Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/5438
Tipo: Dissertação
Título: Uso e ocupação do solo e qualidade da água na bacia do córrego do Engenho, Viçosa, Minas Gerias
Título(s) alternativo(s): Land use and water quality on the Engenho stream watershed, Viçosa, Minas Gerais
Autor(es): Bernardes, Aline de Melo
Primeiro Orientador: Jucksch, Ivo
Primeiro coorientador: Marques, Eduardo Antônio Gomes
Segundo coorientador: Mendonça, Eduardo de Sá
Primeiro avaliador: Lani, João Luiz
Segundo avaliador: Dias, Herly Carlos Teixeira
Abstract: Do total de água doce disponível na Terra, 70% correspondem às águas subterrâneas e apenas 3% correspondem às águas superficiais. No entanto, água disponível não é sinônimo de água potável. Segundo a Organização Mundial da Saúde, "água potável é aquela cuja qualidade a torna adequada ao consumo humano", devendo obedecer, no caso do Brasil, aos padrões de potabilidade determinados na Portaria nº 518/04 do Ministério da Saúde. No meio rural, a água subterrânea é uma importante fonte de abastecimento, captada por meio de poços é geralmente consumida sem tratamento algum. Embora o manancial subterrâneo seja menos susceptível aos impactos do uso e ocupação do solo, comparativamente ao manancial superficial, sua contaminação não é visível, dificultando assim a identificação do problema. Quando a contaminação se torna perceptível, geralmente já atingiu uma larga extensão. Como reflexo deste quadro, os registros do Sistema Único de Saúde (SUS) mostram que 65% das internações hospitalares do país são devidas a doenças de veiculação hídrica. Neste contexto, o uso e ocupação do solo e a qualidade da água foram investigados na bacia do Córrego do Engenho, localizada no município de Viçosa, na Zona da Mata de Minas Gerais, pelo consumo humano da água do lençol freático, por meio de poços, em sua comunidade rural. Neste sentido, a pergunta que norteou essa pesquisa é: a água consumida na bacia do Córrego do Engenho é potável? O objetivo principal foi avaliar a qualidade físico-química e microbiológica da água e relacioná-la ao uso e ocupação do solo na bacia do Córrego do Engenho, visando identificar as principais fontes de contaminação. Para tanto, foram aplicadas entrevistas semi-estruturadas para investigar a realidade socioeconômica e ambiental dos moradores da bacia; foram elaborados mapas de localização, do uso e ocupação do solo e do fluxo da água subterrânea, e o modelo digital de elevação da bacia. Foram realizadas 4 campanhas, nos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro de 2008, para medição do nível do lençol freático dos poços e para coleta de água em 15 pontos: uma nascente, dois açudes, um córrego e onze poços freáticos. Os indicadores de qualidade da água analisados foram: pH, temperatura, turbidez, DBO, OD, fosfato, nitrato, sólidos totais, Coliformes totais, fecais e Escherichia coli. Os resultados foram comparados com oslimites definidos pela Portaria 518/04 do Ministério da Saúde e pela Resolução 357/05 do CONAMA. Com base nesses indicadores foi calculado o índice de qualidade água (IQA) para cada ponto de coleta. Foram realizados ainda seis ensaios para obter o coeficiente de permeabilidade dos solos próximos aos poços. Como resultados, predominam na bacia áreas de pastagens e a atividade agrícola mais expressiva é a olericultura, seguida do cultivo de milho, feijão e café. Foram observados 1 canil e 2 fossas em altitude mais elevada que a de poços e maioria desses à curta distância das fossas, além de uma residência sem fossa. No entanto, a maior fonte de contaminação das águas superficiais e subterrâneas da bacia provém da prática da suinocultura que despeja diretamente os dejetos em um dos açudes. Foi detectada contaminação da água em poços com solos de permeabilidade considerada ruim devido ao nível elevado do lençol freático. Dentre os poços escavados, 60% apresentaram qualidade ruim e 40% qualidade regular. Dentre os poços tubulares, 50% apresentaram qualidade boa e 50% qualidade ótima. Todos os pontos próximos ao curso do córrego à jusante da pocilga podem ser considerados de qualidade ruim e péssima. Portanto, respondendo à pergunta inicial, é possível inferir que a água consumida na bacia do Córrego do Engenho não é potável em 72,72% dos poços, todos estes contaminados por Escherichia coli. A questão da água potável é delicada e séria. É um tema que não se restringe apenas a técnicos e governantes, mas também à população em geral que, ao mesmo tempo em que causa a contaminação, sofre suas consequências.
