Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/5582
Tipo: Dissertação
Título: Biossólidos como fertilizantes de água para produção de plâncton
Título(s) alternativo(s): Biosolids as water fertilizer for plankton production
Autor(es): Cunha, Patrícia de Souza Lima
Primeiro Orientador: Lanna, Eduardo Arruda Teixeira
Primeiro coorientador: Bastos, Rafael Kopschitz Xavier
Segundo coorientador: Donzele, Juarez Lopes
Primeiro avaliador: Ferreira, Aloízio Soares
Segundo avaliador: Gomes, Paulo Cezar
Abstract: Objetivando-se avaliar a utilização do biossólido como estratégia de fertilização de água na produção de Daphnia sp., foram conduzidos três experimentos no Laboratório de Nutrição de peixes do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Viçosa (UFV). O primeiro experimento, conduzido no período de fevereiro e março de 2008, com duração de treze dias, teve como objetivo avaliar a utilização de diferentes fertilizantes - fosfato bicálcico (FB), biossólido (BS) e fezes de codorna (FC) na produção de plâncton. Foram utilizados 24 tanques de cimento amianto com volume útil de 100 L cada, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, com quatro tratamentos (os três fertilizantes e um tratamento controle, sem adubação - SA) e seis repetições. Como variáveis de controle foram avaliados a produção de Daphnia sp. e os seguintes parâmetros de qualidade da água: clorofila-a, condutividade elétrica, pH, oxigênio dissolvido, temperatura, nitrogênio amoniacal e orgânico, fósforo total e dureza total. O peso da biomassa de Daphnia sp. foi medido ao final do experimento (13º dia). Os parâmetros de controle de qualidade da água foram aferidos em três momentos ao longo do período experimental: primeiro, oitavo e décimo terceiro dias. O peso máximo da biomassa de Daphnia sp. foi encontrado nos tanques adubados com FC (36,0 g), seguido do BS (16,8 g), SA (6,8 g) e FB (5,2 g). Observou-se correspondência entre os valores de clorofila-a e o peso da biomassa de Daphnia sp., o que, muito provavelmente, reflete interações entre as comunidades fito e zooplanctônicas. No segundo experimento, realizado no período de fevereiro e março de 2008, procurou-se avaliar a aplicação de diferentes níveis de biossólidos na produção de plâncton. Foram utilizados 25 tanques, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado com cinco tratamentos (quatro níveis de biossólidos - 25 g, 50 g, 75 g e 100 g e um tratamento controle, sem adubação) e cinco repetições. As variáveis de controle e o plano de amostragem foram os mesmos do primeiro experimento. Os pesos médios de biomassa de Daphnia sp. encontrados nos tanques foram: 16,51 g com 100 g de biossólidos; 14,63 g com 75 g de biossólidos; 14,10 g com 50 g de biossólidos; 12,85 g com 25 g de biossólidos; 5,80 g no tanque sem adubação. A aplicação de quantidades crescentes de biossólidos não comprometeu qualidade da água a ponto de torná-la inadequada ao cultivo de organismos aquáticos. Entretanto, a despeito da produção crescente de fitoplâncton de acordo com níveis crescentes de biossólidos, a produção de Daphnia sp. tendeu a estabilizar-se a partir da aplicação de 50 g de biossólidos. O terceiro experimento, realizado de março a abril de 2008 com duração de quatorze dias, envolveu a utilização de biossólidos com diferentes ajustes de NPK. Foram utilizados os mesmos 25 tanques de cimento amianto e delineamentos anteriores, com cinco tratamentos (cinco níveis de NPK em 50 g de biossólidos) e cinco repetições. As variáveis de controle e o plano de amostragem foram essencialmente os mesmos dos experimentos anteriores, porém medindo-se e nitrato e fósforo solúvel em lugar de nitrogênio orgânico e fósforo total. A aplicação de biossólidos com diferentes formulações de NPK não comprometeu a qualidade da água a ponto de torná-la inadequada ao cultivo de organismos aquáticos. Entretanto, a despeito da produção crescente de fitoplâncton de acordo com níveis crescentes de fósforo na formulação dos fertilizantes, os pesos médios de biomassa de Daphnia sp. encontrados nos tanques, em torno de 10 g, não diferiram estatisticamente para os diversos tratamentos. Os resultados sugerem que biossólidos podem ser utilizados com sucesso como fertilizante de águas para produção de fitoplâncton e de zooplâncton.
