Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/5182
Tipo: Dissertação
Título: Controle biológico de Echinostoma Paraensei pelo fungo nematófago Pochonia chlamydosporia
Título(s) alternativo(s): Biological control of Echinostoma Paraensei by nematophagous fungus Pochonia chlamydosporia
Autor(es): Lelis, Rosane Teixeira
Primeiro Orientador: Araújo, Jackson Victor de
Primeiro coorientador: Braga, Fábio Ribeiro
Primeiro avaliador: Oliveira, Leandro Licursi de
Abstract: Echinostoma paraensei é um trematóide do gênero Echinostoma que pode causar a equinostomíase em humanos. Os objetivos desse trabalho foram avaliar a atividade ovicida dos isolados VC1 e VC4 do fungo nematófago Pochonia chlamydosporia em meio sólido ágar- água 2% sobre ovos de Echinostoma paraensei, selecionando o isolado mais eficaz (ensaio A); avaliar o efeito ovicida (destruição dos ovos) do isolado mais eficaz em meios de cultura ágar suplementados (ensaio B) e avaliar a capacidade ovicida do extrato bruto enzimático do melhor isolado sobre ovos de E. paraensei (ensaio C). Mil ovos de E. paraensei (ensaio A) foram colocados em placas de Petri contendo ágar-água 2% (AA 2%) com um isolado do fungo P. chlamydosporia crescido (VC1 ou VC4) durante 10 dias, e sem fungo como controle. Seis repetições foram feitas para ambos o grupo tratado e controle. Após 15 dias, cerca de cem ovos foram retirados de cada placa e classificados de acordo com os seguintes parâmetros: tipo 1, efeito fisiológico sem prejuízo morfológico à casca do ovo, onde hifas são observadas aderidas à casca; tipo 2, efeito lítico com alteração morfológica da casca e embrião do ovo, com penetração de hifas através da casca; e tipo 3 efeito lítico com alteração morfológica do embrião e da casca, além de penetração de hifas e colonização interna do ovo. No ensaio B, ovos de E. paraensei foram colocados em placas de Petri com diferentes meios de cultura ágar suplementados: ágar-quitina 2% (AQ 2%), corn-meal-ágar 2% (CMA 2%), ágar-água 2% (AA 2%) e ágar- amido 2% (SSA 2%) com o isolado VC4 (o mais eficaz), no grupo controle não foram utilizados fungos. Seis repetições foram feitas para cada tratamento. Depois de 25 dias, cem ovos foram retirados de cada placa e o efeito ovicida foi avaliado de acordo com os parâmetros já citados. No ensaio C, mil ovos de E. paraensei foram vertidos para placas de Petri com 5ml de extrato bruto do isolado VC4 constituindo o grupo tratado. O grupo controle tinha 1.000 ovos em 10 ml de água destilada nas placas de Petri. Cada tratamento foi constituído por seis repetições. Após 7 dias, foram contados o número total de ovos de E. paraensei presentes em cada placa dos grupos tratado e controle de acordo com a metodologia descrita por Mukhtar e Pervaz. No ensaio A, foi observado que não houve diferença (p>0,05) na atividade ovicida entre os isolados testados, contudo, o maior percentual para a atividade ovicida (efeito do tipo 3) foi demonstrado pelo isolado VC4. No ensaio B, o meio de cultura ágar- amido 2% (SSA 2%) apresentou os melhores resultados para a destruição dos ovos ao final de 25 dias de interação, com um percentual de 46.6%. No ensaio C, o extrato bruto de VC4 demonstrou ser eficaz na destruição dos ovos de E. paraensei ao final de 7 dias com um percentual de redução de 53%. Os resultados dos ensaios experimentais in vitro A, B e C demonstraram que P. chlamydosporia (VC1 e VC4) influenciou de forma negativa sobre os ovos de E. paraensei, e assim pode ser considerado como um potencial candidato a controlador biológico desse helminto.
Echinostoma paraensei is a trematode of the genus Echinostoma that can cause echinostomiasis in humans. The aims of this study were to evaluate the ovicidal activity of the isolates VC1 and VC4 of the nematophagous fungus Pochonia chlamydosporia on solid medium containing 2% water-agar(2% WA) on eggs of E. paraensei, selecting the most efficient isolate (assay A), evaluate the ovicidal effect (destruction of eggs) of most effective isolate on supplemented agar culture media (assay B), and to evaluate the ovicidal capacity of crude enzymatic extract of most effective isolate on E. paraensei eggs (assay C). One thousand eggs of E. paraensei (assay A) were placed in Petri dishes containing 2% WA with one isolate of fungus P. chlamydosporia (VC1 or VC4) grown for 10 days, and without fungus as control. Both the treated and control group consisted of six replicates. After 15 days, approximately one hundred eggs were removed from each dish and classified according to the following parameters: type 1 effect, physiological effect without morphological damage to eggshell, where hyphae are observed attached to the shell; type 2 effect, lytic effect with morphological alteration of embryo and egg shell with hyphal penetration through the shell; and type 3 effect, lytic effect with morphological alteration of embryo and eggshell, in addition to hyphal penetration and internal egg colonization. In assay B, E. paraensei eggs were placed in Petri dishes with different supplemented agar culture media: 2% chitin- agar (2% AC), 2% corn-meal-agar (2% CMA), 2% WA and 2% starch- agar (2% SSA) with isolate VC4 (the most effective); in control group were not used fungus. Each treatment consisted of six replicates. After 25 days, one hundred eggs were removed from each dish and the ovicidal effect was evaluated according to the parameters already mentioned. In assay C, one thousand E. paraensei eggs were poured into Petri dishes with 5 ml of isolate VC4 crude extract constituting the treated group. The control group contained one thousand eggs in 10 ml of distilled water in Petri dishes. Each treatment consisted of six replicates. After 7 days, the total number of E. paraensei eggs present on each dish of the treated and control groups were counted according to the methodology described by Mukhtar and Pervaz. In assay A, there was no difference (p > 0.05) in ovicidal activity among the tested isolates; however, the highest percentage for ovicidal activity (type 3 effect) was demonstrated by the isolate VC4. In assay B, the culture medium starch agar showed the best results for the destruction of the eggs at the end of 25 days of interaction, with a percentage of 46.6%. In assay C, the crude extract of VC4 was effective in the destruction of E. paraensei eggs at the end of 7 days, with a percentage reduction of 53%. Results of in vitro experimental assay A, B and C have shown that P. chlamydosporia (VC1 and VC4) had negative influence on the E. paraensei eggs, and thus can be considered as a potential candidate for the biological control of this helminth.
Palavras-chave: Controle biológico
Fungos nematófagos
Pochonia Chlamydosporia
Echinostoma Paraensei
Biological control
Fungi Nematophagous
Pochonia chlamydosporia
Echinostoma Paraensei
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::MEDICINA VETERINARIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Biotecnologia, diagnóstico e controle de doenças; Epidemiologia e controle de qualidade de prod. de
Programa: Mestrado em Medicina Veterinária
Citação: LELIS, Rosane Teixeira. Biological control of Echinostoma Paraensei by nematophagous fungus Pochonia chlamydosporia. 2014. 58 f. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia, diagnóstico e controle de doenças; Epidemiologia e controle de qualidade de prod. de) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2014.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/5182
Data do documento: 20-Fev-2014
Aparece nas coleções:Medicina Veterinária

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf510,64 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.