Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/8975
Tipo: Tese
Título: Avaliação de parâmetros bioquímicos e de aspectos toxicológicos de antocianina em coelhos Nova Zelândia
Evaluation of anthocyanin biochemical parameters and toxic Aspects on New Zealand rabbits
Autor(es): Chagas, Cíntia Maria
Abstract: Com o objetivo de se avaliar o efeito da antocianina do repolho roxo e uva roxa no metabolismo lipídico e na toxicologia, foram realizados dois ensaios experimentais com coelhos, da raça Nova Zelândia. No primeiro ensaio experimental induziu-se a hipercolesterolêmia em coelhos machos utilizando 1% de colesterol mais 0,1% de ácido cólico e avaliou-se o efeito das duas substâncias-teste nas doses diária de 50, 100 e 150 mg durante 30 dias, onde foram dosados os níveis sangüíneos de colesterol total, colesterol-HDL e triacilgliceróis. No segundo ensaio experimental utilizou-se coelhos fêmeas e machos que foram alimentados somente com ração comercial e avaliou-se o efeito toxicológico dessas substâncias-teste no metabolismo protéico, lipídico, nos minerais e nos níveis de glicose durante um período de 30 dias em doses diária de 50, 100 e 150 mg de antocianina do repolho roxo e uva roxa. No final de cada ensaio experimental os animais foram sacrificados e foi feito uma avaliação morfológica hepática. Pelos resultados obtidos no primeiro ensaio experimental observou-se que 50 mg de antocianina de repolho roxo aos 15 e 30 dias e 100 mg de antocianina de uva roxa aos 15 dias de tratamento reduziram os níveis sangüíneos de colesterol total, quando comparado ao controle. Em relação ao colesterol-HDL, houve um aumento desta lipoproteína para a antocianina do repolho roxo na dose de 100 mg e para a antocianina de uva roxa na dose de 50 mg em um período de 30 dias. A antocianina de repolho roxo e uva roxa mostraram um efeito de redução mais intensificado no nível de triacilglicerol na dose de 100 mg aos 15 e 30 dias de tratamento. Pelos resultados obtidos no segundo ensaio experimental observou-se, quanto a antocianina do repolho roxo, um efeito hipolipidêmico na dose de 150 mg para fêmeas e 100 mg para machos (15 e 30 dias), uma elevação de colesterol-HDL para machos e fêmeas na dose de 50 mg (30 dias), um efeito hipolipidêmico sobre triacilglicerol, aos 30 dias, para machos na dose de 50 mg e fêmeas 150 mg, apresentando um aumento de glicemia para os machos durante todo período experimental e para as fêmeas com 15 dias de tratamento. Para o metabolismo protéico, observou-se uma redução na concentração de creatinina e proteína em relação ao controle para ambos os sexos e uma redução na concentração de albumina, aos 30 dias, nos machos na dose de 100 mg e 150 mg para as fêmeas. Observou-se uma tendência em diminuir o nível sangüíneo de cálcio para machos e aumentar para as fêmeas na dose 100 mg (30 dias), um aumento na concentração de fósforo para machos e diminuição para fêmeas e uma redução no nível sérico de cloro aos 30 dias de tratamento em relação ao controle. Quanto a antocianina da uva roxa, observou-se um efeito hipolipidêmico, aos 15 e 30 dias, na dose de 100 mg para fêmeas e 150 mg para machos, uma elevação de colesterol-HDL somente para machos na dose de 50 mg (15 e 30 dias), um efeito hipotrigliceridêmico somente para machos na dose de 150 mg (15 dias) e um efeito hipoglicemiante para ambos os sexos. Em relação ao metabolismo protéico, observou-se uma redução na concentração de creatinina, albumina na dose de 150 mg para ambos sexos e alterações não relevantes quanto aos níveis séricos de proteínas, em relação ao grupo controle. Houve uma tendência em diminuir o nível de cálcio para machos e fêmeas, exceto na dose de 50 mg para os machos, aos 30 dias. Foi observado uma tendência em diminuir o nível de fósforo para os machos, exceto na dose de 50 mg (30 dias) e uma redução no nível de cloro aos 30 dias, em relação ao grupo controle. Com relação ao peso corporal, os resultados evidenciaram que a antocianina do repolho roxo e uva roxa proporcionou ganho de peso no metabolismo lipídico e na toxicologia. A avaliação morfológica hepática foi feita somente em animais que receberam antocianina de uva roxa não sendo possível uma interpretação segura das lâminas obtidas da antocianina do repolho roxo devido as alterações nos tecidos, resultantes do processo de fixação. Os resultados obtidos mostraram que o grupo que recebeu 150 mg de antocianina de uva roxa, colesterol e ácido cólico apresentou maior proteção hepática efetiva em relação ao grupo tratado com 50 e 100 mg. Os animais que receberam apenas ração + antocianina da uva roxa nas diferentes doses (50, 100 e 150mg) exibiram morfologia hepática semelhante aos animais do grupo padrão (ração) sem processos degenerativos e modificações na arquitetura dos lóbulos. Pode-se concluir que a antocianina do repolho roxo e uva roxa apresentaram efeito hipolipidêmico sobre o colesterol total, um aumento no nível sérico de colesterol-HDL e um efeito hipotrigliceridêmico. Pode-se concluir ainda que as substâncias testadas não foram tóxicas, nas doses empregadas para o metabolismo de proteínas, minerais, lipídeos e carboidratos, não havendo alterações tóxicas no tecido hepático nas doses utilizadas e na duração do experimento.
