Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/7974
Tipo: Tese
Título: Supplementation plans for development of Nellore heifers, effects of creep-feeding on the lactating dam and dietary strategies for Nellore cows in the last third of gestation
Planos de suplementação para desenvolvimento de novilhas Nelore, efeitos do creep-feeding sobre a matriz lactante e estratégias dietéticas para vacas Nelore no terço final de gestação
Autor(es): Silva, Aline Gomes da
Abstract: Reproduction is the single most important economic component in any beef production system and the low offtake rate observed in the Brazilian herd reflects the low fertility rate of cows and the late age at puberty of replacement heifers. In order to provide more information about nutritional strategies to better develop Nellore heifers and to improve dams’ performance, two studies were conducted and the results are here presented in three papers. In the first paper, fifty Nellore heifers with 131.8 ± 9.9 kg average body weight (BW) and 138 ± 19 d of age were supplemented from 4 to 14 months to evaluate the effects of high (H) and low (L) supplementation levels pre and post-weaning on performance, endocrine, metabolic and reproductive responses of heifers. Heifers were distributed in five supplementation plans: HH – animals received 6 g/kg of BW pre and post-weaning; HL – animals received 6 g/kg of BW of supplement pre-weaning and 3 g/kg of BW post-weaning; LH – animals received 3 g/kg of BW pre-weaning and 6 g/kg of BW post-weaning; LL – animals received 3 g/kg of BW pre and post-weaning; and CC – control, no supplement was fed. Interactions between level fed pre and post-weaning were not significant for any performance variables evaluated (P > 0.10). Level of supplement fed pre-weaning did not affect any of the performance variables evaluated at the end of the experiment (P > 0.10). There was a significant effect of supplementation and level of supplementation offered post-weaning on average daily gain (ADG) in the post-weaning phase and final BW (P < 0.05). Overall ADG was also affected only by supplementation and level of supplement fed post-weaning (P < 0.05) with animals receiving 6 g/kg of BW post-weaning gaining more. Follicular diameter was greater for animals receiving 6 g/kg of BW post-weaning (P < 0.05). Growth hormone tended to be higher for heifers receiving 6 g/kg of BW pre-weaning (P < 0.10) and in the post-weaning phase, growth hormone was lower for heifers receiving supplementation (P < 0.05). No difference in insulin levels was observed in the pre-weaning phase (P > 0.10) and insulin levels post-weaning were affected only by level of supplementation offered in that phase (P < 0.05). Most metabolites were not affected by pre-weaning treatment (P > 0.10). There was no difference in total cholesterol, HDL and LDL levels among treatments pre-weaning (P > 0.10). All metabolites related to fat metabolism reduced after weaning but only LDL was significantly different among treatments (P < 0.05). There was a positive effect of level of supplementation post-weaning on serum total protein concentration (P < 0.05). Supplementation increased albumin levels (P < 0.05) and animals receiving high amount of supplement had higher albumin levels as well (P < 0.05). There was no significant difference in globulins concentrations (P > 0.10). In summary, performance, endocrine, metabolic and reproductive variables evaluated were improved by level of supplement fed post-weaning, with heifers receiving 6 g/kg of BW having greater responses, independently of level received pre-weaning. The same fifty pairs used in the study described for the previous paper were used in the second paper to evaluate the effects of high and low supplementation levels for Nellore heifer calves on performance, milk production and metabolic prolife of their dams. The same treatments evaluated during the pre-weaning phase of the previous paper were also here evaluated: 0 – control, no supplement was fed to calves; 3 - calves received supplement in the amount of 3 g/kg of BW; 6 - calves received supplement in the amount of 6 g/kg of BW. There was no significant effect level of supplementation offered to offspring on cow BW, BCS and subcutaneous fat thickness (P > 0.10). Level of supplementation of heifer calves did not significantly affect milk production corrected to 4% of fat (P > 0.10). Fat, protein, lactose and total solids of the milk also did not differ among supplementation strategies (P > 0.10). Level of supplement fed to calves had no effect on cows’ glucose, total cholesterol, HDL, LDL, triglycerides, total protein and albumin levels (P > 0.10). In conclusion, creep-feeding calves in the amounts of 3 or 6 g/kg of BW daily has no major impact on dams’ performance. In the second study, presented in the third paper, two experiments were conducted aiming to evaluate the effects of supplementation strategies for beef cows on the last third of gestation. In Experiment 1, to evaluate performance and reproductive responses, thirty-five pregnant Nellore cows were assigned to a completely randomized design with 4 treatments: control, which received no supplement; supplementation for the last 30 d of gestation (30d; 3.0 kg/d); supplementation for the last 60 d of gestation (60d; 1.5 kg/d); or supplementation for the last 90 d of gestation (90d; 1.0 kg/d). All supplemented treatments received the same total amount of supplement (20% of crude protein) throughout the experiment, 90 kg. Experiment 2 was delineated aiming to evaluate the effects of the amounts fed for cows in Experiment 1 on intake and metabolism. Four multiparous pregnant Nellore cows were assigned to a 4 × 4 Latin square design, with 4 experimental periods of 15 d each. There was a linear effect of days of supplementation on calving body weight (BW; P < 0.05) and a quadratic effect on BW change from parturition to d 31 post-calving (P < 0.05), with cows on the 60d strategy loosing less BW. No difference was found in offspring birth BW (P > 0.10). The 60d strategy tended to have higher pregnancy rate in the first fixed time artificial insemination (FTAI; P < 0.10), but there was no difference in the overall pregnancy rates (P > 0.10). Level of supplementation did not affect forage intake or neutral detergent fiber digestibility (P > 0.10). Nitrogen excreted through urine tended to increase linearly with level of supplementation (P < 0.10). We conclude that providing 1.5 kg of supplement during the last 60 d of gestation improves cow reproductive performance in the following breeding season with no negative effect on forage intake.
