Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/4536
Tipo: Dissertação
Título: Características físicas e químicas de laranjas ´Pêra Rio´,´Natal´ e ´Valência´ provenientes de diferentes posições na copa.
Título(s) alternativo(s): Physical and chemical characteristics of oranges ´Pêra Rio´, ´Natal´ e ´Valência´ from different positions at the canopy.
Autor(es): Carvalho, Lorena Moreira
Primeiro Orientador: Siqueira, Dalmo Lopes de
Primeiro coorientador: Salomão, Luiz Carlos Chamhum
Segundo coorientador: Cecon, Paulo Roberto
Primeiro avaliador: Flores, Patrícia Silva
Segundo avaliador: Motoike, Sérgio Yoshimitsu
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar a variação das características físicas e químicas dos frutos nas diferentes posições da copa de laranjeiras Pera Rio, Valência e Natal. Os frutos foram colhidos em pomar comercial localizado em Visconde do Rio Branco, MG. Foram selecionadas cinco plantas de cada um dos cultivares Pera Rio, Natal e Valência. A copa foi dividida em três alturas (basal, intermediária e apical), dois lados (lados opostos da copa, voltados para as entrelinhas Leste e Oeste (Pera Rio e Natal) e Sudeste e Noroeste (Valência) e duas posições (periferia e 30 cm para o interior da copa). A colheita dos frutos dos cultivares Pera Rio e Natal ocorreu em 09/07/09 e a do cultivar Valência, no dia 18/08/09. Após a colheita, os frutos foram encaminhados ao Laboratório de Análise de Frutas da Universidade Federal de Viçosa, em Viçosa, MG. As características avaliadas foram: massa fresca (MF), diâmetros longitudinal (DL) e transversal (DT), espessura do albedo (EA) e flavedo (EF), cor da casca e da polpa (° Hue), sólidos solúveis (SS), acidez titulável (AT), vitamina C (VC), índice de maturação (IM) e rendimento do suco (RS). Para Pera Rio, os frutos da periferia da copa apresentaram maiores valores de MF, DL, DT e EF, teor de SST e IM e coloração da casca mais amarela que os frutos da parte interna da copa. Nas concentrações de VC e AT, os frutos colhidos da periferia da copa foram os que continham menores concentrações. Em relação às alturas da copa, observou-se que, nos frutos colhidos na parte apical da copa, a MF e o DL foram maiores do que nos colhidos da parte basal. Nos frutos voltados para a face Oeste, verificaram-se os maiores teores de SS e IM. Na laranjeira Natal, os maiores valores de MF, DL, EA, teor de SS e IM foram observados nos frutos colhidos da periferia da copa. Nessa mesma posição, também foram observados os frutos com as menores concentrações de VC e AT e coloração da casca mais próxima do amarelo do que os frutos da parte interna da copa. Os frutos colhidos na parte apical foram os que apresentaram maiores valores de MF, DT e IM e menor AT do que os da parte basal da copa. Na face voltada para Oeste da copa, os frutos mostraram maior teor de SS. Nos frutos colhidos da face Leste foram encontrados os menores ° hue da polpa, indicando cor próxima do amarelo em todas as alturas avaliadas. Na laranjeira Valência, os frutos colhidos na periferia da copa apresentaram maior IM, maior teor de SS, menor concentração de VC, cor da polpa mais amarela e coloração da casca mais alaranjada em relação aos frutos da parte interna da copa. Observou-se também que frutos posicionados na face Noroeste da planta continham maior RS, maior concentração de VC, maior teor de SS e maior IM quando comparados com os frutos da face Sudeste. Entre os lados Noroeste/Sudeste não e observaram diferenças estatísticas nas três alturas, no entanto entre os lados os frutos colhidos na parte apical da face Sudeste foram os que apresentaram maiores valores de MF. Com este trabalho foi possível determinar que os frutos colhidos da periferia da copa e da parte apical foram os mais doces e menos ácidos, com maior MF e maior IM. Para definição do ponto de colheita dentro dos parâmetros exigidos para melhor qualidade das laranjas, recomendam-se técnicas de amostragens em vários pontos da planta, pois há variações nas características físicas e químicas em relação às diferentes posições na copa.
