Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/9207
Tipo: Dissertação
Título: Avaliação do nível de atividade física habitual e comportamento sedentário dos pacientes diabéticos com e sem neuropatia periférica atendidos pelo Centro Hiperdia Minas – Microrregião de Viçosa
Habitual physical activity level evaluation and sedentary behavior of diabetic patients with and without peripheral neuropathy attended by Hiperdia Minas Center - Viçosa Microregion
Autor(es): Nascimento, Fernanda Ribeiro
Abstract: O diabetes mellitus é um grupo heterogêneo de distúrbios metabólicos que pode levar a várias complicações de saúde como a neuropatia periférica diabética. A neuropatia periférica diabética é a complicação crônica mais comum e incapacitante do diabetes, pois com a degeneração dos nervos o paciente passa a apresentar sintomas e sinais que levam a um risco aumentado para úlceras e amputações, principalmente nos membros inferiores. O manejo da neuropatia periférica diabética inclui principalmente tratamento medicamentoso, pois os efeitos da atividade física nesse público ainda são pouco explorados. O objetivo principal deste trabalho foi avaliar o nível de atividade física habitual e comportamento sedentário dos pacientes diabéticos com e sem neuropatia periférica diabética atendidos pelo Centro Hiperdia Minas – Microrregião de Viçosa. Foram avaliados 75 indivíduos divididos em três grupos de 25 indivíduos, sendo grupo neuropatia periférica diabética (NPD), grupo diabetes (D) e grupo controle (C), com idades entre 35 e 70 anos, de ambos sexos. Para avaliação do nível de atividade física habitual e comportamento sedentário foi utilizado o acelerômetro tri-axial WGT3X-BT (Actigraph, USA) na cintura por uma semana. A avaliação da neuropatia periférica diabética foi realizada por enfermeira treinada no próprio Centro Hiperdia. Foram avaliados ainda a capacidade funcional e a qualidade de vida dos indivíduos e para caracterização da amostra, medidas antropométricas de massa corporal e estatura com posterior cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC). As médias de idade foram de 55,60 ± 8,47 anos, 56,56 ± 8,92 anos e 49,48 ± 7,67 anos para os grupos NPD, D e C. As médias de massa corporal foram de 80,46 ± 16,5 kg, 77,15 ± 16,29 kg e 67,62 ± 13,60 kg para os grupos NPD, D e C. As médias de estatura foram de 1,65 ± 0,11 m, 1,59 ± 0,10m e 1,64 ± 0,10m para os grupos NPD, D e C. As médias de IMC foram de 29,55 ± 6,9 kg/m 2 , 30,40 ± 7,45 kg/m 2 e 25,07 ± 3,97 kg/m 2 para os grupos NPD, D e C. Não foram verificadas diferenças significativas entre o nível de atividade física habitual dos grupos avaliados sendo encontradas médias de 299,28 ± 185,64 minutos/semana, 312,71 ± 177,68 minutos/semana e 340,53 ± 165,52 minutos/semana para os grupos NPD, D e C. Também não foram encontradas diferenças significativas no comportamento sedentário sendo encontradas médias de 682,35 ± 63,08 minutos/dia, 695,59 ± 56,98 minutos/dia e 702,85 ± 40,10 minutos/dia para os grupos NPD, D e C. Na avaliação da capacidade funcional foi verificado que o grupo C obteve melhores escores para todos os testes aplicados e que os grupos NPD e D tiveram desempenhos similares nos mesmos. Na qualidade de vida avaliada pelo “SF-36” também obtiveram os melhores escores em todos os domínios o grupo C sendo similares os valores dos grupos NPD e D para quase todos os domínios, exceto para o domínio de dor onde o grupo NPD apresentou escore pior do que os demais grupos. Na avaliação do nível de atividade física habitual do grupo neuropatia periférica diabética de acordo com o desenvolvimento da neuropatia foi verificado que aqueles pacientes sem sensibilidade protetora plantar apresentaram valores significativamente menores do que os pacientes com sensibilidade protetora plantar presente (194,89 ± 152,34 minutos/semana vs. 381,30 ± 171,18 minutos/semana) e os pacientes com maior grau de sintomas neuropáticos apresentarem menores tempos de atividade física habitual que aqueles com quadro menos grave da doença (243,87 ± 174,82 minutos/semana vs. 417,01 ± 158,12 minutos/semana), no entanto, com relação aos sinais neuropáticos não foi verificada diferença significativa no nível de atividade física habitual entre os pacientes com quadro mais grave ou menos grave (306,42 ± 188,38 minutos/semana vs. 276,65 ± 191,96 minutos/semana). Concluímos que não houveram diferenças significativas entre os grupos no que diz respeito ao nível de atividade física habitual e comportamento sedentário, porém verificamos que o grau de desenvolvimento da neuropatia pode interferir no nível de atividade física habitual desses pacientes.