Two experimental essays were carried out with rabbits of the New Zealand breed, with the objective of evaluating the effect of the anthocyanin found in red cabbage and in red grape on the lipidic metabolism and in the toxicology. In the first experimental essay, the hypercholesterolemia was induced to male rabbits, using 1% of cholesterol and 0,1% of colic acid. It was evaluated the effect of the two test substances furnished in daily doses of 50, 100 and 150 mg during 30 days, in which the blood levels of total cholesterol, HDL-cholesterol and triacylglycerol were dosed. In the second experimental essay, female and male rabbits fed with only industrial ration were used and it was evaluated the toxicological effect of those test substances on the protein and lipidic metabolism, on minerals and on the glucose levels during a period of 30 days, in daily doses of 50, 100 and 150 mg of the anthocyanin found in red cabbages and red grapes. At the end of each experimental essay, the animals were slain and a hepatic morphological evaluation was performed. Through the results achieved in the first experimental essay, it was observed that 50 mg of anthocyanin of red cabbage on the 15th and 30th days of the treatment and 100 mg of anthocyanin of red grape on the 15th day of the treatment reduced the blood levels of the total cholesterol, when compared to the control. The HDL cholesterol level increased with the 100 mg dose for the anthocyanin of the red cabbage and with the 50 mg dose for the anthocyanin of the red grape in a 30- day period. The anthocyanin of the red cabbage and red grape demonstrated a more intense reduction effect on the level of triacyglycerol with the 100 mg dose on the 15th and 30th days of treatment. Through the results obtained in the second experimental essay, it was observed, as to the anthocyanin of the red cabbage, a hypolipidemic effect with the 150 mg dose for females and 100 mg (15 and 30 days) for males, an elevation of HDL-cholesterol for males and females with the dose of 50 mg (30 days), an hypolipidemic effect on the triacilglicerol, on the 30th day, with a 50 mg dose for the males and a 150 mg dose for the females, with an increase of glycemia for the males during all the experimental period and for the males and females, on the 15th day of treatment. As to the protein metabolism, it was observed a reduction in the creatinin and protein concentration, in comparison to the control for both sexes, as well as a reduction in the albumin concentration, on the 30th day, with a 100 mg dose for males and a 150 mg dose for females. It was observed the tendency for a decreasing calcium blood level for the males and an increasing calcium blood level for the females with the 100 mg dose (30 days), an increase in the phosphor concentration for the males and a decrease of phosphor concentration for the females, as well as a reduction in the chlorine blood level on the 30th day of treatment, compared to the control. As to the anthocyanin of the red grape, a hypolipidemic effect was noticed, on the 15th and 30th days, with a 100mg dose for the females and 150 mg dose for the males. Besides, it was observed a HDL- cholesterol elevation only for the males with a 50 mg dose (15 and 30 days), a hypotriglyceridemic effect only for the males with a 150 mg dose (15 days) and a hypoglycemiante effect for both sexes. As to the protein metabolism, it was observed a reduced concentration of creatinin, albumin with the 150 mg dose for both sexes and an irrelevant alteration in the protein blood levels, compared to the control group. The calcium level tended to decrease for the males and females, except when the dose was 50 mg for the males on the 30th day. It was observed a trend for the phosphor level to decrease for the males, except with the use of a 50 mg dose (30 days), and a chlorine level reduction on the 30th day, compared to the control group. With relationship to the corporal weight, the results evidenced that the anthocyanin of the red cabbage and red grape provided weight earnings in the lipidic metabolism and in the toxicology. The hepatic morphological evaluation was only performed in animals which received red grape anthocyanin and it is not possible to have a safe interpretation of the sheets obtained from the red cabbage anthocyanin, due to the alterations on the tissues, resulting from the fixation process. The results obtained demonstrated that the group which received 150 mg of red grape anthocyanin, cholesterol and colic acid presented better hepatic protection than the group treated with 50 mg and 100 mg. The animals which received only ration + red grape anthocyanin with different doses (50, 100 and 150 mg) achieved a hepatic morphology similar to the animals in the pattern group (ration), without decaying processes or modification in the lobe architecture. It is possible to conclude that the red cabbage anthocyanin and the red grape anthocyanin present a hypolipidemic effect on the total cholesterol, an increase in the blood level of the HDL cholesterol and an hypotriglyceridemic effect. It is also possible to conclude that the substances tested were not toxic at the doses employed for the metabolism of proteins, minerals, lipids and carbohydrates, since no toxic alterations were found in the hepatic tissue for the doses used and for the time length of the experiment.
Palavras-chave: Antocianinas
Colesterol
Toxicologia
Coelhos
Uva
Repolho roxo
CNPq: Ciências Agrárias
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: CHAGAS, Cíntia Maria. Avaliação de parâmetros bioquímicos e de aspectos toxicológicos de antocianina em coelhos Nova Zelândia. 2002. 137f. Tese (Doutorado em Ciência e Tecnologia de Alimentos) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2002.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/8975
Data do documento: 9-Abr-2002
Aparece nas coleções:Ciência e Tecnologia de Alimentos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo840,93 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.