Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/5664
Tipo: Dissertação
Título: Uréia de liberação lenta em dietas para vacas leiteiras mestiças em pasto ou confinadas
Título(s) alternativo(s): Slow release urea in crossbred dairy cows diets on pasture or confinement.
Autor(es): Abreu, Daniel Carneiro de
Primeiro Orientador: Lana, Rogério de Paula
Primeiro coorientador: Barbosa, Fabiano Alvim
Segundo coorientador: Veloso, Cristina Mattos
Primeiro avaliador: Fonseca, Dilermando Miranda da
Segundo avaliador: Mâncio, Antonio Bento
Terceiro avaliador: Gomes, Marília Fernandes Maciel
Abstract: Foram conduzidos dois estudos com vacas mestiças Holandês x Zebu na unidade experimental de Cachoeirinha, DZO/UFV, com o objetivo de avaliar a utilização de fonte de uréia de liberação lenta (ULL). No Experimento 1, foram utilizadas oito vacas adultas em lactação, na terceira e quinta lactações e pesando 448 ± 74 kg no início do período experimental, com o objetivo de avaliar quatro ofertas de ULL: 40; 80; 160 e 320 g/animal/dia sobre o desempenho de vacas mestiças alimentadas com dietas à base de cana-de-açúcar. Os animais foram distribuídos em dois quadrados latinos 4 x 4, com quatro períodos de 14 dias cada (sete dias de adaptação e sete dias de coleta). Não houve efeito dos níveis de uréia (P>0,05) sobre o consumo de matéria seca, fibra em detergente neutro e extrato etéreo. Porém, o consumo de proteína bruta aumentou (P<0,05) linearmente com o fornecimento de ULL. A produção de leite aumentou (P<0,05) 0,396 kg para cada 0,1 kg de ULL (3,96 g de leite/1,0 g de ULL). A produção de leite corrigida para 3,5% de gordura e os teores de gordura, proteína, lactose e extrato seco total e desengordurado do leite não foram influenciados (P>0,05) pelos níveis de ULL. Recomenda-se fornecer 320 g de ULL/vaca/dia em dietas à base de cana-de-açúcar e fubá de milho, para vacas leiteiras, somente se o preço da ULL for no máximo 3,96 vezes o preço do leite. No Experimento 2, 21 vacas mestiças Holandês x Zebu (499 ± 61 kg de peso corporal; 167 dias de lactação) foram alocadas em pastos de capim-elefante (11,5% de proteína bruta e 60% de FDNcp) com o objetivo de avaliar o efeito da utilização de uréia convencional ou ULL em suplementos concentrados nos níveis de 2, 4 ou 6% (base da matéria seca), em substituição ao farelo de soja, além do tratamento testemunha, somente com farelo de soja como fonte de proteína bruta. As vacas foram distribuídas em três quadrados latinos incompletos, em três períodos, com 21 dias cada (14 dias de adaptação e sete dias de coleta). Os suplementos concentrados isonitrogenados (24% de proteína bruta, base da matéria seca) foram fornecidos na quantidade de 3,2 kg/vaca/dia (base da matéria natural). Não houve efeito (P>0,05) de fonte de proteína bruta (farelo de soja vs fonte de NNP), fonte de NNP, nível de NNP e interação entre fonte de NNP e nível de NNP sobre a produção de leite (10,0 kg/dia), produção de leite corrigida para 3,5% de gordura (10,7 kg/dia), teores de gordura (4,01%), proteína (3,66%), lactose (4,16%), extrato seco total (12,86%) e extrato seco desengordurado (8,60%) no leite. A substituição da uréia convencional pela ULL não promove melhoria no desempenho produtivo de vacas leiteiras mestiças em pastagens de capim-elefante. A uréia (liberação rápida ou lenta) pode ser incluída em até 6% na MS de suplementos concentrados, em substituição ao farelo de soja, sem afetar o desempenho produtivo de vacas leiteiras em pastagens de capim-elefante no período das águas.
Two studies using crossbred Holstein-Zebu dairy cows were conducted at the experimental station of Cachoeirinha, DZO/UFV, to evaluate the potential of slow release urea in the diet of dairy cows. In Experiment 1, eight adult cows in third and fifth lactations were used. The animal s mean weight was 448 ± 74 kg at the beginning of the trial. The objective of the first experiment was to evaluate the effect of four levels of slow release urea (40, 80, 160 and 320 g/animal/day) on the performance of crossbred dairy cows fed diets based on sugar cane. The animals were divided into two 4 x 4 Latin squares with four periods of 14 days (seven days of adaptation and seven days of collection). There was no effect for any of the urea levels on intake of dry matter, neutral detergent fiber and ether extract. However, the crude protein intake increased linearly with the supply of slow release urea. Milk production increased 0.396 kg for each 0.1 kg of non-protein nitrogenous (3.96 g milk/1.0 g of slow release urea). The milk production corrected for 3.5% fat and fat content, milk protein, milk lactose and total solids and nonfatty milk were not affected by the slow release urea. It is recommended to provide 320 g of slow release urea/cow/day in diets based on sugarcane and corn for dairy cows, only if the price of slow release urea is non more than 3.96 times the price of milk. In the Experiment 2, 21 crossbred Holstein-Zebu cows (499 ± 61 kg body weight, 167 days is milk) were assigned to grazing Elephant grass (crude protein = 11.5% and neutral detergent fiber corrected for ashes and protein = 60%) with the objective of evaluating the effect of the use of conventional urea or slow release urea in concentrated supplements at levels of 2, 4 or 6% (dry matter) to replace soybean meal in addition to the control treatment, only with soybean meal as protein source from grain. The cows were divided into three incomplete latin squares, in three periods, each with 21 days (14 days of adaptation and seven days of samples collection in each period). Isonitrogenous concentrates (crude protein = 24%, dry matter) were provided in the amount of 3.2 kg/cow/day (fresh matter). There was no effect of crude protein source (soybean vs. non-protein nitrogenous), non-protein nitrogenous source, level of non-protein nitrogenous, and interaction between source and non-protein nitrogenous on the level of milk production (10.0 kg/day), milk production corrected for 3.5% fat (10.7 kg/day), milk fat (4.01%), milk protein (3.66%), milk lactose (4.16%), milk total solids (12.86%) and non-solids fat (8.60%) in milk. The replacement of urea by slow release urea does not promote improvement in the productive performance of crossbred dairy cows grazing Elephant grass. Urea (fast or slow release) can be included up to 6% of dry matter concentrates supplements to replace soybean meal without affecting the productive performance of dairy cows grazing elephant grass in the rainy season.
Palavras-chave: Consumo
Leite
Uréia protegida, Ração
Intake
Milk
Urea protected
Ration
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIA::NUTRICAO E ALIMENTACAO ANIMAL
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul
Programa: Mestrado em Zootecnia
Citação: ABREU, Daniel Carneiro de. Slow release urea in crossbred dairy cows diets on pasture or confinement.. 2010. 48 f. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2010.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/5664
Data do documento: 26-Jul-2010
Aparece nas coleções:Zootecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf199,99 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.