A reprodução é o componente econômico individual de maior importância em sistemas de produção de carne bovina e a baixa taxa de desfrute observada no rebanho brasileiro reflete a baixa taxa de fertilidade de vacas e a elevada idade à puberdade das novilhas de reposição. Com o intuito de fornecer mais informações sobre estratégias nutricionais para desenvolver novilhas e melhorar o desempenho de matrizes, dois estudos foram realizados e são aqui apresentados na forma de três artigos. Cinquenta novilhas Nelore com 131,8 ± 9,9 kg de peso corporal (PC) médio e 138 ±19 dias de idade foram suplementadas dos 4 aos 14 meses para avaliar os efeitos de alto (A) e baixo (B) níveis de suplementação durante as fases de amamentação e recria sobre o desempenho e as respostas endócrina, metabólica e reprodutiva. Os animais foram distribuídos em cinco planos de suplementação: AA – as novilhas receberam suplemento na quantidade de 6 g/kg do PC durante a amamentação e recria; AB – as novilhas receberam 6 g/kg do PC na fase de amamentação e 3 g/kg do PC durante a recria; BA – as novilhas receberam 3 g/kg do PC durante a amamentação e 6 g/kg do PC durante a recria; BB – as novilhas receberam 3 g/kg do PC durante a amamentação e recria; e CC – controle, nenhum suplemento foi oferecido, apenas sal mineral. Interação entre os níveis fornecidos na amamentação e recria não foram significativos para nenhuma das variáveis de desempenho avaliadas (P > 0,10). O nível de suplementação oferecido durante a amamentação não apresentou efeito sobre as variáveis de desempenho avaliadas posteriormente, na fase de recria (P > 0,10). Houve efeito significativo da suplementação e do nível de suplementação na recria sobre o ganho médio diário (GMD) na recria e PC final (P < 0,05). O GMD total foi também afetado apenas pela suplementação e nível de suplementação utilizado na recria (P < 0,05), animais que receberam 6 g/kg do PC após o desmame tiveram maior GMD total. O diâmetro folicular foi também maior para os animais que receberam 6 g/kg do PC na recria (P < 0,05). Na fase de amamentação, houve uma tendência para maiores níveis de hormônio do crescimento (GH) nas novilhas que receberam 6 g/kg do PC (P < 0,10), e na recria os níveis de GH foram menores para as novilhas suplementadas (P < 0,05). Não houve diferença entre os tratamentos com relação aos níveis de insulina durante a amamentação (P > 0,10), entretanto, os níveis de insulina foram afetados pelo nível de suplementação utilizado na recria (P < 0,05). A maioria dos metabólitos não foi afetada pelo nível de suplementação utilizado durante a amamentação (P > 0,10). Não houve diferença nos níveis de colesterol total, HDL e LDL entre os tratamentos durante a amamentação (P > 0,10). Todos os metabólitos relacionados com o metabolismo da gordura reduziram na recria em relação à fase de amamentação, mas apenas o LDL diferiu significativamente entre os tratamentos (P < 0,05). Houve um efeito positivo do nível de suplementação sobre a concentração de proteína total no soro durante a recria (P < 0,05). A suplementação também aumentou os níveis de albumina na recria (P < 0,05) e, entre os animais suplementados, animais que receberam alta quantidade de suplemento durante a recria apresentaram níveis mais elevados de albumina (P < 0,05). Mas não houve diferença significativa nas concentrações de globulinas (P > 0,10). Em resumo, o desempenho e variáveis endócrina, metabólica e reprodutiva foram incrementados pelo nível de suplementação fornecido na recria, novilhas que receberam suplemento na quantidade de 6 g/kg do PC na recria apresentaram melhores respostas de forma independente do nível recebido anteriormente, durante a amamentação. Os mesmos cinquenta pares vaca-bezerra utilizados no estudo descrito no primeiro artigo foram também utilizados para avaliar os efeitos de alto e baixo níveis de suplementação para bezerras Nelore sobre o desempenho, a produção de leite e o perfil metabólico de suas mães apresentado no segundo artigo. Os mesmos tratamentos avaliados durante a fase de amamentação do artigo