Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/8556
Tipo: Tese
Título: Cinética biomolecular de fatores de crescimento e colágeno envolvidos na cicatrização de pele tratada com plasma rico em plaquetas pobre em leucócitos: modelo experimental em equinos
Molecular kinetics of growth factors and collagen involved in the healing of skin treated with leukocyte-poor platelet-rich plasma: an experimental model in horses
Autor(es): Pinto, José de Oliveira
Abstract: A pele é um dos órgãos mais importantes do corpo. Embora haja controvérsias, o plasma rico em plaquetas e pobre em leucócitos (PRP-PL), fonte de fatores de crescimento, é considerado eficaz em acelerar o processo de cicatrização de diversos tecidos. O objetivo desse estudo foi avaliar o processo de cicatrização por segunda intenção de feridas cutâneas de equinos tratadas (T) ou não (NT) com dose única de PRP-PL, 12 horas após indução cirúrgica da lesão. Foram utilizados oito equinos com idade entre 16 a 17 anos. Três feridas com 6,25 cm2 foram produzidas na região glútea direita e esquerda de todos os animais, nomeadas A, B e C, respectivamente. Doze horas após indução das lesões, 0,5 mL de PRP-PL autólogo, foram administrados em cada extremidade das feridas. Cinco biópsias de pele foram obtidas com Punch de 6-mm. A primeira amostra foi obtida com bisturi, no momento de indução da lesão (T0). As amostras obtidas com um (T1) e dois dias (T2), assim como com uma (T3) e duas (T4) semanas foram realizadas a partir das feridas A e B. A ultima biópsia (T5), realizada aproximadamente aos 37 dias, foi realizada na lesão C, após completo fechamento macroscópico da pele. Exsudação, presença de crosta e de tecido de granulação, assim como a evolução do fechamento da ferida foram diariamente verificados. Os retalhos de tecido cutâneo foram obtidos para determinação da expressão dos colágenos tipo I e III por qRT-PCR e quantificação dos fatores de crescimento TGF-β1 e PDGF-BB na pele, PRP e plasma sanguíneo por ELISA. Também foram obtidas amostras para histomorfometria, coloração hematoxilina-eosina e Tricrômico de Masson. Várias análises estatísticas foram realizadas, sendo adotado um nível de significância de 5%. Não houve alterações entre grupos nas variáveis estudadas durante avaliação física e laboratorial. Não houve diferença entre grupos no tempo para fechamento das feridas, embora tenha sido discretamente mais rápido nas lesões não tratadas. Diferenças (p<0,05) entre grupos foram observadas para a expressão dos colágenos tipos I e III no T1 e T4, sendo maior nas feridas tratadas. O pico de expressão dos colágenos tipos I e III ocorreu aos 37 dias, para ambos os grupos, mas a maior expressão foi diferente (p<0,05) da observada no T0, a partir de uma semana. Nas lesões tratadas a expressão dos colágenos começou a estabilizar na avaliação final, enquanto que nas NT os valores permaneceram elevados (p>0,05). Não houve diferença entre os grupos, nos valores dos dois fatores de crescimento mensurados na pele, nos diferentes tempos. Também não houve correlação entre a quantidade dos fatores de crescimento presentes na pele e no plasma. Por outro lado, correlação positiva foi observada entre PRP-PL e a pele na lesão tratada, para os fatores de crescimento TGF-β1 (r=0,31) e PDGF-BB (r=0,38), bem como entre ambos os fatores de crescimento presentes no PRP-PL (r=0,81). Considerando as concentrações dos fatores de crescimento no T0, maiores valores cutâneos (p<0,05) do TGF-β1, em ambos os grupos, ocorreram com uma semana e na avaliação final. Valores mais elevados (p<0,05) do PDGF-BB foram com duas semanas (T) e quando a ferida estava macroscopicamente fechada (NT). No plasma não houve alteração nas concentrações desses fatores em relação ao T0, o que sugere que o PRP- PL não ocasiona efeito sistêmico, quando os procedimentos adotados no presente estudo são utilizados. Avaliação histológica revelou diferença entre grupos na contagem dos leucócitos totais (p=0,0179) e fibrócitos (p=0,023), que foi maior e menor no grupo tratado, nos tempos 14 e 7 dias depois de produzida a lesão cirúrgica, respectivamente. A morfofometria revelou que com duas semanas havia maior quantidade de vasos sanguíneos (p=0,034) nas feridas tratadas. Na sequência os valores se aproximaram dos observados nas feridas não tratadas. Administração local dose única de PRP-PL, aplicada 12 horas após indução cirúrgica de ferida realizada na região glútea de equinos, não altera o fechamento macroscópico da ferida; ocasiona importante aumento da expressão gênica dos colágenos tipos I e III; não aumenta a expressão local de TGF-β1 e PDGF-BB durante diferentes fases do processo de cicatrização. Também não altera a concentração no plasma sanguíneo desses fatores de crescimento 1, 2, 7, 14 e 37 dias após administração. Além disso, durante as fases de migração e proliferação, assim como a de contração e remodelação se observa maiores concentrações desses fatores de crescimento, quando comparadas com as fases de hemostasia e inflamatória; aumenta a infiltração de neutrófilos na fase inflamatória; acarreta elevação da angiogênese duas semanas após tratamento, sem interferência microscópica na fase final do processo cicatricial e, finalmente, promove, percentualmente, cicatrização de melhor qualidade, no momento em que as feridas se encontram macroscopicamente fechadas.
