Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/5701
Tipo: Dissertação
Título: Substituição do farelo de soja por levedura seca inativa em dietas de ovinos
Título(s) alternativo(s): Replacement of soybean meal for inactive dry yeast in diets of lambs
Autor(es): Rufino, Leidy Darmony de Almeida
Primeiro Orientador: Pereira, Odilon Gomes
Primeiro coorientador: Valadares Filho, Sebastião de Campos
Segundo coorientador: Ribeiro, Karina Guimarães
Primeiro avaliador: Marcondes, Marcos Inácio
Segundo avaliador: Cecon, Paulo Roberto
Abstract: Este estudo foi conduzido com base em dois experimentos, objetivando-se avaliar o consumo e a digestibilidade aparente dos nutrientes, o pH e a concentração de amônia ruminal e o balanço de nitrogênio (Experimento 1) e o consumo de nutrientes, o desempenho produtivo e a qualidade da carne de ovinos (Experimento 2) alimentados com dietas contendo diferentes níveis de substituição (0, 33, 67 e 100%, na matéria seca) do farelo de soja por levedura seca inativa. As dietas consistiram de 60% de concentrado e 40% de silagem de milho e foram formuladas para serem isonitrogenadas (15,5% de proteína bruta, na matéria seca). No experimento 1, foram utilizados quatro ovinos Santa Inês, não castrados, com peso médio inicial de 25,6±3,1 kg, fistulados no rúmen, distribuídos em um Quadrado Latino 4 x 4. Cada período experimental teve duração de 17 dias, sendo 10 para adaptação às dietas e sete para a coleta de dados. Foi feita coleta total de fezes e urina do 11º ao 16º dia de cada período experimental para determinação da digestibilidade aparente dos nutrientes e do balanço de nitrogênio. As coletas de líquido ruminal para as mensurações de pH e amônia ruminal foram realizadas antes, 2, 4 e 6 horas após a alimentação, no 17º dia de cada período experimental. Os consumos de matéria seca (MS), matéria orgânica (MO), proteína bruta (PB), extrato etéreo (EE), fibra insolúvel em detergente neutro corrigida para cinzas e proteína (FDNcp), carboidratos não fibrosos (CNF) e nutrientes digestíveis totais (NDT) em g/dia, não foram afetados (P>0,05) pelos níveis de levedura seca inativa. Os consumos de MS e FDNcp (g/kg), decresceram linearmente (P<0,05) com o aumento dos níveis de levedura seca nas dietas. Os diferentes níveis de levedura seca inativa não promoveram variações (P>0,05) na digestibilidade aparente de CNF. Observou-se efeito quadrático (P<0,05) de níveis de levedura sobre as digestibilidades aparentes de MS, MO, PB, EE e FDNcp, bem como para o teor de NDT, estimando-se valores máximos de digestibilidade e NDT de 79,30, 81,67, 80,33, 75,52, 63,57 e 80,87%, respectivamente, para os níveis de 43,96, 44,71, 44,07, 43,91, 43,27 e 48,06% de levedura seca inativa. Observou-se efeito de dietas e de tempo de coletas para a concentração de nitrogênio amoniacal no rúmen, cujos dados ajustaram-se a um modelo quadrático. Não foi observado efeito de dietas (P>0,05) para o pH ruminal, no entanto observou-se efeito de tempo de coletas, cujos dados ajustaram-se a um modelo quadrático. O balanço de nitrogênio não foi afetado (P>0,05) pelos níveis de levedura seca inativa. No experimento 2, avaliou-se o consumo, o ganho de peso, o ganho médio diário de carcaça, o rendimento de carcaça, a conversão alimentar e a qualidade da carne de ovinos recebendo as mesmas dietas do experimento 1. Foram utilizados 36 ovinos Santa Inês, não castrados, com peso médio inicial de 20,2±0,5 kg, distribuídos num delineamento em blocos casualizados, com quatro tratamentos e nove repetições. O experimento teve duração de 78 dias, divididos em três períodos de 21 dias, após 15 dias de adaptação. Os consumos de MS, MO, PB, EE, FDNcp, CNF e NDT não foram afetados pelos níveis de levedura seca inativa nas dietas (P>0,05). O ganho médio diário, ganho médio diário de carcaça, rendimento de carcaça e a conversão alimentar não foram afetados (P>0,05) pelos níveis de levedura seca inativa nas dietas. A espessura de gordura subcutânea reduziu linearmente (P<0,05) com o incremento dos níveis de levedura seca inativa nas dietas. Observou-se efeito quadrático (P<0,01) de levedura seca inativa sobre a temperatura inicial das carcaças, apresentando valor máximo de 37,26ºC ao nível de 48,35% de levedura seca. Os valores de amarelidez da carne ajustaram-se a um modelo quadrático (P<0,05), estimando-se valor mínimo de 7,49 para o nível de 63,29% de levedura seca. A luminosidade da carne reduziu linearmente (P<0,05) com o aumento dos níveis de levedura seca inativa. Os teores de proteína bruta e cinzas da carne aumentaram linearmente (P<0,05) e os teores de gordura intramuscular reduziram linearmente (P<0,05) com o aumento dos níveis de levedura seca inativa nas dietas. As perdas por exsudatos e a maciez da carne dos animais não foram afetados (P>0,05) pelos níveis de levedura seca inativa. A levedura seca inativa pode substituir até 100% do farelo de soja em dietas de ovinos, sendo a utilização deste co-produto dependente de fatores de ordem econômica e disponibilidade no mercado.
