Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/4430
Tipo: Dissertação
Título: Controle de Meloidogyne spp. em algodoeiro e quiabeiro com o fertilizante organomineral UFV-TM100 e o efeito da incorporação de pó de basalto ao fertilizante em tomateiro
Título(s) alternativo(s): Control of Meloidogyne spp. in cotton and okra plants with organo-mineral fertilizer UFV-TM100, and the effect of the fertilizer in combination with basalt dust on tomato plants
Autor(es): Ferreira, Fernanda Carla
Primeiro Orientador: Ferraz, Silamar
Primeiro avaliador: Freitas, Leandro Grassi de
Segundo avaliador: Ferreira, Paulo Afonso
Terceiro avaliador: Maffia, Luiz Antônio
Abstract: Os nematoides fitoparasitas ocorrem em uma ampla gama de cultivos e estão associados a prejuízos diversos na agricultura. Com o objetivo de encontrar novas estratégias de controle que causem menos impactos ambientais e ao homem, medidas alternativas têm sido estudadas. Dentre essas medidas de controle, o uso de fertilizantes organominerais é uma possibilidade inovadora de veicular resíduos orgânicos e fertilizantes minerais, que podem ser utilizados pela agricultura orgânica ou convencional. A fim de aproveitar também resíduos de minerações, o uso do pó de basalto deve ser estudado como uma forma que possa compor o fertilizante organomineral. Como existem poucas informações sobre o uso de fertilizantes organominerais e também pela vasta gama de hospedeiros que os nematoides atacam, estudos em busca da melhor forma de aplicação do fertilizante, da melhor dose a ser utilizada em diversos patossistemas e do tempo entre a aplicação do fertilizante e o plantio da cultura devem ser realizados. Assim os objetivos desse trabalho foram 1) selecionar doses do fertilizante organomineral UFV- TM100 a ser utilizado em plantas de algodão e quiabo, visando o desenvolvimento das plantas e o controle de Meloidogyne spp. 2) testar o pó de basalto como uma forma de aperfeiçoar a formulação do fertilizante UFV-TM100 (Documento de Patente PI0904349-7) no desenvolvimento de plantas de tomate e no controle de Meloidogyne javanica em casa de vegetação. Vasos de 2 L de capacidade foram preenchidos com o substrato de suporte de plantas e o UFV-TM100 foi incorporado nas doses de 0, 6, 12, 18, 24 e 30 g L-1 de substrato. Adicionalmente, cada vaso foi infestado com 5.000 ovos de M. javanica para o experimento com quiabo e 5.000 ovos de M. incognita raça 3 para o experimento com algodão. As sementes de ambas as culturas foram semeadas 14 dias após a incorporação do UFV-TM100 ao substrato. Para o experimento com quiabo, a colheita se deu aos 60 dias após a semeadura, e para o algodão, 90 dias. Para a cultura do algodão, apesar da aplicação do fertilizante ter reduzido o número de galhas e de ovos do nematoide, houve também redução no tamanho das plantas e na germinação das sementes. O mesmo ocorreu com a cultura do quiabo. Para avaliar o efeito do pó de basalto no controle de M. javanica e no desenvolvimento do tomateiro foram testados: uma dose do UFV-TM100 (15 g L-1 de substrato), uma dose do pó de basalto (7,5 g L -1 de substrato); e a testemunha, que era composta só pelo nematoide. O fertilizante organomineral e o pó de basalto foram então incorporados a 2 L de solo, que foram colocados em vasos e infestados com 5.000 ovos de M javanica. Após 15 dias, mudas de tomateiro com 21 dias de idade foram transplantadas para esses vasos e 60 dias depois as variáveis foram avaliadas. Os resultados mostraram que a incorporação do pó de basalto ao solo não interferiu no crescimento da planta e na produção de ovos do nematoide, diferenciando da testemunha somente no número de galhas. Para avaliar a influência das doses de pó de basalto aplicadas juntamente com o fertilizante organomineral no controle de M. javanica e no desenvolvimento do tomateiro foram adicionadas à formulação do UFV- TM100 as doses do pó de basalto (0; 1,5; 3,0; 4,5; 6,0 e 7,5 g L -1 de substrato). O pó de basalto foi assim misturado ao fertilizante organomineral e posteriormente incorporado a 2 litros de solo, que foram então colocados em vasos e infestados com 5.000 ovos de M javanica. Após 15 dias, mudas de tomate com 21 dias de idade foram transplantadas para esses vasos e 60 dias depois as variáveis foram avaliadas. A aplicação das doses crescentes de pó de basalto juntamente com o UFV-TM100 não influenciaram o controle do nematoide como também não influenciou no desenvolvimento do tomateiro, demontrando que o pó de basalto não teve efeito sinérgico ao UFV-TM100, não sendo o mais indicado a ser incorporado a sua formulação.
