Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/5678
Tipo: Dissertação
Título: Fontes de proteína para vacas em lactação
Título(s) alternativo(s): Protein sources by cows in the lactation
Autor(es): Pina, Douglas dos Santos
Primeiro Orientador: Valadares Filho, Sebastião de Campos
Primeiro avaliador: Valadares, Rilene Ferreira Diniz
Segundo avaliador: Campos, José Maurício de Souza
Terceiro avaliador: Detmann, Edenio
Quarto avaliador: Leão, Maria Ignez
Abstract: Foram utilizadas 12 vacas da raça Holandesa entre puras e mestiças, distribuídas em três quadrados latinos 4 x 4, organizados de acordo com os dias em lactação, com o objetivo de avaliar o efeito de dois períodos de coleta de fezes (dois ou seis dias) em intervalos de 26 horas, de dois indicadores (fibra indigestível em detergente neutro (FDNi) ou ácido (FDAi)) e de dietas com diferentes fontes protéicas sobre os consumos e as digestibilidades dos nutrientes, a produção e composição do leite, a eficiência de síntese de proteína microbiana, calculada a partir da excreção urinária de derivados de purina, a concentração de nitrogênio uréico no plasma e no leite, o balanço de compostos nitrogenados e a concentração de nitrogênio amoniacal e o pH ruminal. As dietas foram constituídas de 60% de silagem de milho na base da MS total, mais os concentrados, os quais foram constituídos de diferentes fontes protéicas (FS - farelo de soja; FA38 farelo de algodão 38%PB; FA28 - farelo de algodão 28%PB e FSU farelo de soja mais 5% de uréia/sulfato de amônio na MS do concentrado). Os quatro períodos experimentais tiveram duração de18 dias cada, sendo os últimos sete dias destinados às coletas de amostras. No 15º dia do período experimental; foi coletada uma amostra de leite por animal em cada uma das ordenhas, para posteriormente originar uma amostra composta. No 18º dia do período experimental foram coletadas, 4 horas após o fornecimento do alimento uma amostra spot de urina e uma amostra de sangue em cada um dos animais. O volume urinário médio diário foi obtido, admitindo-se a excreção total de creatinina de 24,4 mg/kg de PV. As comparações estatísticas foram sempre feitas em relação à dieta controle (FS). Os consumos de matéria seca (MS) e de matéria orgânica (MO) não diferiram entre as dietas (P>0,05). Os consumos de proteína bruta (PB) foram maiores para a dieta contendo FA38, enquanto os de proteína degradada no rúmen (PDR) e de proteína não degradada no rúmen (PNDR) foram maiores e menores, respectivamente, com as dietas FA28 e FSU. Os consumos de extrato etéreo (EE) foram maiores com as dietas FA38 e FSU e menores para a dieta FA28, enquanto os de carboidratos não fibrosos (CNF) foram menores com as dietas FA38 e FA28. Os consumos de fibra em detergente neutro (FDN) foram maiores com as dietas FA38 e FA28 e os consumos de nutrientes digestíveis totais (NDT) foram menores (P<0,05) com ambas as dietas em relação à dieta controle (FS). A excreção de matéria seca fecal foi superestimada e os coeficientes de digestibilidade da MS, MO, PB, FDN e CNF foram subestimados pela FDAi, mas não houve efeito dos dias de coletas de fezes. Em relação à dieta controle, os CD da MS, MO e FDN foram menores (P<0,05) com as dietas FA38, FA28 e FSU , os CD da PB e do EE foram menores e maiores (P<0,05),respectivamente, com as dietas FA38 e FA28, e o CD do CNF foi menor (P<0,05) com a dieta com FSU. A produção de leite (PL) corrigida (PLG) ou não para 3,5% de gordura, o teor e a produção de gordura do leite não foram influenciados (P>0,05), mas a eficiência de utilização da MS e do nitrogênio dietético para a produção de leite, o teor e a produção de proteína do leite foram inferiores (P<0,05), com as dietas FA28 e FA38 em relação à dieta controle. Não foram observadas diferenças (P>0,05) nas frações e na excreção total de derivados de purinas (PT), na síntese de proteína bruta (PB) microbiana (PBMIC) e na eficiência de síntese de PB microbiana expressa em g de PB/kg de NDT consumido. As concentrações de nitrogênio uréico no plasma (NUP) e no leite (NUL) também não diferiram (P>0,05) entre as dietas. Conclui-se que dois dias de coleta de fezes foram suficientes para estimar a digestibilidade dos nutrientes e os teores de NDT e que a FDNi foi mais precisa que a FDAi para estimar a produção de matéria seca fecal. Conclui-se também que o farelo de soja pode ser substituído pelo farelo de algodão 38% ou pela mistura de farelo de soja contendo 5% de uréia/sulfato de amônio na MS do concentrado, para vacas com produção média diária de 25 kg de leite, alimentadas com 60% de silagem de milho na base da MS total das dietas.
