Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/520
Tipo: Tese
Título: Influência das enzimas α-galactosidase e poligalacturonase na germinação de sementes de Dalbergia nigra (Leguminoseae- Papilonoidea)
Título(s) alternativo(s): Influence of the enzymes α-galactosidase and poligalacturonase in the Dalbergia nigra seed germination (Leguminoseae-Papilonoidea)
Autor(es): Pontes, Claudia Aparecida
Primeiro Orientador: Borges, Eduardo Euclydes de Lima e
Primeiro coorientador: Rezende, Sebastião Tavares de
Segundo coorientador: Araújo, João Marcos de
Primeiro avaliador: Dias, Denise Cunha Fernandes dos Santos
Segundo avaliador: Silva, Edvaldo Aparecido Amaral da
Abstract: Este trabalho teve como objetivos: i) quantificar e caracterizar as enzimas α-galactosidase e poligalacturonase (PG) em sementes de D. nigra, ii) verificar a composição e a alteração dos açúcares que compõem a parede celular e a fração péctica dos tegumentos das sementes durante a germinação. As sementes foram colocadas para embeber em água por 168 horas, sendo retiradas amostras para a caracterização bioquímica e cinética da enzima. A atividade da enzima α-galactosidase aumentou com a embebição nos dois compartimentos, embora não estivesse presente inicialmente no eixo embrionário de sementes secas. O pH de máxima atividade foi de 5,5 para ambos os compartimentos. A temperatura que mais estimulou a atividade nos cotilédones foi de 50 °C e de 50 a 60 °C no eixo embrionário. A enzima mostrou-se termotolerante, mas não foi possível determinar a meia-vida na temperatura de 40 °C, no período de 10 horas. A atividade da α-galactosidase foi inibida por β-mercaptoetanol e CuSO4 em ambos os compartimentos. A lactose e o cloreto de sódio estimularam a atividade tanto nos cotilédones como no eixo embrionário. Os valores de KM para o eixo embrionário e cotilédones foram de 0,239 e 0,228 mM, respectivamente. A enzima α-galactosidase está presente nas sementes de Dalbergia nigra e sua atividade específica aumenta durante o período de germinação. A atividade da PG foi detectada a partir do primeiro dia de embebição, tanto nos cotilédones como no eixo embrionário. A atividade máxima nos cotilédones foi detectada no segundo dia e, no eixo, no sexto dia de embebição. A variação no teor de proteínas foi significativa ao longo do tempo nos cotilédones e no eixo. A atividade de PG foi máxima nas temperaturas de 60°C nos cotilédones e de 55 a 60 °C no eixo embrionário. O pH 4,0 foi o de maior atividade da enzima para ambos os compartimentos. O KM foi de 5,08 e de 4,39 mM para os cotilédones e o eixo, respectivamente. O Vmax foi de 0,026 mM min-1para cotilédones e de 0,024 mM min-1 para eixo embrionário. Nos tegumentos, a atividade específica da PG foi máxima no terceiro dia. O teor de proteína se reduziu a partir da embebição. A atividade de PG foi máxima nas temperaturas de 40 a 50 °C. O pH de maior atividade da enzima ficou na faixa de 3 a 7. O KM e o Vmax foram de 1,34 mM e 0,012 μmol min-1, respectivamente. Verificou-se que a galactose é o principal componente da pectina, seguida pela manose. Na parede celular, o principal componente foi a arabinose, seguida pela xilose. Com base nos resultados, conclui-se que as enzimas α-galactosidase e PG atuam durante a germinação das sementes de Dalbergia nigra.
This work aimed to study the enzymes α-galactosidase and polygalacturonase and to verify the composition and the alteration of the cell wall sugars and the pectic component in the teguments of D. nigra seeds during the germination. The seeds were submitted to water imbibition for 168 hours. Samples of seeds were taken for the biochemical and kinetic characterization of the enzymes. Activity of the enzyme α- galactosidase increased with the imbibition, although it was not present initially in the embryonic axis of dry seeds. The maximum activity was obtained at ph 5.5 to both compartments. In the cotyledon the activity of the enzyme was higher at temperature of 50°C, and in the embryonic axis it was between 50 and 60°C. The enzyme was tolerant to temperature, but it was not possible to determine its half-life at the temperature of 40 °C, in the period of 10 hours. The activity of the α-galactosidase was inhibited by β- mercaptoethanol and CuSO4 in both compartments, the lactose and the sodium chloride stimulated the activity in the cotyledons and in the embryonic axis. The KM values for the embryonic axis and cotyledons were respectively 0,239 and 0,228 mM. The α-galactosidase is present in the seeds of Dalbergia nigra and its specific activity increases during the germination period. Activity of PG was detected from the first day of imbibition, in the cotyledons and in the embryonic axis. Maximum activity in the cotyledons was detected in the second day and in the axis in the sixth day of soaking. The variation in the proteins content was significant along the time in the cotyledons and in the axis. The activity of PG was maximal at the temperature of 60°C in the cotyledons and in the embryonic axis the maximal activity was observed in a range of temperatures from 55 to 60 °C. The activity of the enzyme was higher at pH 4,0 to all compartments. The KM was 5,08 and 4,39 mM for the cotyledons and axis, respectively. Vmax was 0,026 mM min-1 in the cotyledon enzyme and 0,024 mM min-1 for embryonic axis enzyme. In the teguments, activity of PG was maximal in the third day. The protein content reduced along the imbibition period. The activity of PG was maximal temperatures ranging from 40 to 50 °C. The pH of higher activity to this enzyme was obtained from pH 3 until pH 7,0. The KM and Vmax were 1,34 mM and 0,012 µmol min-1, respectively. It was verified that the galactose is the main component of the pectin, followed by the mannose. Arabinose was the most abundant component in the cell wall, followed by xylose. Based on the results, we can conclude that the enzymes α-galactosidase and PG are acting during the germination of Dalbergia nigra seeds.
Palavras-chave: Enzimas
α-galactosidase
Poligalacturonase
Germinação
Dalbergia nigra
Enzymes
α-galactosidase
Poligalacturonase
Germination
Dalbergia nigra
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS FLORESTAIS E ENGENHARIA FLORESTAL::SILVICULTURA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Manejo Florestal; Meio Ambiente e Conservação da Natureza; Silvicultura; Tecnologia e Utilização de
Programa: Doutorado em Ciência Florestal
Citação: PONTES, Claudia Aparecida. Influence of the enzymes α-galactosidase and poligalacturonase in the Dalbergia nigra seed germination (Leguminoseae-Papilonoidea). 2008. 66 f. Tese (Doutorado em Manejo Florestal; Meio Ambiente e Conservação da Natureza; Silvicultura; Tecnologia e Utilização de) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2008.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/520
Data do documento: 7-Mar-2008
Aparece nas coleções:Ciência Florestal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf370,8 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.