Plant parasitic nematodes affect a wide range of plants and they are associated with various forms of damage to a vast number of agricultural crops. With the aim to define new control strategies offering less human and environmental harm, alternative nematode control measures have been studied. Among these, the use of organo-mineral fertilizers constitutes a pioneering possibility to convey organic residues and mineral fertilizers that can be employed by the organic or conventional agriculture. In order to make good use of mining residues, the use of basalt dust must be studied as a potential component in organo-mineral fertilizers. Due to the reduced availability of information concerning the use of organo- mineral fertilizers as well as a matter of the huge range of host plants that nematodes affect, studies in search of the best application technique, correct application dosage in different pathosystems and the best period between fertilizer application and crop planting, must be pursued. Thus, the objectives of the present research were: 1) to select dosages of organo-mineral fertilizer UFV-TM100 to be used in cotton and okra plants, aiming plant development and control of Meloidogyne spp.; 2) to test basalt dust as a method to improve the formulation of the fertilizer UFV- TM100 (Patent Document PI0904349-7), targeting tomato plant development and control of Meloidogyne javanica under green-house condition. Pots with 2 L volume were filled with plant support substrate and then UFV-TM100 was incorporated at dosages of 0, 6, 12, 18, 24 and 30 g L-1. Additionally, each plot planted with okra was infested with 5.000 M. javanica eggs and 5.000 M. incognita race 3 eggs in pots planted with cotton plants. Seeds of both plants were sowed 14 days after UFV-TM100 was incorporated to the substrate. Plants were harvested 60 days after sowed, in the experiment with okra, and after 90 days in cotton. In the experiment with cotton, despite the application of the fertilizer, a reduction in plant size and seed germination was observed, although a reduction of the number of root knots and nematode eggs was also observed. Similar results were perceived in okra plants. To evaluate the effect of basalt dust in M. javanica control and tomato plants development, dosages were tested as follows: 1- one dosage of UFV-TM100 (15 g L-1 of substrate); 2- one dosage of basalt dust (7,5 g L-1 of substrate) and 3- control treatment (only nematodes). The organo-mineral fertilizer and basalt dust were then incorporated into 2L soil to fill pots that were later infested with 5.000 eggs of M javanica. After 15 days, tomato seedlings with 21 days old were transplanted into these plots to be evaluated 60 days after. Results showed that incorporation of the basalt dust to the soil had no effect in plant growth and production of nematode eggs, differing from the control treatment only in regard to the number of root knots. The formulation of UFV-TM100 was added to the dosages of basalt dust (0; 1,5; 3,0; 4,5; 6,0 e 7,5 g L-1 of substrate), in order to evaluate the influence of the basalt dust dosages applied together with the organo-mineral fertilizer in M. javanica control and tomato plant development. Basalt dust was then mixed with the organo-mineral fertilizer and incorporated with 2 L soil to fill pots that were infested with 5.000 M. javanica eggs. After 15 days tomato seedlings of 21 days old were transplanted to these pots and evaluated 60 days after. Application of increasing dosages of basalt dust with UFV- TM100 neither influenced on nematode control nor on development of tomato plants, demonstrating that basalt powder had no synergistic effect with UFV-TM100, thus is not recomended to be incorporated to its formulation.
Palavras-chave: Nematoides
Plantas - Controle de pragas
Meloidogyne
Ricinus communis
Fertilizante organomineral
Nematodes
Plants - Pest control
Meloidogyne
Ricinus communis
Organic-fertilizer
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA::FITOSSANIDADE::FITOPATOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Etiologia; Epidemiologia; Controle
Programa: Mestrado em Fitopatologia
Citação: FERREIRA, Fernanda Carla. Control of Meloidogyne spp. in cotton and okra plants with organo-mineral fertilizer UFV-TM100, and the effect of the fertilizer in combination with basalt dust on tomato plants. 2014. 59 f. Dissertação (Mestrado em Etiologia; Epidemiologia; Controle) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2014.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/4430
Data do documento: 21-Fev-2014
Aparece nas coleções:Fitopatologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf461,4 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.