Twelve Holstein and cross-bred dairy cows were used in this trial and were distributed in a three latin square design (4x4), according to days in milk, aiming at evaluate the effect of two periods of fecal collection was also evaluated (two or six days) in 26 hours intervals. The effect of two markers (insoluble neutral detergent fiber (NDFi) or insoluble acid detergent fiber indigestible (ADFi)) and of the diets with differents protein sources on intake, nutrients digestibility, milk production and composition, on efficiency of microbial protein synthesis, calculated by urinary excretion of purine derivatives, plasma (PUN) and milk (MUN) urea nitrogen concentration, ruminal ammonia concentration and pH. The A corn silage based diet (60% of the total dry matter) was used and the concentrate was formulated with different proteins sources (SM soybean meal, CM38 cottonseed meal with 38% of crude protein, CM28 - cottonseed meal with 28% of crude protein and SMU soybean meal plus 5% of urea/ammonium sulfate in the concentrate dry matter). The four experimental periods lasted 18 days each, being the last seven days used to sample collections. Milk samples from each animal were collected twice (morning and afternoon) at the 15th day of each experimental period, and later were combined in order to obtain a composed sample. Urine (spot) and blood collections were accomplished at the 18th day of each experimental period, at approximately four hours after the morning feeding of the animals. The urinary volume (V) was estimated using 24,4mg/kg live weight of creatinine as a daily mean. The means comparisons were always made in relation to the control diet (SM). Dry matter (DMI) and organic matter intakes (OMI) didn't differ among diets (P>0,05), whereas crude protein (CP) intake was larger to the CM38 diet. Rumen degradable (RDP) and undegradable protein intakes (RUP) were larger and smaller, respectively, to the CM28 and SMU diets. The intake of ether extract were larger to the CM28 and SMU diet and smaller to the CM28 diet, whereas non-fiber carbohydrates (NFC) and neutral detergent fiber (NDF) intakes were smaller and larger, respectively, to the CM38 and CM28 diets. Total digestible nutrients (TDN) intake was smaller (P <0,05) in both diets, when compared to the control diet (SM). The fecal dry matter excretion (FDME) was overestimated and the digestibility coefficients of DM, OM, CP, NDF and NFC were underestimated by ADFi, but .fecal collection days had no effect on the estimates. The DM, OM and NDF digestibility coefficients (DC) were smaller (P <0,05) in the CM38, CM28 and FSU diets compared to the control diet. CP and EE digestibility were smaller and larger (P <0,05), respectively, in the CM38, CM28 diets, while NFC digestibility was smaller (P <0,05) in the SMU diet. Milk yield (MY), corrected or not for 3,5% of fat, milk fat concentration and production were not influenced (P <0,05) by the different protein sources, albeit DM and nitrogen efficiency of use for milk production, milk protein concentration and production were lower (P <0,05) in the diets formulated with cottonseed meal to the diet formulated with SM. Differences among diets for urinary volume (V), total excretion of purine derivatives (PT), microbial CP synthesis and efficiency of synthesis, expressed in g of CP/kg of intake TDN, were also not detected. PUN and MUN concentrations did not differed (P>0,05) among the diets. It was concluded that two days of fecal collection were enough to estimate FDME and to obtain the nutrients digestibilities and the contents of TDN of the diets and that NDFi was the most precise marker than AFDi. Also it was concluded that dairy cows producing, on average, 25 kg/day, can be fed with diets containing 5% of urea in the dry matter of the concentrate or cottonseed meal with 38% CP, in situations where the roughage is composed by 60% (total dry matter basis) of corn silage.
Palavras-chave: Uréia
Farelo de soja
Farelo de algodão
Leite
Nutrição animal
Ruminantes
Dairy cattle
Urea
Soybean meal
Cotton meal
Milk
Animal nutrition
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIA::NUTRICAO E ALIMENTACAO ANIMAL::AVALIACAO DE ALIMENTOS PARA ANIMAIS
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul
Programa: Mestrado em Zootecnia
Citação: PINA, Douglas dos Santos. Protein sources by cows in the lactation. 2005. 72 f. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2005.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/5678
Data do documento: 21-Fev-2005
Aparece nas coleções:Zootecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf211,5 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.