Aiming to evaluate the use of biosolid as a water fertilization strategy in the production of Daphnia sp., were conducted three experiments in the Fish Nutrition Laboratory of the Department of Animal Science of the Federal University of Viçosa (UFV). The first experiment, conducted during February and March 2008, to last for thirteen days, aimed to evaluate the use of different fertilizers - dicalcium phosphate (DF), biosolid (BS) and feces of quail (FQ). Were used 24 tanks of asbestos cement with useful volume of 100 L each, distributed in a completely randomized design, with four treatments (the three fertilizers and a control treatment without fertilization - WF) and six repetitions. As control variables were assessed the production of Daphnia sp. and the following water quality parameters: chlorophyll-a, electrical conductivity, pH, dissolved oxygen, temperature, ammonia nitrogen and organic nitrogen, total phosphorus and total hardness. The weight of the biomass of Daphnia sp. was measured at the end of the experiment (day 13). The control parameters of water quality were measured at three times during the experimental period: the first, eighth and thirteenth day. The maximum weight of the biomass of Daphnia sp. was found in tanks fertilized with FQ (35.6 grams), followed by the BS (16.8 grams), WF (6.8 g) and DF (5.2 g). There was a correlation between the values of chlorophyll-a and the weight of the biomass of Daphnia sp., which will very likely reflects interactions between phytoplankton and zooplankton communities. The results suggest that biosolids can be successfully used as water fertilizer, for production of phytoplankton and, consequently, of zooplankton. In the second experiment, carried out from February and March 2008, sought to evaluate the application of different levels of biosolids. Were used 25 tanks of asbestos cement with useful volume of 100 L each, distributed in a completely randomized design with five treatments (four levels of biosolids - 25 g, 50 g, 75 g and 100 g and a control treatment without fertilization) and five repetitions. The control variables and the sampling plan were the same as the first experiment. The weight of the biomass of Daphnia sp. was measured at the end of the experiment (day 13). The control parameters of water quality were measured at three times over the experimental period: first, eighth and thirteenth day. The average weight of biomass of Daphnia sp. found in the tanks were: 16.51 g to 100 g of biosolids; 14.63 g to 75 g of biosolids; 14.10 g to 50 g of biosolids; 12.85 g to 25 g of biosolids and 5.80 g in tank without fertilization. The results suggest that biosolids can be successfully used as water fertilizer for production of phytoplankton and, consequently, of zooplankton. The application of increasing quantities of biosolid not committed water quality to the point of making it unsuitable for the cultivation of aquatic organisms. However, despite the growing production of phytoplankton in line with increasing levels of biosolids, the production of Daphnia sp. tended to stabilize itself from the application of 50 grams of biosolids. The third experiment, conducted from March to April of 2008 with duration of fourteen days, involved the use of biosolid with different settings of NPK. Were used 25 tanks of cement and asbestos previous designs, with five treatments (five levels of NPK in 50 g of biosolids) and five repetitions. The control variables and the sampling plan was essentially the same of previous experiments, but measuring up nitrate and soluble phosphorus in place of organic nitrogen and total phosphorus. The application of biosolids with different formulations of NPK not compromised water quality to the point of making it unsuitable for the cultivation of aquatic organisms. However, despite the growing production of phytoplankton in line with increasing levels of phosphorus in the formulation of fertilizers, the weights average of Daphnia sp. biomass found in the tanks, around 10 grams, not statistically different for different treatments. In short, the results suggest that biosolids can be successfully used as water fertilizer for production of phytoplankton and zooplankton.
Palavras-chave: Biossólidos
Fertilizantes
Biosolids
Fertilizers
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIA::PRODUCAO ANIMAL
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul
Programa: Mestrado em Zootecnia
Citação: CUNHA, Patrícia de Souza Lima. Biosolids as water fertilizer for plankton production. 2008. 75 f. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2008.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/5582
Data do documento: 18-Jun-2008
Aparece nas coleções:Zootecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf520,95 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.