Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/4435
Tipo: Dissertação
Título: Efeito do silício no desenvolvimento da mancha marrom do trigo: componentes de resistência e respostas fisiológicas e bioquímicas
Título(s) alternativo(s): Silicon effect on brown leaf spot development: resistance components and physiological and biochemical responses
Autor(es): Domiciano, Gisele Pereira
Primeiro Orientador: Vale, Francisco Xavier Ribeiro do
Primeiro coorientador: Rodrigues, Fabrício de ávila
Segundo coorientador: Jesus Júnior, Waldir Cintra de
Primeiro avaliador: Pereira, Olinto Liparini
Segundo avaliador: Dhingra, Onkar Dev
Abstract: Este trabalho objetivou avaliar o efeito do silício (Si) em alguns componentes de resistência de plantas de trigo à mancha marrom causada por Bipolaris sorokiniana bem como, respostas fisiológicas e bioquímicas potencializadas por esse elemento. Para isso, plantas das cultivares de trigo, BR-18 e BRS-208 foram crescidas em vasos contendo 0 e 0,30 g Si/kg de solo e inoculadas aos 45 dias após emergência com B. sorokiniana. Foram avaliados os componentes de resistência: período de incubação (PI), número médio de lesões por cm2 de área foliar (NL), tamanho médio de lesão (TML) e área abaixo da curva do progresso da mancha marrom (AACPMM). Para avaliar se o Si poderia potencializar respostas fisiológicas e bioquímicas mensurou-se a taxa fotossintética (TF), a concentração de compostos fenólicos solúveis totais (CFST), a concentração de derivados da lignina-ácido tioglicólico (LATG), e a atividade das enzimas quitinases (QUI), peroxidades (POX) e polifenoloxidases (PFO). Neste estudo verificou-se que a concentração foliar de Si foi 90,5% superior em plantas supridas com esse elemento em relação às plantas não supridas com Si. Nas folhas das plantas supridas com Si foi observado grande deposição de Si em ambas as cultivares por meio de microanálise de raios-X. Nessas plantas, o PI foi prolongado em cerca de 10 h, possivelmente pelo impedimento físico à penetração do fungo oriundo da deposição desse elemento na superfície foliar. Verificou-se também que em plantas supridas com Si este elemento reduziu o NML, o TML e a AACPMM em 38%, 58% e 62%, respectivamente, em relação a plantas não supridas com Si. Além disso, as concentrações foliares de Si correlacionaram-se positivamente com o PI (r = 0,62) e negativamente com a AACPMM e o TML (r = -0,57 e -0,70, respectivamente). Os componentes de resistência de plantas supridas com Si e inoculadas com B. sorokiniana foram diferentes daqueles mensurados em plantas inoculadas e não supridas com esse elemento. Como houve variação apenas desse elemento nos experimentos podemos concluir que o Si aumentou a resistência de plantas de trigo à mancha marrom. A TF foi reduzida nas folhas bandeira e em folhas abaixo da folha bandeira das plantas das duas cultivares de trigo a partir de 48 horas após a inoculação (HAI). Porém, em plantas supridas com Si a TF manteve-se mais elevada no decorrer das avaliações, possivelmente devido a menor severidade da mancha marrom nessas plantas. Alterações na produção de CFST e na concentração dos derivados da LATG também foram observadas. Apesar da produção de CFST ter oscilado, esta foi significativamente menor em folhas de plantas supridas com Si durante o período amostrado. Mas é pouco provável que tenha contribuído para aumentar a resistência do trigo à mancha marrom. Entretanto, na presença de Si, o decréscimo na concentração de CFST, em plantas supridas com Si, foi acompanhado com aumento na LATG e decréscimo na severidade da mancha marrom. Altas concentrações de LATG em plantas inoculadas e supridas com Si podem ter contribuído para aumento no nível de resistência das cultivares de trigo à mancha marrom. A atividade das QUI foi significativamente maior em plantas de ambas as cultivares supridas com Si a partir das 48 HAI. A atividade da POX foi maior apenas em plantas da cultivar BRS- 208 supridas com Si. Uma vez que plantas supridas com esse elemento apresentaram baixa severidade da doença a maior atividade das enzimas QUI e POX podendo indicar a participação dessas enzimas na defesa de plantas de trigo à mancha marrom. PFO, entretanto não teve sua atividade alterada em plantas supridas ou não com Si. Dos resultados deste estudo resultam as primeiras evidências de que o Si afeta a severidade da mancha marrom pela alteração de alguns componentes de resistência e pela potencialização de repostas de defesa fisiológicas e bioquímicas. Dessa forma, o Si tem grande potencial para ser usado como medida no manejo da mancha marrom do trigo no futuro.