The skin is one of the most important organs of the body. Although there is controversy, leukocyte-poor platelet-rich plasma (LP-PRP), a source of growth factors, is considered effective in accelerating the healing process of various tissues. The aim of this study was to evaluate the process of healing by secondary intention of horse skin wounds treated (T) or untreated (UT) with a single dose of LP-PRP 12 hours after surgical induction of injury. Eight horses with ages between 16-17 years were used. Three wounds measuring 6.25 cm2 were produced in the right and left gluteal regions and craniocaudal direction of all animals, named A, B, and C, respectively. Twelve hours after injury induction, 0.5 mL of autologous LP-PRP was administered to each edge of wounds. Five skin biopsies were obtained with a 6-mm Punch. The first sample was obtained with a scalpel at injury induction (T0). Samples obtained at one (T1) and two days (T2) and at one (T3) and two (T4) weeks were taken from wounds A and B. The last biopsy (T5), performed approximately at 37 days, was done in wound C, after complete macroscopic skin closure. Secretion, clot formation, presence of crust, and granulation tissue, as well as the evolution of wound closure were checked daily. Cutaneous tissue fragments were obtained for determination of the expression of types I and III collagens by RT-qPCR and quantification of growth factors TGF-β1 and PDGF- BB on skin, PRP, and blood plasma by ELISA. Samples were also taken for histomorphometry, processed as routine, and stained with hematoxylin-eosin and Masson's trichrome. Several tests were used to statistical analysis. The significance level adopted was 5%. The physical and laboratory evaluation did not indicate significant changes. There was no difference between groups for the time of wound closure development, although it was slightly faster in UT wounds. Differences (p<0.05) between groups were observed for the expression of types I and III collagen at T1 and T4, but higher in treated wounds. The peak expression of types I and III collagen occurred at 37 days for both groups, but the highest expression was significantly different (p<0.05) from that observed at T0, after one week. In treated wounds, the expression of collagens began to stabilize in the final assessment, whereas in UT, values remained elevated (p>0.05). There was no difference between groups for the values of the two growth factors measured in the skin at different times. There was also no correlation between the amount of the growth factors present in skin and plasma. On the other hand, a positive correlation was observed between LP-PRP and skin in the treated wound for growth factors TGF-β1 (r=0.31) and PDGF-BB (r=0.38) and between both growth factors present in LP-PRP (r=0.81). Regarding the concentrations of growth factors at T0, greater skin values (p<0.05) of TGF-β1 in both groups occurred at one week in the final assessment. Higher (p<0.05) PDGF-BB values occurred at two weeks (T) and when the wound was macroscopically closed (UT). In the plasma, there was no change in concentrations of these factors in relation to T0, which suggests that LP-PRP does not cause any systemic effect when the procedures adopted in the present study are employed. Histological evaluation revealed differences between the groups for the count of total leukocytes (p=0.0179) and fibrocytes (p=0.023), which was higher and lower in the treated group at 14 and 7 days after the surgical injury was produced, respectively. Morphometric analysis revealed that at two weeks there was a greater amount of blood vessels (p=0.034) in treated wounds. Subsequently, the values approached those presented in UT wounds. Local administration single dose of PRP-PL, applied 12 hours after surgical induction of wound made in the gluteal region of horses, does not alter the macroscopic wound closure; it causes important increase in gene expression of collagen types I and III; it does not increase the local expression of TGF-β1 and PDGF-BB during different phases of the healing process. In addition, does not change in the blood and plasma concentration of these growth factors at 1, 2, 7, 14 and 37 (approximately) days after administration. Moreover, during the phases of migration and proliferation, as well as of contraction and remodeling cause greater concentrations of these growth factors TGF- β1 and PDGF-BB when compared with the stages of hemostasis and inflammation; increased neutrophil infiltration in inflammatory phase; results in increase of angiogenesis two weeks after treatment, with no microscopic interference in the final phase of the healing process, and finally away promotes, in percentage, better quality of healing when the wounds are closed macroscopically.
Palavras-chave: Dermatologia veterinária
Cavalos - Cicatrização de ferimentos
Colágeno
CNPq: Clínica Veterinária
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: PINTO, José de Oliveira. Cinética biomolecular de fatores de crescimento e colágeno envolvidos na cicatrização de pele tratada com plasma rico em plaquetas pobre em leucócitos: modelo experimental em equinos. 2016. 87f. Tese (Doutorado em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2016.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/8556
Data do documento: 26-Abr-2016
Aparece nas coleções:Medicina Veterinária

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo9,54 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.