Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/5215
Tipo: Dissertação
Título: Plasma rico em plaquetas (PRP) associado ou não ao osso esponjoso autógeno no reparo de falhas ósseas experimentais
Título(s) alternativo(s): Platelet rich plasma (PRP) associated or not to autogenous bone graft on the reparation of experimental bone defects in the rabbits cranium
Autor(es): Silva, Paloma Sayegh Arreguy
Primeiro Orientador: Carlo, Ricardo Junqueira Del
Primeiro coorientador: Pompermayer, Luiz Gonzaga
Segundo coorientador: Viloria, Marlene Isabel Vargas
Primeiro avaliador: Borges, Andrea Pacheco Batista
Segundo avaliador: Bevilacqua, Paula Dias
Terceiro avaliador: Serakides, Rogéria
Abstract: O plasma rico em plaquetas (PRP) é composto por um grupo de polipeptídios que formam mediadores biológicos responsáveis pela regulação de eventos celulares. O presente estudo avaliou a influência do PRP autógeno, associado ou não ao auto-enxerto ósseo esponjoso (EOE), na reparação de quatro falhas criadas no crânio de 18 coelhos, por meio de exames mesoscópicos, radiográficos e microscópicos. A falha I foi preenchida com o PRP; a II com 3mg de EOE; a III com 3mg de EOE associado ao PRP e a falha IV não foi preenchida, servindo como controle. Após as cirurgias, os animais foram separados aleatoriamente em três grupos experimentais, e eutanasiados aos 30, 60 e 90 dias. Na avaliação mesoscópica, independentemente do período de observação, o preenchimento ósseo na falha controle e naquelas tratadas com PRP, iniciou-se a partir das bordas para o centro e do fundo para a superfície das falhas. Já nas falhas tratadas com EOE e com enxerto associado ao PRP foi notado crescimento ósseo na porção central das falhas. Na análise radiográfica, foi observada maior radiopacidade no interior das falhas dos animais tratados com EOE e naquelas tratadas com enxerto associado ao PRP, em todos os tempos. Aos 90 dias, todas as falhas dos animais tratados com EOE e enxerto associado ao PRP manifestaram opacidade semelhante à do osso receptor. Microscopicamente, aos 30 dias, na falha tratada com EOE associado ao PRP, os fragmentos do enxerto estavam indistintos do tecido ósseo neoformado presente em toda borda do defeito, associado à moderada quantidade de tecido conjuntivo fibroso muito vascularizado e celularizado. Este tecido apresentou material amorfo, eosinofílico e extracelular, junto a um processo inflamatório, constituído predominantemente por linfócitos e, em menor número, por macrófagos e células gigantes multinucleadas, e que podem ter influenciado negativamente na precocidade de formação óssea. Aos 60 e 90 dias, focos ocasionais de inflamação linfocitária foram observados em alguns animais, provavelmente pela absorção do gel. O comportamento dos dois tratamentos, PRP associado ou não ao EOE, em relação a preenchimento ósseo, foi semelhante ao final do período de observação; o enxerto, utilizado de forma isolada determinou precocidade de reparação óssea e a tromboplastina, utilizada para formação do gel de plaquetas, incitou uma reação semelhante a do tipo corpoestranho, que atuou negativamente na fase inicial de reparação.
Platelet rich plasma (PRP) is composed by polypeptides that forms biologic mediators responsible for the regulation of events influencing cell division, matrix synthesis and tissue differentiation. The present study evaluated autogenous PRP s influence on the reparation process of four bone defects made on eighteen rabbit s skull, associated or not to autogenous bone graft (EOE) by mesoscopic, radiographic and microscopic evaluations. Defect I received PRP only; defect II received 3mg of EOE only; defect III received EOE associated to PRP; defect IV was left to heal naturally, serving as control. After each surgery the animals were randomly divided into three groups of same number that were euthanized at 30, 60 and 90 days. In the mesoscopic evaluation bone ingrowth started from the defect s borders to the center and from the bottom to the surface for all observation times on the control (VI) and PRP only (I) groups. The groups treated with EOE only (II) and EOE associated to PRP (III) new bone was observed in the center of the defects. Radiographic analysis showed greater central radiopacity for groups treated with EOE only (II) and EOE associated to PRP (III) at all observation times. At 90 days all defects from groups II and III showed opacity similar to the host bone. Microscopically in the group treated with EOE associated to PRP (III) at 30 days the graft was indistinguishable from new bone present on the border of the defect, associated to a moderate quantity of a very vascularized and cellular fibrous connective tissue. This tissue showed an extracelular eosinophilic amorphous foamy material, associated to an inflammatory process constituted mainly by lymphocytes and in less number by macrophages and multinucleated giant cells that may have negatively influenced early bone formation. At 60 and 90 days occasional spots of lymphocytic inflammation were observed in some animals, probably due to the gel absorption. Both treatments, PRP associated or not to EOE, were similar for the bone ingrowth at the final time of observation; the graft used alone determined early bone reparation and thromboplastine used for the platelets gel formation incited a foreign body-like reaction that acted negatively on the initial fase of reparation.
Palavras-chave: Plasma rico em plaquetas
Osso esponjoso
Falhas ósseas
Platelet rich plasma
Bone graft
Bone defects
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::MEDICINA VETERINARIA::CLINICA E CIRURGIA ANIMAL::CLINICA CIRURGICA ANIMAL
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Biotecnologia, diagnóstico e controle de doenças; Epidemiologia e controle de qualidade de prod. de
Programa: Mestrado em Medicina Veterinária
Citação: SILVA, Paloma Sayegh Arreguy. Platelet rich plasma (PRP) associated or not to autogenous bone graft on the reparation of experimental bone defects in the rabbits cranium. 2007. 45 f. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia, diagnóstico e controle de doenças; Epidemiologia e controle de qualidade de prod. de) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2007.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/5215
Data do documento: 4-Mai-2007
Aparece nas coleções:Medicina Veterinária

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf649,25 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.