Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/4533
Tipo: Dissertação
Título: Desenvolvimento do fruto de maracujazeiro doce (Passiflora alata Curtis) em Viçosa, Minas Gerais
Título(s) alternativo(s): Fruit development of sweet passion fruit (Passiflora alata Curtis) in Viçosa, Minas Gerais
Autor(es): Alves, Robson Ribeiro
Primeiro Orientador: Salomão, Luiz Carlos Chamhum
Primeiro coorientador: Siqueira, Dalmo Lopes de
Segundo coorientador: Cecon, Paulo Roberto
Primeiro avaliador: Grossi, José Antônio Saraiva
Segundo avaliador: Silva, Danielle Fabíola Pereira da
Abstract: Objetivou-se acompanhar as mudanças físicas, químicas e fisiológicas ocorridas durante o desenvolvimento dos frutos do maracujazeiro doce, da antese até o completo amadurecimento na planta e avaliar as relações entre os componentes do fruto. Foram coletados 20 frutos por semana, divididos em quatro repetições de cinco frutos. O desenvolvimento foi avaliado quanto a percentual de vingamento das flores, comprimento, diâmetro e volume do fruto, espessura, luminosidade e ângulo hue do pericarpo, massa da matéria fresca do fruto, da polpa, do pericarpo e das sementes, massa da matéria seca do pericarpo e das sementes, sólidos solúveis, vitamina C, acidez titulável e produção de CO2. Os frutos apresentaram formato ligeiramente oblongo, padrão de desenvolvimento sigmoidal simples para a maioria das características e padrão climatérico para a respiração. O desenvolvimento do fruto foi dividido em três fases: fase de divisão celular até 4,70 dias após a antese (daa), fase de expansão celular de 4,70 daa até 28,94 daa e fase de maturação, de 28,94 a 91 daa. Na primeira fase, há pouco incremento nas dimensões do fruto, altas taxas respiratórias, crescimento acelerado da espessura do pericarpo e coloração do pericarpo verde-claro. Na fase seguinte, há intenso desenvolvimento das dimensões do fruto, ganho acelerado de massa da matéria fresca e coloração do pericarpo verde-intenso. Na terceira fase, há tendência à estabilização das dimensões, desenvolvimento de polpa acentuado, o teor de sólidos solúveis aumenta, os teores de vitamina C e acidez titulável diminuem. O pico do climatério foi registrado aos 63 daa. No último dia de avaliação, aos 91 daa a polpa (suco + sementes) representava 24,46% da massa fresca total do fruto, o pericarpo respondia por 74,10% e as sementes isoladas, por 3,14%. Em experimento conduzido à parte, 100 frutos foram colhidos no estágio final do amadurecimento, quando o pericarpo apresentava forte coloração amarelo-palha. Os frutos foram analisados quanto às características físicas e químicas e os dados foram submetidos à análise de correlação de Pearson. Observou-se grande variação entre os valores de cada característica, sobremaneira para massa da matéria fresca e volume dos frutos e massa da matéria fresca do pericarpo, que apresentaram valores médios de 194,53 ± 42,19 g, 253,85 ± 49,73 cm3 e 143,30 ± 40,50 g, respectivamente. O número de sementes apresentou variação de 110 a 379 por fruto. Verificaram-se correlações significativas entre a maioria das características avaliadas. O diâmetro apresentou maior correlação (0,8216**) com a massa da matéria fresca do fruto que o comprimento (0,7633**). Além da massa da matéria fresca do fruto, o diâmetro apresentou correlação positiva com a massa da matéria fresca da polpa e negativa com o percentual de polpa, indicando que frutos maiores têm, proporcionalmente, menos polpa que os menores. A massa da matéria seca das sementes apresentou correlação positiva com a massa da matéria fresca da polpa (0,6248**) e com a porcentagem de polpa (0,4375**). Semelhantemente, o número de sementes também apresentou correlação positiva com a massa da matéria fresca da polpa (0,5119**) e com a porcentagem de polpa (0,3957**), indicando que frutos com mais sementes apresentam maior rendimento de polpa. Contudo, houve correlação negativa entre número de sementes e teor de sólidos solúveis (-0,2161*), sugerindo a diluição do suco devido ao maior número de sementes e ao aumento da proporção de polpa. Também houve correlação negativa entre a espessura e a massa da matéria fresca do pericarpo e a porcentagem de polpa, indicando que a casca mais espessa reduz o diâmetro da cavidade interna do fruto, onde se acumula a polpa comestível.
