Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/8970
Tipo: Dissertação
Título: Determinantes dos desequilíbrios na balança comercial brasileira
Economic factors affecting the brazilian trade balance
Autor(es): Fernandes, Elaine Aparecida
Abstract: Com a liberalização comercial brasileira, no início da década de 90, elimina-se o viés anti-importação, com reduções das barreiras tarifárias e não- tarifárias, resultando em aumento das exportações e, em especial, das importações. Entretanto, constatou-se que as exportações não cresceram ao mesmo ritmo das importações, no período considerado. Esse fato motivou a presente análise que pretende identificar alguns fatores que possam ter contribuído para o desequilíbrio da balança comercial brasileira na década de 90. O método utilizado para detectar problemas de competitividade das exportações, no presente estudo, baseia-se no procedimento encontrado em BLECKER (1996). Esse método consiste na estimação das funções de demanda de importação e de exportação para se obter as respectivas elasticidades-preço e renda. Observando-se as elasticidades-preço estimadas para as demandas de importação e de exportação, conclui-se que as magnitudes das mesmas corroboram a hipótese de que a depreciação cambial no Brasil não afeta, significativamente, o seu quantum exportado, pois, a elasticidade-preço da demanda de exportação não foi estatisticamente significativa para a maioria dos bens analisados. Entretanto, a quantidade a ser comprada do exterior, segundo a presente análise, é fortemente influenciada pelos preços relativos, significando que a taxa de câmbio é uma variável importante na explicação da quantidade importada pelo Brasil. Os resultados encontrados mostram que não existe uma relação definida entre a taxa de câmbio e o quantum exportado para as categorias analisadas. Com isso, a manutenção de um nível de taxa de câmbio capaz de preservar a rentabilidade e a competitividade do setor exportador é uma condição necessária, mas não suficiente, para a expansão das vendas externas ao longo do tempo. A variável renda (doméstica ou mundial) foi de primordial importância na determinação do montante a ser vendido e comprado pelo país. Os valores encontrados para as elasticidades-renda, sem exceções, superaram a unidade, significando que os bens analisados são superiores. Deste modo, um aumento na renda leva a um crescimento mais que proporcional na quantidade consumida dos bens. Observa-se que para todos os bens analisados (exceto combustíveis), a elasticidade-renda da demanda de importação foi maior que a elasticidade-renda da demanda de exportação. Dessa forma, o país encontra-se com seu desempenho competitivo comprometido face à manifestação da preferência dos consumidores externos devido a um aumento de renda no exterior. A superioridade do coeficiente da elasticidade-renda de importação para os grupos de bens analisados sugere que o Brasil não está conseguindo manter o seu progresso tecnológico pari passu ao verificado no resto do mundo. Conseqüentemente, a competitividade de suas exportações não depende de modo satisfatório das sucessivas depreciações da taxa de câmbio. Deve-se, entretanto, ressaltar que o período de análise foi demasiadamente longo e, isso, pode não ser mais verdadeiro para a segunda metade da década de 90.
After Brazilian trade liberalization, in the beginning of the 90 ́s, the anti- import bias was eliminated. The tariff reductions and the suppression of non- tariff barriers result in the expansion of exports and mainly of imports. However, the exports didn't grow at the same rate of imports. That result has motivated the present analysis in order to identify some factors that might have contributed to the disequilibrium of the Brazilian trade balance in the last decade. The problems related to the competitiveness of Brazilian exports are evaluated thorough the procedure presented in BLECKER (1996). The magnitudes of estimated price- elasticity for the import and export demands corroborate the hypothesis that the exchange rate depreciation in Brazil doesn't affect significantly the quantum exported. However, the imported quantity is strongly influenced by relative prices, i.e., the exchange rate is an important variable for the explanation of the Brazilian import behavior. The results also show that doesn't exist a well defined relationship between the exchange rate and the quantum exported for the analyzed categories. This implies that the exchange rate policy should be focus in preserving the profitability and the competitiveness of exporter's, but should not be used to increase the external sales. The per capita income variable (domestic and world) was of fundamental importance in the determination of the Brazilian traded quantities. The estimated income-elasticities, without any exceptions, were greater than the unity. In this way, a percentage increase in the disposable income will result in a more than proportional growth in the consumed amount of the goods. For all analyzed group of goods (except fuels), the income-elasticity of the import demand was larger than the elasticity-income of the export demand. In this way, the competitiveness of Brazilian exports are in clear disadvantage when the domestic and foreign consumers manifest their preference due to an increase in the respective incomes. The superiority of the coefficient for the income-elasticity of imports for the groups of goods suggests that Brazil is not keeping the track to the technological progress verified in the rest of the world. Consequently, the competitiveness of its exports doesn't respond to the successive depreciations of the Brazilian exchange rate. However, it is safe to point out that the covered period analysis was very long and the results may be different for the second half of the nineteen nineties.
Palavras-chave: Barreiras tarifárias
Exportações
Balança comercial
CNPq: Ciências Sociais Aplicadas
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: FERNANDES, Elaine Aparecida. Determinantes dos desequilíbrios na balança comercial brasileira. 2003. 69 f. Dissertação (Mestrado em Economia Aplicada) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2003.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/8970
Data do documento: 12-Fev-2003
Aparece nas coleções:Economia Aplicada

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo209,61 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.