Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/5743
Tipo: Dissertação
Título: Levedura viva e levedura inativa autolisada como aditivos para bovinos
Título(s) alternativo(s): Live yeast and inactive yeast autolyzed as additives to cattle
Autor(es): Cunha, Camila Soares
Primeiro Orientador: Veloso, Cristina Mattos
Primeiro coorientador: Queiroz, Augusto César de
Segundo coorientador: Lana, Rogério de Paula
Primeiro avaliador: Oliveira, André Soares de
Abstract: Objetivou-se investigar o efeito da levedura viva e levedura inativa autolisada sobre consumo voluntário, coeficientes de digestibilidade, eficiência de produção de proteína microbiana, características do ambiente ruminal - pH, nitrogênio amoniacal ruminal (NAR), ácidos graxos voláteis (AGV) e balanço de compostos nitrogenados de bovinos alimentados com dietas de alto concentrado. O experimento foi conduzido entre novembro de 2010 e fevereiro de 2011. Foram utilizadas cinco novilhas Nelore, de aproximadamente dois anos de idade, com peso corporal médio inicial de 300 ± 39,4 kg, fistuladas no rúmen, distribuídas em delineamento em quadrado latino 5 x 5, com cinco tratamentos e cinco períodos com 15 dias de duração. Destes 15 dias, sete foram destinados à adaptação dos animais e os oito dias restantes para realização de coletas de dados e material.. Avaliou-se cinco diferentes aditivos/níveis em uma mesma dieta basal: controle negativo (sem aditivos); controle positivo (bicarbonato de sódio e óxido de magnésio na proporção de 4:1 da matéria seca da dieta); levedura viva na dose de 10 g/animal/dia e levedura inativa autolisada nas doses de 15 e 30 g/animal/dia. As dietas experimentais consistiram de dois concentrados à base de milho e farelo de soja, que diferiam entre si somente pela presença ou não de bicarbonato de sódio e óxido de magnésio, contendo 20% de silagem de milho, base da matéria seca e calculada para proporcionar ganho de peso de 1,2 kg/animal/dia, segundo o NRC (2000). O uso de aditivos não alterou (P>0,05) o consumo de matéria seca (MS), matéria orgânica (MO), proteína bruta (PB), extrato etéreo (EE), fibra em detergente neutro corrigida para cinzas e proteína (FDNcp), carboidratos não fibrosos (CNF) e nutrientes digestíveis totais (NDT). Somente o coeficiente de digestibilidade (CD) do EE foi influenciado (P<0,05) pelos tratamentos, apresentando maiores valores para os tratamentos controle positivo e levedura autolisada na dose de 30 g/dia; o controle negativo foi o tratamento que apresentou a digestibilidade do EE mais baixa; os tratamentos levedura autolisada na dose de 15 g/dia e levedura viva não diferiram estatisticamente dos anteriores. Os demais CD, CDMS, CDMO, CDPB, CDFDNcp, CDCNF e o teor de NDT não foram afetados (P>0,05) pelos tratamentos. Não foram detectados efeitos (P>0,05) dos tratamentos sobre o consumo de nitrogênio, excreção fecal de nitrogênio, excreção urinária de nitrogênio, balanço de compostos nitrogenados, eficiência de utilização do nitrogênio em relação ao nitrogênio consumido e ao nitrogênio absorvido e eficiência de produção microbiana. Os tratamentos não influenciaram (P>0,05) a média do pH ruminal, a concentração de NAR, a produção total e proporções molares de AGV e a relação acetato:propionato. Os metabólitos sanguíneos avaliados, glicose, creatinina e ureia, não foram influenciados (P>0,05) pelos aditivos estudados.
This study aimed to evaluate the effects of the live yeast and inactive yeast autolyzed on the voluntary intake, digestibility coefficient, efficiency of microbial protein synthesis, characteristics of the ruminal environment - pH, volatile fatty acids (VFA), rumen ammonia nitrogen (RAN), and balance of nitrogen compounds of cattle feed with high concentrate levels. The experiment was carried out from November, 2010 to February, 2011. Five Nellore heifers with 300 kg ± 39.5 of initial body weight and fitted with rumen canullaes, were used and distributed in a 5 x 5 Latin square design, with five treatments, five animals and five experimental periods lasting 15 days. These 15 days were divided in seven days to the animal s adaptation and the other eight days were for the collection of data and materials. Five additives/levels in the same basal diet were evaluated, as follow: negative control (without additives); positive control (1% of the diet dry matter of sodium bicarbonate and magnesium oxide in the proportion of 4:1); live yeast (10 g/day); inactive yeast autolyzed in the doses of 15 and 30 g/day. The experimental diets consisted of two concentrates based on corn and soybean meal, that differed only by the presence or absence of sodium bicarbonate and magnesium oxide, containing 20% of corn silage, dry matter basis, and calculated to weight gain of 1.2 kg per animal per day, second NRC (2000). The use of additives didn t alter (P>0.05) dry matter intake (DM), and intake of organic matter (OM), crude protein (CP), ether extract (EE), neutral detergent fiber corrected for ash and nitrogenous compounds (NDFap), non-fiber carbohydrates (NFC) and total digestible nutrients (TDN). Only the EE digestibility coefficient was influenced (P<0.05) by the treatments, showing higher values to the treatments positive control and inactive yeast autolyzed in the dose of 30 g/day; the negative control was the treatment that presented the lower EE digestibility coefficient; the treatments inactive yeast autolyzed in the dose of 15 g/day and live yeast didn t differ from the others. The digestibility coefficient of DM, OM, CP, NDFap, NFC and the content of TDN were not affected (P>0.05) by the treatments. Effects were not detected (P>0.05) among treatments on the nitrogen intake, fecal nitrogen excretion, urinary excretion of nitrogen, balance of nitrogen compounds, nitrogen utilization efficiency in relation to N intake and to N absorbed and efficiency of microbial protein synthesis. There were no treatments effects (P>0.05) on the ruminal pH average, RAN, total production and molar ratio of VFA and in the ratio acetate:propionate. The evaluated blood metabolites, glucose, creatinin and urea, were not influenced (P>0.05) by the studied additives.
Palavras-chave: Fisiologia
Nutrição
Produção e reprodução de ruminantes
Physiology, Nutrition
Production and reproduction of ruminants
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul
Programa: Mestrado em Zootecnia
Citação: CUNHA, Camila Soares. Live yeast and inactive yeast autolyzed as additives to cattle. 2012. 50 f. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2012.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/5743
Data do documento: 18-Jul-2012
Aparece nas coleções:Zootecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf235,15 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.