Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/9846
Tipo: Tese
Título: Heterogeneidade da vegetação Vs. diversidade de Hymenoptera parasitóides e Lepidoptera em plantios de eucalipto
Vegetal heterogeneity vs. diversity of Hymenoptera parasitoids and Lepidoptera in eucalyptus plantations
Autor(es): Dall’oglio, Onice Teresinha
Abstract: A manutenção de áreas com mata nativa, intercaladas aos plantios, pode reduzir os problemas com espécies pragas em reflorestamentos. Himenópteros parasitóides são importantes agentes de controle biológico e de regulação de insetos herbívoros em ecossistemas florestais e essas áreas de mata nativa contribuem para a manutenção de suas populações nos reflorestamentos. O objetivo desta tese foi estudar a heterogeneidade da vegetação sobre a fauna de Hymenoptera inimigos naturais, Lepidoptera e Hymenoptera parasitóides em plantios de eucalipto. Os experimentos foram conduzidos em reflorestamentos com Eucalyptus grandis Hill Ex Maiden, da Celulose Nipo Brasileira S.A. (Cenibra) nos municípios de Ipaba e Belo Oriente, estado de Minas Gerais. A fauna de Hymenoptera inimigos naturais foi amostrada quinzenalmente com armadilhas Malaise de abril a setembro de 1997 nos seguintes locais: i) a 100, 200 e 300m da borda em um fragmento de mata nativa; ii) na borda, em uma área de transição entre a mata nativa e o eucalipto e, iii) a 100, 200 e 300m no plantio de eucalipto. A fauna de Lepidoptera foi amostrada de abril de 1997 a março de 1998 com armadilhas luminosas, nos seguintes locais: i) a 200 e 400m da borda em um fragmento de mata nativa; ii) na borda, em uma área de transição entre a mata nativa e o eucalipto e, iii) a 200 e 400m da borda no plantio de eucalipto. Os himenópteros parasitóides foram amostrados de abril a outubro de 2001, em cinco talhões de E. grandis com e sem sub-bosque. O número de indivíduos de Hymenoptera inimigos naturais foi maior na borda (transição entre eucalipto e mata nativa) que no eucaliptal e na mata nativa. Houve diferença entre as distâncias (100, 200 e 300m) com maior abundância na mata nativa próximo à borda (100m) que no eucaliptal. Os lepidópteros foram mais abundantes na borda e no eucaliptal a 200m da borda. Houve diferença entre o eucalipto e a mata nativa (F=9,102; P=0,006), e eucalipto a 400 e a 200m da borda (F=12,359; P=0,002), com maior número de indivíduos na borda, seguido pelo eucaliptal a 200m da borda. A maioria das espécies de Lepidoptera apresentou número diferente de indivíduos entre o eucaliptal e a mata nativa. Entre o eucaliptal e a borda, seis espécies foram mais abundantes no eucaliptal e quatro na borda; entre o eucaliptal a 400 e a 200m da borda, sete espécies foram mais abundantes no eucaliptal a 200m e, entre a mata nativa a 400 e a 200m da borda, apenas uma foi mais abundante a 200m da borda. Isto sugere que a maior diversidade da vegetação contribui para a estabilidade das populações de Lepidoptera. O número total de indivíduos de Hymenoptera parasitóides foi semelhante nos talhões de eucalipto com e sem sub-bosque, com 45,65% e 54,35% dos indivíduos coletados, respectivamente, mas a data de coleta afetou a abundância dos mesmos. A família Mymaridae, a mais abundante, e Ichneumonidae não foram influenciadas pela presença ou não do sub-bosque, enquanto Scelionidae, a segunda família com maior número de indivíduos, foi mais abundante no eucaliptal sem sub-bosque (856) que naquele com sub-bosque (356).
The maintenance of areas with native vegetation intermingled with plantations can reduce problems with pest species. Hymenoptera parasitoids are important for biological control in forest ecosystems and populations of pests are lower in areas close native vegetation. The objective of this research was to study the effect of vegetal heterogeneity on Hymenoptera natural enemies and on Lepidoptera pests in eucalyptus plantation. This research was developed in reforested areas with Eucalyptus grandis Hill Ex Maiden of the “ Celulose Nipo Brasileira S.A. (Cenibra)” in the Municipalities of Ipaba and Belo Oriente, State of Minas Gerais. Fauna of Hymenoptera natural enemies was sampled with Malaise traps and removed every fifteen days from April to September 1997 in the following sites: i) at 100, 200 e 300 meters from the border of a fragment of native vegetation; ii) at the border, in an area of transition between the native vegetation and the eucalyptus e, iii) at 100, 200 e 300 meters inside the eucalyptus plantation. The Lepidoptera fauna was sampled from April 1997 to March 1998 with light traps in the following sites: i) a 200 e 400 meters from the border of a fragment of native vegetation; ii) at this border in an area of transition between the native vegetation and the eucalyptus and, iii) at a distance of 200 e 400 meters from the border inside the eucalyptus plantation. Hymenoptera parasitoids were also sampled from April to October 2001 in E. grandis stands with and without understorey vegetation. The number of individuals of Hymenoptera natural enemies was higher at the border (transition between eucalyptus and native vegetation) than in the eucalyptus and in the native vegetation. Differences were also observed between distances (100, 200 e 300 meters ) with higher abundance of these individuals in the native vegetation close to the border (100 meters) than in the eucalyptus. Lepidoptera were more abundant at the border and in the eucalyptus at 200m from the border. Differences were also observed between the eucalyptus and the native vegetation (F= 9.102; P= 0.006) and the eucalyptus at 400 and 200m from the border (F= 12.359; P= 0.002) with higher number of individuals at the border, followed by the eucalyptus at 200m from the border. Lepidoptera species showed difference on number of individuals between the points inside the eucalyptus and the native vegetation. Six species were more abundant in the eucalyptus and four at the border; seven were more abundant in the eucalyptus at 200m and only one was more abundant at 200 meters from the border. This suggests that higher vegetal diversity is important for the stability of Lepidoptera populations. The total number of individuals of Hymenoptera parasitoids was similar in the eucalyptus stands with and without understorey with 45.65% e 54.35% of individuals collected, respectively, but these numbers were not affected by date of their collection. The family Mymaridae, the most abundant one, and Ichneumonidae were not affected by the presence of the understorey while Scelionidae was more abundant in the eucalyptus without understorey (856) than with this vegetation (356).
Palavras-chave: Controle biológico
Insetos entomófagos
Eucalipto
Hymenoptera parasitóides
Fragmento florestal
CNPq: Ciências Biológicas
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: DALL’OGLIO, Onice Teresinha. Heterogeneidade da vegetação Vs. diversidade de Hymenoptera parasitóides e Lepidoptera em plantios de eucalipto. 2003. 64f. Dissertação (Mestrado em Entomologia) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2003.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/9846
Data do documento: 21-Mar-2003
Aparece nas coleções:Entomologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo972,41 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.