Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/6734
Tipo: Dissertação
Título: Contaminação microbiológica em açougues e caracterização de Listeria monocytogenes quanto a potencial patogênico, adesão e sensibilidade a sanitizantes
Listeria monocytogenes in butcher shops: occurrence in the environment, adhesion potential and sensitivity to sanitizers
Autor(es): Silva, Danilo Augusto Lopes da
Abstract: Listeria monocytogenes pode contaminar produtos cárneos principalmente através de contaminação cruzada de utensílios expostos a produtos crus. A qualidade destes produtos pode ser ainda estimada através da pesquisa de micro-organismos indicadores de higiene, o que não isenta a pesquisa de patógenos para garantia de inocuidade. A contaminação por L. monocytogenes em ambientes de processamento de alimentos é de difícil controle, devido a sua ampla disseminação e adaptação, o que demanda monitoramento constante e adoção de procedimentos eficientes para eliminação desse patógeno. A primeira etapa deste trabalho identificou as principais fontes de contaminação microbiológica no ambiente de processamento de três açougues, quando amostras superfíciais foram obtidas de mesas, facas, interior do balcão refrigeração, moedores e amaciadores de carne (20 amostras por área) e submetidas à enumeração de micro-organismos indicadores de higiene, e pesquisa de L. monocytogenes, cujos isolados obtidos foram caracterizados quanto aos seus sorogrupos e genes de virulência. Os resultados demostraram que não houve diferenças nos níveis de contaminação por micro-organismos indicadores de higiene entre os três estabelecimentos analisados; as amostras com contagens acima de valores referenciais indicaram ineficiêncianos procedimentos de higienização praticados. 87 amostras apresentaram resultado positivo para Listeria spp. (60,4 %), sendo 22 amostras de mesa, 20 de moedor, 16 de faca, 13 de mão, 9 de amaciador e 7 do balcão de refrigeração. Um total de 31 amostras (21,5 %) foram positivas para L. monocytogenes, indicando a presença do patógeno no ambiente de processamento de produtos cárneos. Na caracterização dos sorotipos, 52 isolados foram caracterizados como pertencentes aos sorogrupos 1/2c ou 3c, e 22 isolados como pertencentes aos sorogrupos 4b, 4d, 4a ou 4c. Na pesquisa dos genes de virulência, todos os 74 isolados apresentaram resultados positivos para os genes hlyA, iap,plcA, actA e para o grupo das internalinas (inlA, inlB, inlC e inlJ). Na segunda etapa do estudo,foi avaliado a ocorrência de L. monocytogenes (ISO 11.290 1/2) em utensílios e ambiente de manipulação em um açougue, e os isolados obtidos foram caracterizados quanto aos seus sorogrupos e genes de virulência e ainda avaliados quanto à capacidade de adesão in vitro e sensibilidade a dois sanitizantes (Mister Max-DG1 ® e B-QUART SEPT ®). Do total de 40 amostras de mesas, facas, interior do balcão refrigeração, moedores e amaciadores de carne, 75 % foram positivas para Listeria spp. e 22,5 % para L. monocytogenes. Todos os isolados obtidos foram caracterizados como sorogrupos 1/2c ou 3c, e apresentaram resultados positivos para todos os genes de virulência analisados. Adicionalmente, todos os isolados apresentaram algum potencial de adesão, em sua maioria apresentando potenciais de adesão variando de fraco a moderado, sendo que somente um isolado apresentou um forte potencial de adesão. Os sanitizantes avaliados apresentaram potencial para inibir da multiplicação dos isolados em diferentes concentrações (1:256 a 1:512 para Mister Max-DG1 ®, e 1:4.096 a 1:16.384 para B- QUART SEPT ®), e interferiram na formação e remoção de biofilmes pelos isolados. Após avaliação, os sanitizantes foram adotados na rotina de higienização do estabelecimento comercial, e após 2 meses, amostras superficiais dos mesmos utensílios e equipamentos foram coletadas e submetidas a análise de L. monocytogenes, e nenhum resultado positivo foi identificado. Os resultados obtidos permitiram caracterizar os sorugrupos dos isolados de L. monocytogenes obtidos bem como a o seu potencial virulento, foi também demostrado o potencial de adesão de L. monocytogenes e a eficiência dos sanitizantes Mister Max-DG1 ® e B-QUART SEPT ® para o controle da contaminação por esse patógeno. Os resultados indicam que o estabelecimento de procedimentos adequados para redução das contagens microbianas e controle da disseminação de L. monocytogenes nas etapas finais da cadeia produtiva da carne é de extrema importância, com reflexos evidentes na qualidade e inocuidade dos produtos cárneos destinados ao consumo humano. Adicionalmente, verificou-se o potencial de adesão de L. monocytogenes e a eficiência dos sanitizantes Mister Max-DG1 ® e B- QUART SEPT ® para o controle da contaminação superficial por esse patógeno.
