Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/6777
Tipo: Tese
Título: Desafios e oportunidades da certificação do manejo florestal pelo sistema FSC no continente americano
Challenges and opportunities of forest management certification by the FSC system in the American Continent
Autor(es): Basso, Vanessa Maria
Abstract: A certificação florestal é uma ferramenta de mercado, voluntária e não governamental que está sendo utilizada como mecanismo de garantia para o “bom manejo florestal”, sob o cumprimento de princípios ambientais, econômicos e sociais. São vários os fatores que levam uma organização florestal a buscar uma certificação, tais como: exigências de mercados, críticas socioambientais da sociedade, requerimentos legais, necessidade de melhoria da imagem institucional, dentre outros. Um dos principais sistemas de certificação florestal reconhecido mundialmente é o FSC – Forest Stewardship Council, atuante desde de 1993. Ao reconhecer que o continente americano é um grande produtor e exportador de produtos florestais no mercado mundial e, também, possui extensas áreas com florestas naturais e plantações florestais, viu-se a necessidade de entender como a certificação florestal vem sendo impulsionada em seus países. Assim, buscou-se com a presente pesquisa analisar as influências, contribuições, oportunidades e desafios da certificação florestal pelo sistema FSC nos principais países com produção florestal no continente. O estudo foi dividido em três capítulos e desenvolvido a partir de metodologias da pesquisa social, em específico a pesquisa descritiva por meio de análise de documentos oficiais. Como resultados, verificou-se que apesar do aumento de certificados de manejo florestal, na última década, o percentual de área certificada ainda é baixo se comparado com a área de florestas nativas e de produção florestal dos países americanos. Os países com maior número de certificados são Estados Unidos, Canadá e Brasil. Entretanto, os fatores que influenciaram cada país foram diferentes. O Canadá apresentou a maior área certificada impulsionados por incentivos e exigências de seu governo e indústrias. Os Estados Unidos apresentaram o maior número de certificados de Unidades de Manejo florestal (UMF), que possivelmente foram impulsionados pelas críticas da sociedade e suas organizações florestais buscaram a certificação como evidência de suas boas práticas socioambientais. Já no Brasil, dois fatores contribuíram para que os empreendimentos florestais buscassem a certificação: as críticas da sociedade e as exigências de mercado, principalmente, da União Europeia. Com relação à certificação de pequenas propriedades têm-se destaque as iniciativas na Guatemala, Honduras e México, que contaram com apoio de seus governos e de ONGs internacionais. Contudo, de forma geral, na maior parte dos países analisados, o mercado interno ainda não requer a certificação florestal, o que acaba por não gerar demanda para que as demais organizações do setor se certifiquem. Quanto aos desvios, verificou-se um menor percentual de não conformidades entre as organizações dos Estados Unidos e do Canadá, o que sinaliza melhor preparo nas atividades de manejo. Nestes países os maiores desvios estavam relacionados às questões ambientais. Já nos demais países da América Latina, independente da escala, os percentuais de não conformidades por organização foram bem maiores e prevaleceram sobre os quesitos trabalhistas, seguidos das questões ambientais. Com relação aos benefícios econômicos, estudando se casos no Brasil, verificou-se que as contribuições da certificação florestal foram baixas. Acredita-se que uma análise aprofundada, em que sejam considerados as contribuições socioambientais indiretas, poderá evidenciar melhor os benefícios econômicos. Por fim, verifica-se como ponto positivo, em todos os casos, é que a adesão à certificação florestal exigiu a implementação de modelos de gestão ambiental e social mais rigorosos que os aplicados anteriormente à decisão da certificação. Um ponto fundamental para que os números de certificados florestais aumentem nos países americanos é a geração de demanda em seus mercados internos. Assim, é importante que o sistema de certificação FSC e as partes envolvidas no processo amplie sua divulgação e imagem do que realmente significa a sua logomarca para os consumidores finais.
Forest certification is a marketing strategy, voluntary and non-governmental that has been used a guarantee mechanism for the "good forest management", according to the environmental, economic and social principles. There are many factors that contribute to a forestry organization to seek for a product certification, such as markets requirement, society environmental criticism, legal requirements and/or necessity to improve the institutional reputation. One of the main globally recognized forest certification system is the FSC - Forest Stewardship Council, founded in 1993. Taking account that American Continent is the greatest producer and exporter of forest products and has extensive areas with natural forests and forest plantations, we notice the necessity to understand how forest certification has been promoted in these countries. Thus, this study aimed to analyze the current influences, contributions, opportunities and challenges of the forest certification by the FSC system in the major forest producer countries located in American Continent. The study was divided in three chapters and was developed utilizing methods of social research, in particularly, the descriptive research using data from official documents. Even though we observed an increment of forest management certificates in the last decade, the percentage of certified area is still low compared with the area of native forests and forest production. United States, Canada and Brazil are the countries with the highest numbers of certificates and the factors that influenced the certification demand among countries were different. Canada has the largest certified area driven by incentives and requirements of its own government and industries. The United States has the highest number of Forest Management Units certificates (UMF), which might be driven by society criticism leading its forestry organizations sought by certification, as evidence of their good social and environmental practices. In Brazil, two mainly factors contributed to the certification of forest organizations: the society criticism and market demands, mainly from the European Union. Regarding to small farms certification, we observed important initiatives in Guatemala, Honduras and Mexico, supporting by their own governments and some international ONGs. Generally, for the most of the countries analyzed, the internal market still does not require forest certification, which ends up not generating demand for other sector organizations to be certificated. In the United States and Canada organization, we observed the lower percentage of non-compliances between organizations indicating the better preparation of the management activities. In these countries, the largest deviations were related to environmental questions. In the Latin American countries, the percentage of non-compliance by the organization was bigger and related to labor questions, followed by environmental issues. Regarding to economic benefits, studying specific cases in Brazil, it was found that the contributions of forest certification were low. We believe that a detailed analysis, considering the indirect social and environmental contributions of certification should be considered and possibly could demonstrate the economic benefits to the society. Finally, as a positive result in all cases, we observed that the forest certification induced to an implementation of more rigorous environmental management and social models compared to the utilized before the certification process. A fundamental point for increasing the forest certificate numbers in American countries is the generation of demand in their domestic markets. In this way, it is important that the all certification FSC system involved in this process expanding its outreach and image of the final product reaching the final consumers.
Palavras-chave: Florestas
Rotulagem ambiental
Certificação florestal
CNPq: Manejo Florestal
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: BASSO, Vanessa Maria. Desafios e oportunidades da certificação do manejo florestal pelo sistema FSC no continente americano. 2015. 205f. Tese (Doutorado em Ciência Florestal) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2015.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/6777
Data do documento: 23-Fev-2015
Aparece nas coleções:Ciência Florestal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo1,24 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.