Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/5803
Tipo: Dissertação
Título: Saccharomyces cerevisae e monensina sódica em dietas de alto concentrado para bovinos
Título(s) alternativo(s): Saccharomyces cerevisae and monensin in high-grain diet to finishing steers
Autor(es): Monnerat, João Paulo Ismério dos Santos
Primeiro Orientador: Paulino, Pedro Veiga Rodrigues
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Detmann, Edenio
metadata.dc.contributor.advisor-co2: Valadares Filho, Sebastião de Campos
metadata.dc.contributor.referee1: Valadares, Rilene Ferreira Diniz
metadata.dc.contributor.referee2: Valentim, Judson Ferreira
Abstract: O presente trabalho foi desenvolvido a partir de um experimento em que objetivou-se avaliar os efeitos da suplementação com culturas de levedura em relação à monensina sódica e ao não uso de aditivos sobre o consumo e digestibilidade de nutrientes, perfil de ácidos graxos voláteis no rúmen, pH ruminal, concentração de amônia ruminal, produção de proteína microbiana, excreção de nitrogênio urinário e balanço de compostos nitrogenados em novilhos de corte alimentados com dietas de alto nível de concentrado com dois níveis de amido (23 e 38%). Foram utilizados oito novilhos de corte cruzados (Bos taurus x Bos indicus), com peso corporal (PC) médio de 499± 50,49 kg e fistulados no rúmen, que foram divididos em dois grupos de quatro, em que cada grupo recebeu um tipo de concentrado. A alimentação basal foi composta de duas rações contendo 80% de concentrado constituída de silagem de milho e os concentrados à base de milho moído em peneira de 6mm, farelo de soja, caroço de algodão, casca de soja e mistura mineral. O experimento foi avaliado segundo delineamento em quadrado latino, com agrupamento de dois quadrados simultâneos, em esquema fatorial 4 x 2. Dentro de cada quadrado, foram implementados quatro tratamentos relativos ao esquema de suplementação (controle, monensina, levedura 1,0 g/100 kg PC/dia, levedura 2,5 g/100 kg PC/dia). As dietas com diferentes níveis de amido foram aplicadas independentemente em cada um dos quadrados latinos. Verificou-se que os consumos de carboidratos não fibrosos, amido, de matéria seca em função do peso corporal e do peso metabólico foram menores (P<0,10) para o tratamento com inclusão de levedura na dosagem de 1,0 g/100kg. Os valores do pH ruminal não foram influenciados (P>0,10) pela inclusão de aditivos nas dietas, mas apresentaram menores valores (P<0,10) para o tratamento com menor nível de amido. As concentrações totais de AGV foram maiores (P>0,10) para os tratamentos de menor nível de amido, monensina e levedura 1 g. As concentrações de lactato foram inferiores (P<0,10) com a inclusão de monensina e na dieta com maior nível de amido. Enquanto as de acetato foram aumentadas (P<0,10) na dieta de menor nível de amido e com a inclusão da Levedura 1 g. As concentrações de propionato, butirato e nitrogênio amoniacal não foram influenciadas (P>0,10) por nenhum dos aditivos estudados. Entretanto, o propionato foi influenciado (P<0,10) positivamente pela dieta com menor nível de amido. O menor nível de amido apresentou menores concentrações de nitrogênio amoniacal e maior coeficiente de digestibilidade da FDN. Todos os aditivos avaliados promoveram melhoria (P<0,10) no coeficiente de digestibilidade do extrato etéreo. As variáveis excreção de compostos nitrogenados urinários, dos derivados de purina, purinas absorvidas, síntese de nitrogênio microbiano, eficiência de síntese de proteína microbiana e balanço de compostos nitrogenados não foram influenciadas (P>0,10) por nenhum dos tratamentos avaliados. O emprego de monensina e de culturas de levedura até o nível testado não promove melhorias nos valores pH ruminal, na digestibilidades da FDN e da matéria seca, nem aumentam a síntese de proteína microbiana e balanço de nitrogênio, tampouco reduzem as perdas de compostos nitrogenados urinários e as concentrações de amônia no rúmen em dietas com altos teores de amido.
The present work was developed to evaluate the effects of different levels of yeast culture supplementation in comparison to monensin and no feed additives on feed intake, nutrient digestibility, profile of volatile fatty acids (VFA) in the rumen, ruminal pH, concentration of ruminal ammonia, production of microbial protein, nitrogen excretion in urine and balance of nitrogen compounds in beef steers fed by high-concentrated diets with two levels of starch (23 and 38%). Eight steers cannulated in the rumen (Bos taurus x Bos indicus; BW: 489 kg body weight [BW]) were used. Animals were sorted out in two groups of four and each group received one kind of concentrate. The diet was composed of two rations including 80% of concentrated. The roughage used was corn silage and the concentrate composed of ground corn, soybean meal, cottonseed, soybean shell and mineral mixture. The experiment was evaluated following the two-by-two Latin Square design. Within each square, four treatments were implemented according to the supplementation plan (control, monensin, yeast 1.0 g/100kg BW/day, yeast 2.5 g/100kg BW/day). The diets with different levels of starch were independently applied in each Latin squares. The feed intake of non- fibrous carbohydrates, starch and dry matter were observed in relation to body weight and metabolic weight when the yeast level used was 1.0g/100 kg. The ruminal pH values were not influenced by the additive inclusion in the diets. However, the ruminal pH observed was lower (p<0.10) when the diet with a lowest level of starch was given. The VFA concentrations were higher (p>0.10) in the animals receiving a lowest level of starch, monensin and 1g of yeast. A lower concentration of lactate (P<0.10) were observed in the treatments which had monensin added and a higher level of starch. The concentrations of propionate, butyrate and N-NH3 were not influenced (P>0.10) by any of the additives used in this study. However, the propionate was positively influenced (P<0.10) by the treatment with a lower level of starch. A lower concentration of N-NH3 and a higher NDF digestibility coefficient was observed in the treatment with the lowest level of starch. All the additives used in this study improved (P<0.10) the digestibility of ether extract. The treatment with 2.5g of yeast showed better results compared to the others additives used in this study. The urinary excretion of the nitrogen compounds, purine derivatives, purine absorbed as purine derivatives, synthesis of microbial nitrogen, efficiency of microbial protein synthesis and balance of nitrogen compounds were not influenced by any of the treatments in this study.
Palavras-chave: Acidose
Ácidos graxos voláteis
Confinamento
Acidosis
Volatile fatty acids
Confinement
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIA::NUTRICAO E ALIMENTACAO ANIMAL
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
metadata.dc.publisher.department: Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Zootecnia
Citação: MONNERAT, João Paulo Ismério dos Santos. Saccharomyces cerevisae and monensin in high-grain diet to finishing steers. 2009. 70 f. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2009.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/5803
Data do documento: 13-Fev-2009
Aparece nas coleções:Zootecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf504,46 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.