Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/5838
Tipo: Dissertação
Título: Cana-de-açúcar in natura ou ensilada com óxido de cálcio e uréia em dietas de ovinos
Título(s) alternativo(s): Sugar cane in natura or ensiled with calcium oxide and urea in ovine diets
Autor(es): Pontes, Roberta Albuquerque Machado
Primeiro Orientador: Leão, Maria Ignez
Primeiro coorientador: Valadares Filho, Sebastião de Campos
Segundo coorientador: Pereira, Odilon Gomes
Primeiro avaliador: Henriques, Lara Toledo
Segundo avaliador: Valadares, Rilene Ferreira Diniz
Abstract: O presente trabalho foi desenvolvido a partir de dois experimentos. No primeiro, avaliaram-se os efeitos da adição de óxido de cálcio sobre a composição química, o consumo e a digestibilidade dos nutrientes da cana-deaçúcar no momento do corte ou 24 horas após o mesmo. Foram utilizados 18 carneiros sem raça definida, arranjados num delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2x3, sendo dois tempos de armazenamento da cana-de-açúcar (0 e 24 horas) e três níveis de cal (0; 0,5 e 1% na matéria natural (MN)), com três repetições por tratamento. Não houve interação (P>0,05) entre tempos de armazenamento e níveis de cal para os consumos dos nutrientes, expressos em g/dia e em g/kg do peso vivo (PV). Com exceção do consumo de extrato etéreo (EE) em g/dia, verificou-se que não houve diferença significativa para os consumos nos diferentes tempos e níveis de cal. Observou-se efeito de tempo de armazenamento e níveis de cal para as digestibilidades da matéria seca (MS) e da matéria orgânica (MO), registrando-se menores valores para a cana armazenada, além de diminuição na digestibilidade da MS com o aumento da inclusão de cal na cana. Houve interação entre tempos de armazenamento e níveis de cal para as digestibilidades da proteína bruta (PB) e da fibra em detergente neutro (FDN). A utilização da cal e os tempos de armazenamento não influenciaram as digestibilidades de carboidratos totais (CHO) e EE. Em suma, a adição das doses de cal, com o fornecimento da cana imediatamente ou 24 horas após o corte, não foram eficientes em aumentar o consumo e a digestibilidade dos nutrientes. No segundo experimento objetivou-se estimar a composição química e avaliar o consumo, a digestibilidade dos nutrientes e a degradabilidade in situ de silagens de cana-de-açúcar adicionadas ou não de uréia e, ou, óxido de cálcio. Foram utilizados 18 carneiros sem raça definida, arranjados num delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2x3x2, sendo dois níveis de uréia/sulfato de amônia (0 e 0,5% na MN), três de óxido de cálcio (0; 0,5 e 1% na MN) na ensilagem, e dois períodos, com três repetições por tratamento. Foi observada interação entre níveis de uréia e cal na ensilagem da cana para os consumos, expressos em g/dia, de MS, MO, PB, EE, CHO, FDN, carboidratos não fibrosos (CNF) e nutrientes digestíveis totais (NDT). Para os tratamentos sem uréia, o consumo de todos os nutrientes, com exceção da FDN e do EE, elevou-se com a adição de cal. Na presença de uréia, os consumos de MS, MO, PB, EE, CHO e FDN foram menores na silagem sem cal e a utilização de 0,5% de cal elevou o consumo de FDN. Não houve interação entre os fatores estudados para os consumos, em g/kg PV, de MS, PB, FDN e NDT. A adição de cal aumentou o consumo de MS e de PB em 28,85% e 33,10%, respectivamente. Houve interação entre níveis de uréia e cal para os consumos em g/kg PV, de MO, EE, CHO e CNF. Na ausência de uréia, os consumos de MO e CHO foram aumentados com a inclusão de 1% de cal. Na ausência de cal, os consumos de MO, EE, CHO e CNF não foram influenciados pela inclusão de uréia. Houve redução nos consumos de MO, CHO e CNF com adição de 1% de cal juntamente com a uréia. Não foi encontrada interação entre os fatores estudados para as digestibilidades da MS, MO, PB, FDN e CHO. Com exceção da digestibilidade da FDN, que aumentou em 5,74 unidades percentuais, não foi verificado efeito positivo da inclusão de uréia na ensilagem. Não houve efeito dos níveis de cal na digestibilidade dos nutrientes. No ensaio da degradabilidade in situ, foi verificado que a utilização de cal na ensilagem reduziu a fração indigestível da FDN em aproximadamente 33%. Conclui-se que a cal não promove aumento na digestibilidade dos nutrientes. Os níveis de uréia estudados não propiciaram respostas consistentes, confirmando a necessidade de mais estudos com relação à confecção de silagem de boa qualidade de cana-de-açúcar.