anterior foram também aqui avaliados: 0 - controle, nenhum suplemento foi fornecido às bezerras; 3 – as bezerras receberam suplemento em quantidade de 3 g/kg do PC; 6 - as bezerras receberam suplemento em quantidade de 6 g/kg do PC. Não houve efeito significativo do nível de suplementação fornecido à prole sobre o PC, escore de condição corporal e espessura de gordura subcutânea da vaca ao desmame (P > 0,10). O nível de suplementação das bezerras não afetou significativamente a produção de leite corrigida para 4% de gordura (P > 0,10). Os teores de gordura, proteína, lactose e sólidos totais do leite também não diferiram entre os níveis de suplementação (P > 0,10). O nível de suplemento fornecido à prole não influenciou os teores de glicose, colesterol total, HDL, LDL, triglicerídeos, proteínas totais, albumina e globulinas (P > 0,10). Em conclusão, a suplementação de bezerras lactentes nas quantidades de 3 ou 6 g/kg do PC diariamente não afeta o desempenho da matriz lactante. No segundo estudo, apresentado no terceiro artigo, foram realizados dois experimentos com o objetivo de avaliar os efeitos de estratégias de fornecimento de suplemento para vacas de corte no terço final da gestação. No Experimento 1, delineado para avaliar o desempenho e as respostas reprodutivas, 35 vacas Nelore gestantes foram distribuídas em delineamento experimental inteiramente casualizado com quatro tratamentos: controle - os animais receberam apenas sal mineral durante todo o experimento; 30d – os animais receberam suplementação durante os últimos 30 dias de gestação na quantidade de 3.0 kg/d; 60d – os animais receberam suplementação durante os últimos 60 dias de gestação na quantidade de 1.5 kg/d e; 90d – os animais receberam suplementação durante os últimos 90 dias de gestação na quantidade de 1.0 kg/d. Todos os tratamentos suplementados receberam a mesma quantidade total de suplemento ao longo do experimento (90 kg; 20% de proteína bruta). O Experimento 2 do terceiro artigo foi delineado com o objetivo de avaliar os efeitos das quantidades que foram diariamente fornecidas para as vacas do Experimento 1 sobre o consumo e metabolismo. Para tanto, quatro vacas Nelore multíparas e gestantes foram utilizadas em delineamento quadrado latino 4 × 4, com 4 períodos experimentais de 15 dias cada. Houve efeito linear de estratégia de suplementação sobre o PC ao parto (P < 0,05) e efeito quadrático sobre a variação de peso pós-parto (P < 0,05), vacas na estratégia 60d perderam menos peso do parto até os 31 dias pós-parto. Nenhuma diferença significativa foi encontrada no PC da prole ao nascimento (P > 0,10). Houve uma tendência quadrática sobre a taxa de gestação na primeira inseminação artificial em tempo fixo (IATF; P < 0,10), mais vacas da estratégia 60d conceberam na primeira IATF, embora nenhuma diferença estatística nas taxas de gestação total tenha sido observada (P > 0,10). O nível de suplementação utilizado não afetou o consumo de forragem ou a digestibilidade da fibra em detergente neutro (P > 0,10). A excreção de N através da urina tendeu a aumentar linearmente com o nível de suplementação (P < 0,10). Conclui-se, portanto, que o fornecimento de 1,5 kg de suplemento durante os últimos 60 dias de gestação melhora o desempenho reprodutivo de vacas de corte na estação de monta subsequente sem nenhum efeito negativo sobre o consumo de forragem.
Palavras-chave: Nutrição animal
Bovino - Reprodução
CNPq: Ciências Agrárias
Zootecnia
Nutrição e Alimentação Animal
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: SILVA, Aline Gomes da. Supplementation plans for development of Nellore heifers, effects of creep-feeding on the lactating dam and dietary strategies for Nellore cows in the last third of gestation. 2016. 85f. Tese (Doutorado em Zootecnia) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2016.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/7974
Data do documento: 9-Mar-2016
Aparece nas coleções:Zootecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo457,57 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.