Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/4432
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorCaires, Nilmara Pereira
dc.date.accessioned2015-03-26T13:37:53Z-
dc.date.available2015-02-02
dc.date.available2015-03-26T13:37:53Z-
dc.date.issued2013-07-16
dc.identifier.citationCAIRES, Nilmara Pereira. Infection process of Botrytis cinerea on eucalyptus leaves. 2013. 37 f. Dissertação (Mestrado em Etiologia; Epidemiologia; Controle) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2013.por
dc.identifier.urihttp://locus.ufv.br/handle/123456789/4432-
dc.description.abstractO mofo cinzento (MC), causado por Botrytis cinerea, é uma importante doença que ocorre na produção de mudas de eucalipto. Assim, uma melhor compreensão da interação B. cinerea - eucalipto e as condições que favorecem o desenvolvimento do patógeno são a chave para a definição de estratégias eficazes para o controle da doença. Este trabalho objetivou estudar alguns aspectos do processo infeccioso de B. cinerea em folhas de eucalipto urograndis: avaliar a influência da face foliar (adaxial ou abaxial), idade da folha e luminosidade (claro ou escuro), no desenvolvimento de estruturas infectivas (tubo germinativo e apressórios) e severidade do mofo cinzento; elucidar o processo infeccioso: pré-penetração e penetração, colonização e reprodução de B. cinerea em folhas de eucalipto através de imagens de microscopia eletrônica de varredura (MEV). Em todos os experimentos foram utilizadas folhas destacadas de eucalipto urograndis (clone CNB011) e suspensão de 10 5 conídios de B. cinerea/mL para inoculação. Os estudos para avaliar o efeito da face foliar inoculada, luminosidade e da idade da folha no desenvolvimento de estruturas infectivas do fungo foram realizados na superfície de fragmentos de folhas inoculadas, coletadas 6 horas após a inoculação (hai), clareadas com álcool e cloral hidratado e observadas sob um microscópio óptico. A severidade do MC foi avaliada 10 dias após a inoculação. Para análises de microscopia eletrônica de varredura, fragmentos de folhas foram coletadas com 2, 4, 6, 12, 24 e 48 hai. Houve efeito significativo da face foliar e da luz na a germinação de conídios. Maior porcentagem de germinação (92%) e severidade (21%) foram observadas na superfície adaxial de folhas incubadas no escuro. Embora a porcentagem de germinação de conídios sobre a superfície das folhas jovens e velhas não diferiu estatisticamente, a severidade da doença em folhas jovens foi 34 vezes superior quando comparada com as folhas velhas (17,3% e 0,5%, respectivamente). Foram observadas por microscopia eletrônica de varredura conídios germinando produzindo de 1 a 4 tubos germinativos, mas não foi observada a formação de apressórios. Os tubos germinativos penetraram diretamente na superfície de folhas intactas (nunca por estômatos). às 120 hai houve intensa colonização extra e intracelular do mesófilo por hifas do patógeno. O fungo reproduziu-se produzindo conidioforos do tipo macronematosos (na superfície foliar de ambas as faces) e micronematosos (na região subepidérmica). Embora o processo infeccioso de B. cinerea em diversos hospedeiros esteja bem descrito, este é o primeiro estudo envolvendo este patógeno e folhas de eucalipto.pt_BR
dc.description.abstractGray mold (MC), caused by the fungus Botrytis cinerea, is one of the most important diseases that occurs in Eucalyptus nurseries worldwide. Therefore, a better understanding of the interaction between B. cinerea and Eucalyptus sp., including the conditions that favor pathogen growth, is key to the development of effective strategies for disease management. All experiments were carried on detached leaves on detached leaves of eucalyptus urograndis clone CNB011, inoculated with a suspension of 105 conidia of B. cinerea/mL. Prior to the evaluations to assess the effect of leaf side, age and luminosity the development of infective structures of the fungus, inoculated leaves were bleached with etanol and chloral hydrate and analyzed under an optical microscope. Disease severity was assessed 10 days after inoculation. SEM analyses were performed on leaf tissue collected 2, 4, 6, 12, 24 and 48 hours after inoculation (hai). There were significant effects of leaf side and luminosity on conidia germination. The highest germination percentage (92%) and severity (21%) were observed on the adaxial surface of leaves when incubated in the dark. Although the percentage of conidia germation on the surface of young and old leaves did not differ statistically, disease severity on young leaves was 34-fold higher when compared to old leaves (17.3% and 0,5% repectively). SEM analyses showed conidia germinated producing 1-4 germ tubes, but did not form appressorium. The germ tubes penetrated directly only the surface of intact leaves (but not stomata). Inter and intracellular colonization of the mesophyll by pathogen s hyphae could be observed at 120 hai. The fungus reproduces by producing macronematous conidiophores (on the leaf surface of both sides) and micronematous conidiophores (in the subepidermal region). Although the infectious process B. cinerea in different hosts are well described, this is the first study of this pathogen in eucalyptus leaves.eng
dc.description.sponsorship
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Viçosapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectEucalipto - Doenças e pragaspor
dc.subjectMofo-cinzentopor
dc.subjectMicroscopiapor
dc.subjectEucalyptus - Diseases and pestseng
dc.subjectGray moldeng
dc.subjectMicroscopyeng
dc.titleProcesso infeccioso de Botrytis cinerea em folhas de eucaliptopor
dc.title.alternativeInfection process of Botrytis cinerea on eucalyptus leaveseng
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/0791086491131770por
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentEtiologia; Epidemiologia; Controlepor
dc.publisher.programMestrado em Fitopatologiapor
dc.publisher.initialsUFVpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA::FITOSSANIDADE::FITOPATOLOGIApor
dc.contributor.advisor1Furtado, Gleiber Quintão
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1676492508949464por
dc.contributor.referee1Kasuya, Maria Catarina Megumi
dc.contributor.referee1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4721444T5por
dc.contributor.referee2Rodrigues, Fabrício de ávila
dc.contributor.referee2Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4709080E6por
dc.contributor.referee3Pereira, Olinto Liparini
dc.contributor.referee3Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4767879D4por
Aparece nas coleções:Fitopatologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,14 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.