Diabetes mellitus is a heterogeneous group of metabolic disorders which may lead to various health complications such as diabetic peripheral neuropathy. Diabetic peripheral neuropathy is the most common chronic complication and disabling of diabetes, because with the nerve degeneration the patient begins to show symptoms and signs that lead to an increased risk for ulcers and amputations, especially in the lower limbs. The management of diabetic peripheral neuropathy mainly includes drug treatment, because the effects of physical activity in that public are still underexplored. The aim of this study was to evaluate the level of habitual physical activity and sedentary behavior of diabetic patients with and without diabetic peripheral neuropathy attended by Hiperdia Minas Centro -Viçosa Microregion. We evaluated 75 subjects divided into groups, three groups of 25 patients into diabetic peripheral neuropathy group (NPD), diabetes group (D) and control group (C), aged between 35 and 70 years, of both sexes. To evaluate the level of habitual physical activity and sedentary behavior was used the tri-axial accelerometer WGT3X-BT (Actigraph, USA) at the waist for a week. The evaluation of diabetic peripheral neuropathy was performed by trained nurse at the Centro Hiperdia. They were also evaluated functional capacity and quality of life of individuals and to characterize the sample, body mass and height anthropometric measurements with subsequent calculation of body mass index (BMI). The average ages were 55.60 ± 8.47 years, 56.56 ± 8.92 years and 49.48 ± 7.67 years, respectively, for the groups NPD, D and C. The average body weight was 80.46 ± 16.5 kg 77.15 ± 16.29 kg 67.62 ± 13.60 kg and, respectively, for the groups NPD, D and C. The average height was 1.65 ± 0.11 m 1.59 ± 0.10 m 1.64 ± 0.10 m and, respectively, for the groups NPD, D and C. The Average BMI were 29.55 ± 6.9 kg/m2 30.40 ± 7.45 kg/m2 and 25.07 ± 3.97 kg/m2, respectively, for the groups NPD, D and C. The results revealed no significant differences between the level of habitual physical activity of the groups evaluated and being found averages 299.28 ± 185.64 minutes / week, 312.71 ± 177.68 minutes / week and 340.53 ± 165.52 minutes / week, respectively, for the groups NPD, D and C. There were also no significant differences in sedentary behavior, and being found averages 682.35 ± 63.08 minutes / day, 695.59 ± 56.98 minutes / day and 702.85 ± 40.10 minutes / day, respectively, for the groups NPD, D and C. In the evaluation of functional capacity, it was found that the C group had better scores for all tests and the NPD group and D group had similar performances in them. Quality of life assessed by the "SF-36" also achieved the best scores in all domains for the group C, being similar the values of NPD and D groups for almost all areas, except for the pain domain where the NPD group showed score worse than the other groups. In the evaluation of habitual physical activity level of diabetic peripheral neuropathy group in accordance with the development of neuropathy it was found that those patients without plantar protective sensibility showed significantly lower values than patients with plantar protective sensibility present (194.89 ± 152.34 minutes/week vs. 381.30 ± 171.18 minutes/week) and patients with higher levels of neuropathic symptoms have lower habitual physical activity times than those with less severe disease frame (243.87 ± 174.82 minutes/week vs. 417.01 ± 158.12 minutes/week), however, in relation to neuropathic signs was no significant difference in the level of habitual physical activity among patients with more severe or less severe condition (306.42 ± 188 38 minutes/week vs. 276.65 ± 191.96 minutes/week). We conclude that there were no significant differences between groups with respect to the usual level of physical activity and sedentary behavior, however, we found that the degree of development of neuropathy may interfere with the usual level of physical activity of these patients.
Palavras-chave: Exercícios físicos
Diabetes
Sedentarismo
CNPq: Ciências da Saúde
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: Nascimento, Fernanda Ribeiro. Avaliação do nível de atividade física habitual e comportamento sedentário dos pacientes diabéticos com e sem neuropatia periférica atendidos pelo Centro Hiperdia Minas – Microrregião de Viçosa. 2016. 77 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2016.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/9207
Data do documento: 31-Ago-2016
Aparece nas coleções:Educação Física

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo2 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.