Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/5410
Tipo: Dissertação
Título: Gênese, classificação e mapeamento de solos desenvolvidos de rochas pelíticas em áreas cultivadas com eucalipto em Minas Gerais
Título(s) alternativo(s): Genesis, classification and mapping of soils developed from pellitic rocks in areas cultivated with eucalyptus in Minas Gerais
Autor(es): Pereira, Thiago Torres Costa
Primeiro Orientador: Ker, João Carlos
Primeiro coorientador: Barros, Nairam Félix de
Segundo coorientador: Neves, Júlio César Lima
Primeiro avaliador: Schaefer, Carlos Ernesto Gonçalves Reynaud
Segundo avaliador: Chagas, César da Silva
Abstract: Em virtude da demanda por áreas cultiváveis tornar-se muito grande nos últimos anos, áreas ocupadas por solos até então tidos como marginais ao aproveitamento agrícola estão sendo reavaliadas e estudadas visando seu aproveitamento com plantios florestais, a exemplo dos Cambissolos desenvolvidos de rochas pelíticas do Grupo Bambuí. Em razão da expressividade destes solos, normalmente associados a Latossolos, selecionou-se as áreas das Fazendas Olhos d`Água e Cachoeira, pertencentes à empresa V&M Florestal (Curvelo - MG), cujos principais objetivos foram: estudar as características físicas, químicas e mineralógicas dos solos; compreender os processos pedogenéticos atuantes; mostrar a distribuição espacial dos solos por meio de mapeamento semi- detalhado na escala 1:20.000. As amostras de solos (LVA, LV e CX) foram submetidas às análises físicas e químicas de rotina, retenção de água, digestão total e sulfúrica, e análises mineralógicas. De acordo com os resultados, constatou-se que os CX das Fazendas Olhos d Água e Cachoeira apresentaram teores médios de silte de 40 e 54 %, respectivamente, com textura variando de argilo-siltosa a franco-argilo-siltosa. São ácidos, distróficos e álicos. Podem apresentar linhas de pedra em diferentes profundidades e estão normalmente associados a topografias mais movimentadas. Algumas características observadas nos CX, como direção horizontalizada do material de origem, elevados teores de silte e de densidade do solo, predomínio de caulinita e ilita na fração argila, consistência dura ou muito dura quando secos, e estrutura em blocos subangulares fracamente desenvolvida, estimulam a formação de selamento superficial e erosão laminar acentuada, contribuindo para a queda de qualidade dos sítios florestais nas áreas de ocorrência destes solos. A menor capacidade de retenção de água pelos materiais dos horizontes A e Bi dos CX, associada à baixa condutividade hidráulica, à pouca espessura do solum e maior dificuldade de infiltração de água em razão da topografia e do selamento superficial, parece ser indicativo de menor capacidade de recarga hídrica nas áreas onde ocorrem (CX), podendo contribuir para a depreciação na qualidade dos sítios florestais. Resultados de Ki em torno de 2,0 para os CX indicam menor pedogênese e maior proporção de caulinita e ilita na fração argila, comparativamente aos Latossolos. Nesta fração, foram constatadas também gibbsita e VHE. A fração silte revelou a presença principalmente de mica e quartzo e a fração areia, basicamente quartzo, confirmando a baixa reserva de nutrientes nas frações grosseiras. Todos os LVA e LV são ácidos, distróficos, na maioria álicos, e de textura argilosa ou muito argilosa. Apresentam estrutura geralmente do tipo blocos subangulares e consistência variando de ligeiramente dura a dura quando secos. Os LV apresentaram menores teores de silte do que os LVA, 23 e 31%, respectivamente, indicando maior intemperização, ainda que os resultados de Ki sejam semelhantes entre estas duas subordens. São profundos, podendo apresentar linha de pedra, em geral, abaixo de 150 cm. Na fração argila dos Latossolos foram constatadas caulinita, ilita, gibbsita, e VHE. A presença de gibbsita parece ser maior do que a constatada na fração argila dos CX, a inferir-se pelos resultados do Ki, em torno de 1,4. A fração silte revelou a presença principalmente de quartzo e mica e a fração areia, basicamente quartzo. Ainda que não existam diferenciações químicas e físicas marcantes entre os Latossolos, constatou-se nos perfis P8 e P10, ambos LV, magnetização considerável na fração areia, cuja difratometria de raios-X confirmou a presença de magnetita. Diferentemente de todos os LV do presente estudo, o P10 se destacou pela ocorrência de teores de Fe2O3 da digestão sulfúrica de 22 dag kg-1 para os horizontes A e Bw.
Because the demand for arable areas has turned very intense in the last years, soils then considered as not appropriate to agricultural use are now being revalued and studied in order to use them for forest plantings, to example of Cambisols developed from pellitic rocks of Bambui Group. In reason of the expressiveness of these soils, usually associated Latossols, it was selected the areas of Farm Olhos d`Água and Cachoeira, Minas Gerais State, whose objectives were: study the physical characteristics, chemistries and mineralogical of the soils; understand the processes of soil genesis; show the space distribution of the soils through semi-detailed mapping, in the scale 1:20.000. The samples of soils were submitted to the physical and chemical analyses of routine, retention of water, total and sulfuric digestion, and mineralogical analyses. It was verified in Cambisols medium tenor of silt of 47%. Some characteristics observed in these soils, as horizontal direction of the origin material, high silt tenors and of density of the soil, kaolinite and illite prevalence in the fraction clay, consistence hard or very hard when dry, and structure in blocks faintly developed contribute to low quality of the forest planting. The smaller capacity of water retention of Cambisols, associated to the low hydraulic conductivity, to the little thickness of the solum and larger difficulty of infiltration of water, in reason of topography and of superficial stamp, seems to be indicative of smaller capacity of water recharge in the areas where they appear, could contribute to the depreciation in the quality of the forest planting. Results of Ki around 2,0 for Cambisols indicate smaller soil genesis and larger kaolinite proportion and illite in the fraction clay, comparatively to Latosols. In this fraction also verified gibbsite and VHE. The silt fraction revealed the presence mainly of mica and quartz and the sand fraction, basically quartz, confirming the low reserve of nutrients in the larger fractions. In the fraction clay of Latosols, kaolinite, illite, gibbsite, and VHE were verified. The gibbsite presence is larger than verified in the fraction clay of Cambisols, to infer for the results of Ki, around 1,4. The low tenors of CaO, MnO, MgO and, mainly P2O5, obtained by the total digestion, revealed the low capacity of reserve of these nutrients in all the studied soils. As for total K2O, the largest tenors in Cambisols indicate larger presence of micas in relation to Latosols.
Palavras-chave: Levantamento de solo
Eucalipto
Cambissolo Háplico
Soil survey
Eucalyptus
Haplic Cambisol
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA::CIENCIA DO SOLO
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Fertilidade do solo e nutrição de plantas; Gênese, Morfologia e Classificação, Mineralogia, Química,
Programa: Mestrado em Solos e Nutrição de Plantas
Citação: PEREIRA, Thiago Torres Costa. Genesis, classification and mapping of soils developed from pellitic rocks in areas cultivated with eucalyptus in Minas Gerais. 2008. 124 f. Dissertação (Mestrado em Fertilidade do solo e nutrição de plantas; Gênese, Morfologia e Classificação, Mineralogia, Química,) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2008.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/5410
Data do documento: 22-Jul-2008
Aparece nas coleções:Solos e Nutrição de Plantas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf4,44 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.