The objective of this work was to evaluate the effect of silicon (Si) in some resistance components of wheat plants against brown leaf spot (BLS), caused by Bipolaris sorokiniana as well as, physiological and biochemical defence responses induced by this element. To do so, plants of two wheat cultivars, BR-18 and BRS- 208, were grown in pots containing 0 and 0.30 g Si/kg of soil and inoculated 45 days after emergency with B. sorokiniana. Incubation period (IP), mean lesion number by cm2 of leaf area (MLN), mean lesion size (MLS) and the area under the disease progress curve (AUDPC) were measured to evaluated silicon effect on resistance components. Photosynthetic rate (PR), total soluble phenolyc compounds concentration (TSPCC), lignin acid tioglycolic derivates concentration (LATDC) and enzymatic activity of quitinases (QUI), peroxidases (POX) and poliphenoloxidase (POD) were measured to evaluate if silicon could induce physiological and biochemical responses. It was verified in this study that silicon concentration was 90,5% higher in plants supplied with this element in comparison with control plants. Moreover, it was observed a higher level of silicon deposition on leafs of both cultivars supplied with this element was revealed by means of X-rays microanalysis. In these plants the IP was prolonged in near 10h in silicon supplied plants, possibly due to physical blocking effect that this element have on fungus penetration. It was also verified that in plant supplied with silicon this element reduced the MLN, the MLS and the AUDPC in 30%, 58% and 68%, respectively, in comparison with control plants. And more, silicon concentrations correlated positively with IP (r = 0.62) and negatively with AUDPC and MLS (r = -0.57 and -0.70, respectively). The resistance components of plants supplied with Si and inoculated with B. sorokiniana were different from those measured in plants inoculated e not supplied with this element. Since silicon was the only source of variation in the experiments it can be conclude that Si enhances resistance of wheat plants against spot brown. The PR was reduced in leafs and flag leafs of plants of both cultivars after 48 hours after inoculation (HAI). However, in plants supplied with silicon, the PR was kept higher during all evaluation, possibly due to low severity of BLS in these plants. Alterations in TSPCC and LATDC due to silicon effect were also observed. Even though TSPCC oscillated a bit, it was significantly lower in leafs of silicon supplied plants during the evaluation time, although it ́s unlike that it contributed for enhancing wheat resistance to BLS. However, in the presence of silicon the decrease in TSPCC was accompanied with increase of LATDC and decrease in BLS severity. Higher concentrations of LATD in plants supplied with silicon and inoculated with B. sorokiniana, may have contributed to enhancement of cultivars resistance against BLS. QUI activity was significantly enhanced in plants of both cultivars supplied with silicon after 48 HAI. POX activity was increased only in plants of cultivar BRS- 208 supplied with silicon. Since plants supplied with silicon showed low BSP severity the high activity of QUI and POX may indicate that these enzymes participates in wheat defense against BLS. PFO activity, however, did not significantly changed between plants supplied or not with silicon. The results of this study are first evidences that silicon affects BLS severity by altering wheat resistance components to BLS and by the potentialization of physiological and biochemical responses. Silicon has then, a great potential to be used as a BLS management measure in near future.
Palavras-chave: Trigo - Doenças e pragas - Aspectos fisiológicos
Trigo - Doenças e pragas - Aspectos bioquímicos
Trigo - Efeito do silício
Bipolaris sorokiniana
Epidemiologia
Wheat - Diseases and pests - Physiological aspects
Wheat - Diseases and pests - Biochemical aspects
Wheat - Effect of silicon
Bipolaris sorokiniana
Epidemiology
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA::FITOSSANIDADE::FITOPATOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Etiologia; Epidemiologia; Controle
Programa: Mestrado em Fitopatologia
Citação: DOMICIANO, Gisele Pereira. Silicon effect on brown leaf spot development: resistance components and physiological and biochemical responses. 2008. 62 f. Dissertação (Mestrado em Etiologia; Epidemiologia; Controle) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2008.
Tipo de Acesso: Acesso Embargado
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/4435
Data do documento: 21-Fev-2008
Aparece nas coleções:Fitopatologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf799,35 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.