The objective of this study was to monitor the physical, chemical and physiological occurrences during the development of the fruit of sweet passion fruit, from anthesis to ripening in the plant, and to assess the relationships between the components of the fruit. We collected 20 fruits per week, divided into four repetitions of five fruits. The development was assessed as the percent of fruit set, length, diameter and volume of fruit, thickness, brightness and hue angle of the pericarp, fresh weight of the fruit, pulp, pericarp and seeds, dry matter of the pericarp and seeds, soluble solids, vitamin C, titratable acidity and CO2 production. The fruits had a slightly oblong shape, a simple sigmoidal pattern of development for most features and the climacteric pattern for respiration. Fruit development was divided into three phases: cell division phase up to 4.70 days after anthesis (daa), cell expansion phase from 4.70 daa to 28.94 daa and a maturation phase from 28.94 to 91 daa. In the first phase, there is little increase in fruit size, high respiratory rates, rapid growth of the pericarp thickness, with a clear green coloring. In the next phase, there is intense development of the fruit’s dimensions, accelerated weight gain of fresh matter and an intense green coloration of the pericarp. In the third phase, there is a tendency to stabilize dimensions, rapid development of pulp, the soluble solids content increases and vitamin C and titratable acidity decrease. The climacteric peak was recorded at 63 daa. On the last day of evaluation, at 91 daa, the pulp (juice + seeds) accounted for 24.46% of total fresh weight of the fruit, the pericarp accounted for 74.10% and isolated seeds for 3.14%. In a separate experiment, 100 fruits were harvested at the final stage of ripening, when the pericarp showed strong strawyellow coloring. The fruits were analyzed for their physical and chemical characteristics and the data were analyzed by the Pearson correlation. Great variations between the values of each feature were found, especially for fresh weight and fruit volume and the fresh weight of pericarp, which showed average values of 194.53 ± 42.19 g, 253.85 ± 49.73 cm3 and 143.30 ± 40.50 g, respectively.The number of seeds ranged from 110 to 379 per fruit, and there were significant correlations among most traits. The diameter presented the highest correlation (0.8216 **) with the fresh weight of the fruit than the length (0.7633 **). Besides the fresh weight of the fruit, the diameter was positively correlated with the fresh weight of the pulp and negatively with the percentage of pulp, indicating that large fruits have proportionally less pulp than smaller ones. The dry weight of the seeds was positively correlated with the fresh weight of the pulp (0.6248 **) and the percentage of pulp (0.4375 **). Similarly, the number of seeds was positively correlated with fresh weight of the pulp (0.5119 **) and the percentage of pulp (0.3957 **), indicating that fruits with more seeds have a higher pulp yield. However, there was a negative correlation between seed number and total soluble solids (-0.2161 *), suggesting the dilution of the juice due to the greater number of seeds and the increase in the proportion of pulp. There was also a negative correlation between the thickness and the fresh weight of the pericarp and pulp percentage, indicating that the thicker shell decreases the diameter of the inner cavity of the fruit, where the edible pulp accumulates.
Palavras-chave: Análise de crescimento
Qualidade do fruto
Análise de correlação
Growth analysis
Fruit quality
Correlation analysis
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA::FITOTECNIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Plantas daninhas, Alelopatia, Herbicidas e Resíduos; Fisiologia de culturas; Manejo pós-colheita de
Programa: Mestrado em Fitotecnia
Citação: ALVES, Robson Ribeiro. Fruit development of sweet passion fruit (Passiflora alata Curtis) in Viçosa, Minas Gerais. 2010. 55 f. Dissertação (Mestrado em Plantas daninhas, Alelopatia, Herbicidas e Resíduos; Fisiologia de culturas; Manejo pós-colheita de) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2010.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/4533
Data do documento: 18-Ago-2010
Aparece nas coleções:Fitotecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf2,02 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.