystis em Itaocara e Frutal diferiram muito provavelmente por causa das diferenças em relação ao inóculo inicial e mecanismos de dispersão do patógeno.pt_BR
dc.description.abstractCeratocystis wilt, caused by Ceratocystis fimbriata, is a destructive mango disease, and its epidemiology is poorly understood. The objective of the study was to describe the spatio-temporal dynamics of Ceratocystis wilt, and its association with beetles and termites in two producing regions. Epidemics of Ceratocystis wilt were followed over fifteen months in five plots, two in Itaocara RJ (A1RJ and A2RJ) and three in Frutal MG (A1MG, A2MG, and A3MG). The logistic, Gompertz, and monomolecular models were fitted to monthly data of incidence, severity, and plant death through Bayesian analysis. The best goodness of fit was with the Gompertz model. The marginal posterior distribution of the A2RJ epidemic had higher values of incidence rate, whereas the distributions of the A1RJ, A1MG, A2MG, and A3MG epidemics did not differ. Lower values of severity and mortality rate were observed in the marginal posterior distribution of the Itaocara epidemics, and there were no differences between the distributions of the Frutal epidemics. The pattern of occurrence of the disease in each plant also differed between the regions. When the disease was first detected, the severity values in each plant in Itaocara varied from 0.1 to 60%, whereas the severity value in Frutal was always 100%. In Itaocara, it took longer for the diseased plants to die than in Frutal. With respect to spatial dynamics, in Itaocara were observed maximum values of intensity of disease in foci and intermediate values in different locations of the plots, while in Frutal the disease was grouped into foci of increased intensity and progressed only in those places. In Itaocara, the disease was randomly spread from initial foci to more distant, while in Frutal spread of aggregate form for healthy plants neighboring. There was no spatial association of the disease with termites in the all plots, but there was spatial association of the disease and beetles the early stages of the disease in A1RJ and A2RJ, and the later stages in the A1MG e A2MG plots. Thus, it was concluded that the spatio-temporal dynamics of Ceratocystis wilt in Itaocara and Frutal differed most likely because of differences regarding the initial inoculum and pathogen dispersal.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Viçosapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectCeratocystis fimbriatapor
dc.subjectMurcha-de-Ceratocystis - Epidemiologiapor
dc.subjectMangueira - Doenças e pragaspor
dc.subjectCeratocystis fimbriataeng
dc.subjectWilt of-Ceratocystis - Epidemiologyeng
dc.subjectHose - Diseases and pestseng
dc.titleDinâmica espaço-temporal da murcha de Ceratocystis em Mangifera indica e associação da doença a potenciais vetorespor
dc.title.alternativeSpatio-temporal dynamics of Ceratocystis wilt in Mangifera indica and disease association with potential vectorseng
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/8715721434402222por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentEtiologia; Epidemiologia; Controlepor
dc.publisher.programMestrado em Fitopatologiapor
dc.publisher.initialsUFVpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA::FITOSSANIDADE::FITOPATOLOGIApor
dc.contributor.advisor1Maffia, Luiz Antônio
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4783229P9por
dc.contributor.referee1Santos, Gérson Rodrigues dos
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/0674757734832405por
dc.contributor.referee2Silva, Fabyano Fonseca e
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4766260Z2por
dc.contributor.referee3Souza, André Gomes Coelho de
dc.contributor.referee3Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4778792J2por
dc.contributor.referee4Alfenas, Acelino Couto
dc.contributor.referee4Latteshttp://lattes.cnpq.br/2514320654462590por
Aparece nas coleções:Fitopatologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf5,14 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.