Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/7926
Tipo: Tese
Título: Geoambientes e pedogênese do Parque Estadual do Ibitipoca, município de Lima Duarte (MG)
Mineralogical attributes, color, adsorption and desorption of Ibitipoca, southern Lima Duarte (MG)
Autor(es): Dias, Herly Carlos Teixeira
Abstract: Foram realizados dois estudos na área do Parque Estadual do Ibitipoca (PEI), Minas Gerais: o primeiro com a finalidade de identificar, mapear e caracterizar os geoambientes do parque; e o outro com o objetivo de caracterizar alguns dos solos mais representativos e a pedogênese dos diferentes geoambientes. Foram feitas coletas de solos georreferenciados por GPS (Geographic Position System), foto- interpretações a partir de ortofotos e uso de mapas planialtimétricos, além de intenso levantamento de campo. Oito geoambientes foram identificados e caracterizados: Patamares com Espodossolos, Cristas Ravinadas, Escarpas, Grotas, Mata Baixa com Candeia, Mata Alta sobre Xisto, Topos Aplainados e Rampas com Vegetação Aberta. A vegetação associada a cada um é fortemente condicionada pela profundidade do solo e pelo tempo de permanência de água no sistema. Os ambientes de mata, tanto sobre xistos quanto sobre quartzitos, sofrem menor estresse hídrico seja por melhores condições físicas do solo e maior retenção de água, seja pelo próprio ambiente mais ombrófilo e úmido, como nas Grotas. Nestes geoambientes as concentrações de P e K se mostraram mais elevadas do que nos ambientes campestres abertos. Na Mata Baixa com Candeia, a pobreza química do ambiente parece ser limitante da não-ocorrência de uma floresta mais densa. Nos Campos de Altitude, as cotas elevadas parecem relacionadas com o estabelecimento desta vegetação, que diferem dos campos rupestres por estarem sobre solo mais profundo. Em geral, os solos estudados são álicos, com valores de saturação de Al superiores a 80% no horizonte A1, eletronegativos e com acentuado distrofismo. A CTC existente é quase exclusivamente atribuível à fração orgânica, em virtude da atividade muito baixa da fração argila dos solos. Os resultados indicaram a presença destacada de formas pouco cristalinas de Fe, a exemplo do descrito em solos em condições de altitude. Com acúmulo de carbono orgânico, há inibição da cristalização de óxidos de Fe ou Al. A vegetação que se desenvolve em solos O/R e Espodossolos apresenta maior concentração de N onde se verifica maior atividade de algas fotoautotróficas e fixadoras deste elemento. Observa-se que nitrogênio e bases são os elementos de maior concentração nas folhas e na casca da vegetação, e esse comportamento é comum em todos os solos onde haja forte ocorrência de liquens fixadores de N. Com relação ao carbono orgânico total, há diminuição esperada com a profundidade, mesmo nos perfis que apresentam descontinuidade. O fracionamento do carbono orgânico revelou predominância das frações humina e ácidos húmicos sobre a fração ácidos fúlvicos. No entanto, a relação entre as frações ácido húmico:ácidos fúlvicos tende a diminuir em profundidade devido à mobilidade da fração ácido fúlvico. Observou-se correlação entre o carbono orgânico mineralizável (COM) e a fertilidade do solo, destacando-se fósforo e potássio.
This study was carried out with the objective of evaluating the phosphate adsorption and desorption processes and relate them to the soils mineralogy. Thirteen profiles were selected from three Brazilian States and their A and B horizons were collected. The samples were submitted to routine physical and chemical analyses and were subjected to intensive mineralogical characterization. Additionally, the soils were analysed by two techniques of recent use in Soil Science: Atomic Force Microscopy and Diffuse Reflectance Spectroscopy. The first technique presented small advantage when compared with the traditional Electron Microscopy, but both technique did not allow a good particles distinction. The Diffuse Reflectance Spectroscopy showed a good soil potential for studies of Soil Science, due to its simplicity and low cost. The color characterization, by this method, allowed an excellent quantification of the iron oxides and also the calculation of the hematite/(hematite + goethite) ratio. Organic matter did not affect the goethite and hematite quantification, but affected the color coefficients determination. In the phosphate adsorption study the soils exhibited a large adsorptive capacity and almost all of them presented maximum adsorption values above 1,000 μg/g. The pH in NaF 1 mol/L and gibbsite were directly and, caulinite was inversely correlated with phosphate maximum adsorption. By stepwise regression analysis, goethite was the main mineral individually related with the phenomenon, and when considered together with gibbsite and caulinite explained more than 94% of the maximum adsorption variation. When most of the soils characteristics were considered in the stepwise regression analysis, the P-remainder and redness ratting with an inverse relationships and pH (NaF) and specific surface (N2) with a direct relationship, explained more than 96% of the maximum adsorption variation. The A and B horizons and the yellowish and reddish soils presented similar phosphate maximum adsorption, however it was observed a visual tendency of higher adsorption values associated with B horizon and yellowish samples in the adsorption curves. In the desorption study, the Johnson-Mehl model allowed successfully to fit the kinetic curves, with desorption maximum values ranging from 60 to 1,000 μg/g. It was recovered 25 to 66% of phosphorus previously applied, and the phosphate maximum desorption, by resin extraction, occurred approximatelly with 24 hours of reaction. The significant positive correlation between phosphate desorption and adsorption was caused by the chosen method to apply the phosphorus before incubation. The desorption process was dependent of the amounts previously applied to incubation. The maximum desorption significantly correlated with gibbsite contents and Al2O 3 from sulfuric and digestion. The percent desorbed was inversely associated with iron oxides and surface area and, directly associated with caulinite, both statistically significant. There were no statistical differences between, yellow and red soil colors but the B horizons exhibited the highest maximum desorption values and lowest desorption velocity. The percent desorbed was similar in these two horizons.
Palavras-chave: Parque estadual do ibitipoca
Manejo
Pedologia
Ecologia de paisagem
Solos organicos
Geoambientes
CNPq: Ciências Agrárias
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: DIAS, Herly Carlos Teixeira. Geoambientes e pedogênese do Parque Estadual do Ibitipoca, município de Lima Duarte (MG). 2000. 76f. Tese (Doutorado em Solos e Nutrição de Plantas) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2000.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/7926
Data do documento: 20-Jul-2000
Aparece nas coleções:Solos e Nutrição de Plantas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo704,37 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.