Listeria monocytogenes can contaminate meat products primarily through cross- contamination of utensils exposed to raw products. The quality of these products can still be estimated through the research of hygiene indicator microorganisms, which does not exclude the research of pathogens to assure the food safety. Contamination by L. monocytogenes in food processing environments is difficult to control due to its wide dissemination and adaptation, which requires constant monitoring and adoption of efficient procedures to eliminate this pathogen. In the first step of this study, we identified the main sources of microbiological contamination in three butchers processing environment by collecting surface samples from the hands of employees, tables, knives, inner of butcher display, grinders and meat tenderizers (24 samples per area). Samples were subjected toenumeration of hygiene indicator microorganisms and detection of L. monocytogenes, being the isolates characterized for their virulence genes and serogroups. The results demonstrated absence of differences in the levels of contamination by hygiene indicators microorganisms analyzed between the three butcher shops; samples with counts higher than reference values indicated inefficiency in practiced hygiene procedures. 87 samples were positive for Listeria spp. (60.4 %), being 22 samples from table, 20 from grinders, 16 from knives, 13 from hands, 9 from meat tenderizers and 7 from the inner of butcher display. 31 samples (21.5 %) were positive for L. monocytogenes, indicating the presence of the pathogen in meat processing environment. 52 isolates were characterized as belonging to serogroup 1/2c or 3c, and 22 isolates belonged to serogroups 4b, 4d, 4a or 4c. All 74 isolates showed positive results for hlyA genes, iap, plcA, actA and the group of internalins (InlA, inlB, inLC and inlJ). In the second step of the study, we evaluated the occurrence of L. monocytogenes in the processing environment of a butcher shop, and the obtained isolates were isolates were characterized as to their serogroups and virulence genes and further evaluated for in vitro adhesion capacity sensitivity to two sanitizers (Mister Max-DG1 ® and B-QUART SEPT ®). Of the total of 40 samples hands of manipulators, tables, knives, inner of butcher display, grinders and meat tenderizers, 75 % were positive for Listeria spp. and 22,5 % for L. monocytogenes. All isolates were characterized as belonging to serogroup 1/2c or 3c, and showed positive results for all virulence genes analyzed. In addition, all isolates showed some potential of adhesion, mostly presenting potential of adhesion ranging from weak to moderate, and only one isolate showed a strong potential. The evaluated sanitizers had potential to inhibit the multiplication of isolates in different concentrations (1: 256-1: 512 for Mister Max-DG1 ® , and 1: 4096-1: 16,384 for B-QUART SEPT ®) , and interfered in the formation and removal of the biofilms. After evaluation, the sanitizers were adoptedby the butcher shop cleaning routine, and after two months surface samples from the same utensils and equipment were collected and subjected to L. monocytogenes analysis, and no positive result was identified. The results allowed to characterize the sorugrupos of L. monocytogenes isolates obtained as well as their virulent potential, it has also demonstrated the potential of adhesion of L. monocytogenes and the effectiveness of sanitizers Mister Max-DG1 ® and B-QUART SEPT ® to control contamination by this pathogen. Results indicate that the establishment of appropriate procedures to reduce microbial counts and controlling the spread of L. monocytogenes in the final stages of meat production chain is of utmost importance, with obvious effects on the quality and safety of meat products for human consumption. Additionally, it was found L. monocytogenes adhesion potential and the efficiency of the sanitizing Mister Max- DG1 ® and B -quart SEPT ® for the control of surface contamination by these pathogens.
Palavras-chave: Microbiologia veterinária
Açougue
Contaminação microbiana
Listeria monocytogenes
Carne - Controle de qualidade
CNPq: Inspeção de Produtos de Origem Animal
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: SILVA, Danilo Augusto Lopes da. Contaminação microbiológica em açougues e caracterização de Listeria monocytogenes quanto a potencial patogênico, adesão e sensibilidade a sanitizantes. 2015. 83f. Dissertação (Mestrado em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2015.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/6734
Data do documento: 21-Jul-2015
Aparece nas coleções:Medicina Veterinária

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo643,24 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.