Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/8997
Tipo: Dissertação
Título: Utilização de concentrado protéico do leite na fabricação de queijo Minas Frescal
The use of milk protein concentrate in the manufacture of Minas Frescal type cheese
Autor(es): Castro, Cristina Cardoso Silva
Abstract: O objetivo principal deste trabalho foi apresentar uma alternativa de produção do queijo Minas Frescal através da utilização de um concentrado protéico do leite (CPL), avaliando suas características físico-químicas, microbiológicas e sensoriais. Os objetivos secundários foram analisar o efeito do ácido lático (tratamento 1) e do fermento lático mesofílico (tratamento 2) nesse novo processo, ambos com três concentrações (0,2%, 0,5% e 0,8%); aumentar a vida útil do queijo e o rendimento do processo; e, ainda, avaliar e comparar os queijos das marcas A, B e C fabricados por ultrafiltração, coletados no mercado. Esses queijos foram avaliados aos 5, 15, 25, 35 e 45 dias da fabricação, quanto às análises de pH, acidez, % de nitrogênio solúvel a pH 4,6 e % de nitrogênio solúvel em TCA 12%; e aos 5 e 25 dias, quanto à contagem total de mesófilos aeróbios, psicrotróficos, fungos filamentosos e leveduras e coliformes totais. O teste de aceitação dos queijos experimentais e depois, simultaneamente, das marcas A, B e C foi realizado no 10o dia após a fabricação. No quinto dia depois de fabricados foram feitas as análises de gordura, gordura no extrato seco, umidade, sal, sal na umidade e coliformes fecais. Os queijos ultrafiltrados passaram pelas mesmas análises do quinto dia, sendo as análises físico-químicas e microbiológicas realizadas aos 5, 15, 25, 35 e 45 dias da fabricação. No decorrer do período de estocagem dos queijos com CPL ocorreu aumento nos valores da acidez titulável, expresso em % de ácido lático, da % de NS a pH 4,6 e da % de NS em TCA 12%, além de uma queda nos valores de pH. Essa variação foi observada nos dois tratamentos, porém em menor grau nos queijos fabricados com ácido lático. Nos queijos das três diferentes marcas comerciais (A, B e C), verificou-se um comportamento linear decrescente da variável pH no decorrer do período de estocagem (dias) e que não houve efeito de dias sobre a variável acidez. Com relação às variáveis % de NS a pH 4,6 e % de NS em TCA 12%, houve aumento nos valores com o decorrer do período de estocagem. Quanto às análises microbiológicas, os resultados dos queijos experimentais e das marcas comerciais indicaram condições higiênicas de processamento insatisfatórias e satisfatórias, respectivamente. Os queijos fabricados com o concentrado protéico do leite e ácido lático tiveram maior aceitação do que os com fermento lático. Já os com concentrado protéico e os ultrafiltrados das marcas A e C não diferiram estatisticamente entre si (P>0,05).
The main objective of this work was to create an alternative procedure for the manufacture of Minas Frescal type chese using milk protein concentrate (MPC). Cheeses were analysed for physical chemical, microbiological and sensorial characteristics. As secondary objective, the experimental work evaluated the efects of two acidification methods for curd: acidification with addition of lactic acid (Treatment 1) e acidification by means of addition of starter culture (Treatment 2), both at concentrations of 0.2, 0.5 and 0.8%. Cheeses were also evaluated for shelf life and yield. Cheeses made from ultrafiltered milk (A, B and C), sampled from the market, were also evaluated, in order to make comparisons. Cheeses were evaluated at 5, 15, 25, 35 and 45 days of age for physical chemical analysis (pH, titratable acidity, pH 4.6 soluble nitrogen and TCA 12% soluble nitrogen) and for microbiological analysis (mesophilic total count, psychrotrophs, total coliform and yeast and mold) at 5 and 25 days of age. Sensory evaluation (acceptance test) was conducted at 10 days after manufacturing for both experimental and ultrafiltered cheeses (A, B and C). At 5 days of age, experimental cheeses were analysed for fat, moisture and salt content, as well as for fecal coliform. Ultrafiltered cheeses were also submitted to the same analysis and for physical chemical and microbiological analysis at 5, 15, 25, 35 and 45 days of age. Throughout the storage period, cheeses made with MPC presented higher values for titratable acidity (expressed as % of lactic acid), % of pH 4.6 soluble nitrogen and TCA 12% soluble nitrogen and lower values for pH. This variation was observed for both treatments although it has occurred in a less extent for cheeses made with addition of lactic acid. UF cheeses (A, B and C) differed (P < 0.01) for pH and pH 4.6 soluble nitrogen. Interaction was found between commercial brands of cheese and storage period for pH (P < 0,05), titratable acidity and % of pH 4.6 soluble nitrogen (P < 0.01). Cheeses from ultrafiltered milk (A, B, C) presented better microbiological quality as compared to the experimental cheeses. Sensory evalutation showed that only the ultrafiltered cheese B differed (P < 0.05) from cheeses made with lactic acid, starter culture and cheese brand A, suggesting that cheeses made with MPC had similar acceptance to those manufactured by UF process.
Palavras-chave: Concentrado protéico
Leite
Queijo Minas Frescal
CNPq: Ciências Agrárias
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: CASTRO, Cristina Cardoso Silva. Utilização de concentrado protéico do leite na fabricação de queijo Minas Frescal. 2003. 62f. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2003.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/8997
Data do documento: 14-Jul-2003
Aparece nas coleções:Ciência e Tecnologia de Alimentos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo2,87 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.