Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/9203
Tipo: Dissertação
Título: Histologia hepática após uso crônico de álcool e treinamento físico em ratos Wistar
Hepatocytes morphometry after chronic use of alcohol and exercise training in Wistar rats
Autor(es): Lucca, Marina Silva de
Abstract: A Doença Hepática Alcóolica (DHA) inclui um espectro de doenças, desde uma simples esteatose ao carcinoma hepatocelular, cujos fatores genéticos e ambientais interagem para produzir um fenótipo da doença e sua progressão. Doenças hepáticas contribuem significativamente para a carga global de morbimortalidade. Em princípio, toda a carga global da DHA é evitável, porém difícil de alcançar, pois interfere em hábitos individuais e culturais de longa data. A abordagem para minimizar a carga global de doença da DHA envolve intervenções principalmente nos estágios iniciais da doença. A compreensão dos mecanismos subjacentes à DHA pode auxiliar na descoberta de intervenções que reduzem a progressão da esteatose a formas graves de lesão hepática, como esteatohepatite, fibrose e cirrose. Nesse contexto, o exercício físico tem sido investigado como coadjuvante terapêutico para DHA. O objetivo geral dessa dissertação foi avaliar a histologia hepática após uso crônico de álcool e treinamento físico em ratos Wistar. Essa dissertação contempla dois artigos, sendo que o objetivo do artigo de revisão foi realizar revisão de literatura sobre o tema da dissertação e os objetivos do artigo original foram: descrever a morfologia hepática após uso crônico de álcool e treinamento físico em ratos Wistar; aferir área, perímetro, diâmetro máximo, diâmetro mínimo e fator forma de núcleos e citoplasmas de hepatócitos após uso crônico de álcool e treinamento físico em ratos Wistar; correlacionar alterações na morfologia e morfometria hepáticas com o uso de álcool e treinamento físico em ratos Wistar; descrever alterações do peso, tempo de exaustão e velocidade máxima de corrida dos animais durante o experimento; verificar possíveis benefícios do treinamento físico na histologia hepática após uso crônico de álcool.O primeiro estudo demonstrou que a ingesta crônica de álcool causa danos tóxicos diretos e indiretos principalmente ao aumentar o estresse oxidativo, reduzir os níveis de antioxidantes não-enzimáticos, reduzir a relação NAD+/NADH, alterar a função mitocondrial, aumentar a peroxidação lipídica e aumentar a produção de acetaldeído. Por outro lado, os exercícios podem ser uma terapia útil para melhorar a performance e capacidade funcional em indivíduos com doença hepática, podendo ter alguma influência positiva direta, além da simples modificação dos níveis de gordura no fígado. Parece também que a intensidade da atividade física é importante para prevenir a progressão da doença, porém mais estudos são necessários para definir se o exercício físico pode restaurar a saúde hepática e qual seria a quantidade e o tipo de exercício necessários.O segundo estudo foi experimental com 24 ratos Wistar, com duração de 6 semanas, sendo quatro semanas de administração de álcool e duas de treinamento físico. Os resultados apresentados evidenciaram que o treinamento físico aeróbico realizado por duas semanas não foi suficiente para suprimir as alterações histopatológicas do fígado causadas pelo uso crônico de álcool em ratos Wistar. No entanto, esses dados não excluem os benefícios hepáticos da atividade física aeróbica, uma vez que o uso crônico do álcool parece ter minimizado o efeito benéfico do treinamento físico na área do núcleo dos hepatócitos. É possível que uma duração maior do treinamento físico seja necessária para demonstrar benefícios, levando a perspectiva de novo experimento, aperfeiçoando o protocolo de exercício físico e controle das limitações identificadas.
Alcoholic liver disease (ALD) includes a spectrum of diseases ranging from simple steatosis to hepatocellular carcinoma, whose genetic and environmental factors interact to produce a phenotype of the disease and its progression. Liver diseases contribute significantly to the global burden of morbidity and mortality. In principle, the entire global burden of ALD is preventable but difficult to achieve because it interferes with longstanding individual and cultural habits. The approach to minimize the global burden of disease ALD involves interventions particularly in the early stages of the disease. Understanding the mechanisms underlying ALD may help in finding interventions that reduce the progression of steatosis to severe forms of liver damage, such as steatohepatitis, fibrosis and cirrhosis. In this context, the exercise has been investigated as a therapeutic adjunct to ALD. The overall objective of this thesis was to evaluate the hepatic histology after chronic use of alcohol and physical training in rats. This dissertation includes two articles, with the aim of the review article was to conduct a literature review on the topic of the dissertation and the goals of the original article were to describe the liver morphology after chronic use of alcohol and physical training in rats; to measure area, perimeter, maximum diameter, minimum diameter and form factor of nuclei and cytoplasm of hepatocytes after chronic use of alcohol and physical training in rats; to correlate changes in liver morphology and morphometry with the use of alcohol and physical training in rats; to describe changes in weight, time to exhaustion and maximal running speed of animals during the experiment; to check possible benefits of physical training in liver histology after chronic use of alcohol. The first study showed that chronic alcohol intake causes direct and indirect toxic damage primarily increasing oxidative stress, reducing the levels of non-enzymatic antioxidants, reducing NAD + / NADH ratio, altering mitochondrial function, increasing lipid peroxidation and increasing the production of acetaldehyde. On the other hand, the exercise can be a useful therapy to improve performance and functional capacity in patients with liver disease and may have some direct positive effect, beyond the mere modification of fats in the liver. It also appears that the intensity of physical activity is important to prevent progression of the disease, but more studies are needed to determine whether physical exercise can restore liver health and what would be the amount and type of exercise needed. The second study was experimental with 24 Wistar rats, 6-week duration (four weeks of alcohol administration and two physical training). The results presented showed that aerobic physical training carried out for two weeks was not enough to suppress the histopathological changes in the liver caused by chronic use of alcohol in rats. However, these data do not exclude hepatic benefits of aerobic physical activity, since the chronic use of alcohol seems to have minimized the beneficial effect of physical training in the core area of hepatocytes. It is possible that a longer duration of exercise training is necessary to demonstrate benefits, bringing the prospect of new experiment, improving exercise protocol and control the identified limitations.
Palavras-chave: Fígado - Doenças
Bebidas alcóolicas
Exercício físicos - Ratos
CNPq: Ciências da Saúde
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: LUCCA, Marina Silva de. Histologia hepática após uso crônico de álcool e treinamento físico em ratos Wistar. 2016. 55 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2016.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/9203
Data do documento: 22-Jun-2016
Aparece nas coleções:Educação Física

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo1,87 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.