This study was developed based on two experiments, aiming to evaluate the intake and apparent digestibility of nutrients, ruminal pH and ammonia concentration and nitrogen balance (Experiment 1) and the productive performance and meat quality of lambs (Experiment 2) fed diets containing different levels of substitution (0, 33, 67 and 100%, in dry matter basis) of soybean meal by inactive dry yeast. Diets consisted of 60% concentrate and 40% corn silage, formulated to be isonitrogenous (15.5% crude protein, in dry matter basis). In experiment 1, four Santa Ines lambs, non castrated, with initial live weight of 25,6±3,1 kg, fistulated in the rumen, were allocated in a 4 x 4 Latin Square design. Each experimental period lasted 17 days, 10 for diet adaptation and seven for data collection. Fecal and urine total collection was performed from the 11th to the 16th day of each experimental period to determine the apparent digestibility of nutrients and nitrogen balance. The collection of rumen fluid for measurements of pH and ammonia were taken before, 2, 4 and 6 hours after feeding. Dry matter (DM), organic matter (OM), crude protein (CP), ether extract (EE), neutral detergent fiber corrected for ash and protein (NDFap), non-fibrous carbohydrates (NFC) and total digestible nutrients (TDN) intakes in g/day were not affected (P>0.05) by inactive dry yeast levels. Intakes of DM and NDFap (g/kg) decreased linearly as yeast levels increased in diets (P<0.05). The different levels of inactive dry yeast did not promote changes (P> 0.05) in apparent digestibility of NFC. It was observed a quadratic effect of yeast on apparent digestibility of DM, OM, CP, EE and NDFap as well as on TDN content (P<0.05), estimated maximum values of nutrient digestibility and TDN of 79.30, 81.67, 80.33, 75.52, 63.57 and 80.87%, respectively, at 43.96, 44.71, 44.07, 43.91, 43.27 and 48.06% of inactive dry yeast. It was observed effect of diet and sampling time for ruminal ammonia concentration, whose data were fit to the quadratic model. It was not observed effect of diet (P>0.05) for ruminal pH, but observed effect of time of collection and the data were fit to the quadratic model. Nitrogen balance was not affected (P>0.05) by inactive dry yeast levels. In experiment 2, it was assessed the intake of nutrients, weight gain, average daily gain of carcass, carcass yield, feed conversion and meat quality in lambs receiving the same diets of the previous experiment. The study included 36 Santa Ines lambs, not castrated, with initial live weight of 20,2±0,5 kg, allocated in a randomized block design with four treatments and nine replications. The experiment lasted 78 days, divided in three periods of 21 days after 15 days of adaptation. DM, OM, CP, EE, NDFap, NFC and TDN intakes were not affected (P>0.05) by inactive dry yeast levels. The average daily gain, carcass daily gain, dressing percentage and feed conversion were not affected (P>0.05) by inactive dry yeast levels. The subcutaneous fat thickness decreased linearly (P<0.05) with the increasing levels of yeast replacing the soybean meal in the diet. It was observed a quadratic effect (P<0.01) of yeast on initial temperature of the carcasses showed the highest value of 37.26°C at 48,35% of yeast. It was observed a quadratic effect (P<0.05) of yeast on yellowness of the meat, the minimum values were obtained at 63.29% of replacement of soybean meal by yeast in the diet. The lightness of the meat decreased linearly (P<0.05) with increasing levels of dry yeast to replace soybean meal in diets. The crude protein and ash of meat increased linearly (P<0.05) and the intramuscular fat content of meat decreased linearly (P<0.05) with the increase of dry yeast in the diet. The exudates losses and tenderness of the meat of the animals were not affected by yeast levels (P>0.05). The inactive dry yeast can replace 100% of the soybean meal in diets of sheep. However, the utilization of this co-product depends on economic factors and market availability.
Palavras-chave: Consumo
Digestibilidade
Ganho de peso
pH ruminal
Qualidade de carne
Consumption, Digestibility, Weight gain, Ruminal pH, Meat quality
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIA::PASTAGEM E FORRAGICULTURA::AVALIACAO, PRODUCAO E CONSERVACAO DE FORRAGENS
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul
Programa: Mestrado em Zootecnia
Citação: RUFINO, Leidy Darmony de Almeida. Replacement of soybean meal for inactive dry yeast in diets of lambs. 2011. 64 f. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/5701
Data do documento: 15-Jul-2011
Aparece nas coleções:Zootecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf679,74 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.