From all the pure water available on Earth, 70% are underground water and only 3% are superficial water. However, available water is not the same as potable water. According to the Health World Organization: "potable water has quality to allow human consumption", in respect to the potability patterns determined by the Health Ministry Ordinance nº 518/04. At the rural zones, underground waters are very important as supplies, reached through wells and consumed without treatments. Although underground rivers are less susceptible to land use impacts in comparison to superficial rivers, its contamination is not visible, making difficult to identify the problem. When the contamination became perceptible, generally it has already reached long distances. As a reflex of this panorama, the registers of the Unique Health System (SUS) shows that 65% of the hospitalizations on the country were due water aspects. On this context, the soil use and the water quality have been investigated on the Engenho stream watershed, located in the municipality of Viçosa, Zona da Mata, Minas Gerais, Brazil. The human consumption of water from the groundwater, by means of wells in the rural community also has been investigated. The question which led this research was: Is the water consumed on the Engenho stream watershed potable? The main objective was to evaluate the physical-chemical and microbiological quality of the water and relate them to the land use on the Engenho stream watershed, aiming to identify the main contamination sources. Semistructured interviews have been applied to investigate the social-economic and environmental reality from the propriety owners on the watershed. Localization maps, digital elevation models, land uses and underground water flux have been elaborated. Four campaigns were made, on the months of September, October, November and December, to measure the groundwater level on the wells and for the water collection in 15 spots: one water source, two weirs, one stream and eleven groundwater wells. The water quality indicators used were: pH, temperature, turbidity, DBO, OD, phosphate, nitrate, total solid, total and fecal coliforms, and Escherichia coli. The results were compared to the limits defined by the Health Ministry Ordinance 518/04 and by the CONAMA Resolution 357/05. Based on those indicators, the water quality index (IQA) has been calculated to each collection spot. Six tests have been made to obtain the soil permeability coefficient next to the wells. As results, overcome at the watershed areas of pasture and the more expressive agricultural activity is horticulture, followed by corn, bean and coffee. One kennel and two septic tanks have been observed higher than the wells and most of them at short distances from them, beyond one residence without septic tank. However, the higher contamination source in the superficial and underground waters comes from the swine which dumps directly it dejects into the wears. It has been detected water contamination on the wells with permeability soils considered weak due the high underground water level. From the excavated wells, 60% showed bad quality and 40% regular quality. From the tubular wells, 50% showed gob quality and 50% great quality. All the spots next to the stream to the downstream of the sty can be considered of bad or nasty quality. Therefore, answering the initial question: It is possible to infer that the water consumed on the Engenho stream watershed is not potable in 72,72% of the wells, which all are contaminated by Escherichia coli. The potable water matter is delicate and serious. It's a theme that does not restraint to technicians and rulers, but also to general population who, at the same time that motivates the contamination, suffers its consequences.
Palavras-chave: Uso e ocupação do solo
Qualidade da água
Fontes de contaminação
Land use
Water quality
Contamination sources
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA::CIENCIA DO SOLO
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Fertilidade do solo e nutrição de plantas; Gênese, Morfologia e Classificação, Mineralogia, Química,
Programa: Mestrado em Solos e Nutrição de Plantas
Citação: BERNARDES, Aline de Melo. Land use and water quality on the Engenho stream watershed, Viçosa, Minas Gerais. 2009. 91 f. Dissertação (Mestrado em Fertilidade do solo e nutrição de plantas; Gênese, Morfologia e Classificação, Mineralogia, Química,) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2009.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/5438
Data do documento: 22-Jun-2009
Aparece nas coleções:Solos e Nutrição de Plantas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf5,95 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.