The aim of this study was to evaluate the variation of physical and chemical characteristics of fruits in different positions in the canopy of Pera Rio, Valencia and Natal orange trees. The fruits were harvested from a commercial orchard in Visconde do Rio Branco, Brazil. We selected five plants of each Pera Rio, Natal and Valencia cultivar. The canopy was divided into three heights (low, middle and apical), two sides (opposite sides of the canopy, facing the division - East and West (Pera Rio and Natal) and the Southeast and Northwest (Valencia) and two positions (periphery and 30 cm into the canopy). Harvesting the fruits of the Pera Rio and Natal cultivars occurred on 09/07/2009 and the Valencia cultivar on 18/08/2009. After the harvest, fruits were sent to the Laboratório de Análise de Frutas, Universidade Federal de Viçosa in Viçosa, MG. The characteristics evaluated were: fresh weight (MF), longitudinal diameter (DL) and transverse diameter (TD), the thickness of the albedo (EA) and flavedo (EF), the color of the skin and pulp (°Hue), soluble solids (SS) , titratable acidity (TA), vitamin C (VC), maturation index (MI) and juiciness (RS). For Pera Rio, the fruits from the periphery of the canopy had higher values of MF, DL, DT and EF, TSS and IM and the peel had a more yellow color than the fruits of the inner canopy. For the concentrations of VC and TA, the fruits harvested from the periphery of the canopy were those that contained lower concentrations. In relation to the heights of the canopy, it was observed that in fruit harvested in the apical part of the canopy, the MF and LL were greater than those harvested from the basal portion. In fruits facing the west side, there were higher contents of SS and IM. In the Natal orange, the highest values of MF, DL, EA, SS content and MI were observed in fruits harvested from the periphery of the canopy. In this same position, the fruits were also observed to have lower concentrations of VC and AT and the coloration of the peel was closer to yellow than the fruits of the inner canopy. The fruits harvested in the apical part showed the highest values of MF, DT and IM and lesser AT than the basal part of the canopy. In the west face of the canopy, the fruit showed higher contents of SS. In fruits harvested from the east side, the least °hue of the pulp was found, indicating a yellow color in all the heights evaluated. In the Valencia oranges, the fruits harvested at the periphery of the canopy had a higher IM, a higher level of SS, a lower concentration of VC, yellower pulp color and a more orange peel color in relation to the fruit inside the canopy. We also observed that fruits positioned on the Northwest face of the tree contained greater RS, higher concentrations of VC, increased SS content and higher IM compared with the fruits facing the Southeast. No statistical differences were found between the northwest/southeast side at the three heights, however the sides of the fruit harvested at the apical face of the Southeast showed the highest values of MF. This work determined that the fruits harvested from the periphery of the canopy and the apical were sweeter and less acidic, with greater MF and greater IM. To define the point of harvest within the parameters required for a better quality of oranges, sampling techniques at various points of the tree are recommended as there are variations in the physical and chemical characteristics in relation to different positions in the canopy.
Palavras-chave: Critérios de amostragem
Laranjas doces, Qualidade do fruto
Ssampling criteria
Sweet oranges
Fruit quality
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA::FITOTECNIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Plantas daninhas, Alelopatia, Herbicidas e Resíduos; Fisiologia de culturas; Manejo pós-colheita de
Programa: Mestrado em Fitotecnia
Citação: CARVALHO, Lorena Moreira. Physical and chemical characteristics of oranges ´Pêra Rio´, ´Natal´ e ´Valência´ from different positions at the canopy.. 2010. 65 f. Dissertação (Mestrado em Plantas daninhas, Alelopatia, Herbicidas e Resíduos; Fisiologia de culturas; Manejo pós-colheita de) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2010.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/4536
Data do documento: 16-Jul-2010
Aparece nas coleções:Fitotecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,26 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.