The present study was developed from two experiments. In the first, the effects of calcium addition over the chemical composition, the sugar cane nutrients consume and digestibility at the cutting moment and 24 hours after it, were evaluated. 18 sheep without a defined bred were used, arranged in a totally randomized delineation, in a 2x3 factorial scheme, being two sugar cane storing time (0 and 24h) and three cal levels (0; 0,5 and 1% of the natural matter (NM)) with three repetitions per treatment. There was no interaction (P>0,05) between the storing time and the cal levels for the nutrients consume, expressed in g/day and in g/Kg of the live weight (LW). Excepting the ethereal extract (EE) in g/day, there was no significant difference for the consume in the different times and cal levels. The storing time and cal levels effect for the digestibility of the dry matter (DM) and of the organic matter (OM) were observed, registering the smallest values for the stored sugar cane, besides the decrease in the digestibility of the DM with the increase of the cal inclusion in the sugar cane. There was an interaction between the storing times and the cal levels for the digestibility of the rough protein (RP) and the fiber in a neutral detergent (FND). The cal usage and the storing times did not influence the total carbohydrates digestibility (TCD) and EE. In short, the cal doses addition, with the sugar cane supply immediately or after 24h after cutting were not efficient to increase the nutrients consume and digestibility. In the second experiment, the aim was to estimate the chemical composition and evaluate the consume, the nutrients digestibility and the in situ degradability of the sugar cane silage added or not with urea and/or calcium oxide. 18 sheep without a definite breed were used, arranged in a totally randomized delineation, in a 2x3x2 factorial scheme, being two urea/ammonia sulphate levels (o and 0,5% in the NM), three calcium oxide (0; 0,5 and 1% in the NM) in the ensilaging and, two periods, with three repetitions per treatment. The interaction between the urea and cal levels in the sugar cane ensilaging for the consume, expressed in g/day of the DM, OM, RP, EE, TCD, FND, non-fiber carbohydrates (NFC) and total digestible nutrients (TDN) were observed. For the treatments without urea, all the nutrients consume, excepting the FND and EE, increased with the addition of cal. In the urea presence, the DM, OM, RP, EE, TCD and FND consume, were smaller in the ensilaging without cal and the use of 0,5% of cal increased the FND consume. There was no interaction between the studied factors for the consume in g/day of the LW, OM, EE, TCD and FND. The cal addition increased the DM and RP consume in g/day of the LW, OM, EE, TCD and FND. In the absence of urea, the OM and TCD consume were increased with the inclusion of 1% of cal. In the cal absence, the OM, EE, TCD and FND consume were not influenced by the urea inclusion. There was a decrease in the OM, TCD and FND consume with the addition of 1% of cal together with urea. There was no interaction found between the studied factors for the DM, OM, RP, FND and TCD digestibility. Excepting the FND digestibility, which increased in 5,74 percentual units, a positive effect of the urea inclusion in the ensilaging was not verified. There was no effect in the cal levels in the nutrients digestibility. In the degradability in situ assay, it was seen that the cal use in the ensilaging reduced the FND indigestible fraction in approximately 33%. It was concluded that cal does not promote an increase in the nutrients digestibility. The urea levels studied did not provide consistent answers, confirming the need to more studies concerning the building of good quality silage for the sugar cane.
Palavras-chave: Silagem
Cana-de-açúcar
Uréia
Óxido de cálcio
Silage
Sugar cane
Urea
Calcium oxide
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIA::NUTRICAO E ALIMENTACAO ANIMAL
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul
Programa: Mestrado em Zootecnia
Citação: PONTES, Roberta Albuquerque Machado. Sugar cane in natura or ensiled with calcium oxide and urea in ovine diets. 2007. 74 f. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2007.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/5838
Data do documento: 26-Fev-2007
Aparece nas coleções:Zootecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf360,99 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.