Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/9869
Tipo: Dissertação
Título: Juventude e modernidade em Casa Nova: reflexões a propósito de um projeto de barragem em Minas Gerais
Youth and modernity in Casa Nova: reflections on a hydroelectric dam project in Minas Gerais
Autor(es): Medeiros, José César
Abstract: Os conceitos de “campo de possibilidades” numa análise local (micro), e de “reflexividade da modernidade”, numa análise ampla (macro), fizeram parte das deste trabalho. Analisaram-se as opções dos jovens para a construção de seus projetos de vida e identificaram-se aspectos próprios da ‘cultura de origem’ e aspectos próprios da ‘' presentes num quadro sócio-histórico. Estes dados auxiliaram a compreensão de como ocorre a formulação e implementação dos projetos dos jovens. Com base no conceito “campo de possibilidades”, buscou-se delinear os campos de atração e de expulsão rural e urbana, construídos no processo histórico a partir de alternativas dadas. A viabilidade das opções, como diz Velho, “depende do jogo e interações com outros projetos individuais e coletivos”. No coletivo, conclui-se pelas argumentações, em que os jovens manifestaram-se contrários à construção da barragem. A luta contra a barragem e a favor de direitos, trouxe novas perspectivas para os projetos individuais dos jovens. As expectativas comportam ambigüidades; a possibilidade do projeto de barragem reforça para alguns o argumento de ter que sair, devido às condições sociais locais e, ao mesmo tempo, reafirma a importância do sentimento de pertencimento à ‘cultura de origem’. As possibilidades de concretização dos projetos de vida dos jovens tendem a estar condicionadas, em boa parte, pelas condições socioeconômicas da família. Categorias analíticas como “pequenos proprietários”, “proprietários” e “não-proprietários” caracterizaram as condições sócio- econômicas e permitiram inferir a busca de autonomia financeira como fator importante nos projetos dos jovens. A opção de deixar o meio rural é independente do projeto de barragem e está motivado principalmente pela “ilusão” de “vida fácil e conforto” no meio urbano. Entre os projetos individuais dos jovens e suas estratégias, identifica-se a oportunidade de estudar, de conseguir um bom emprego e de casar. Destacam-se diferenças nas opções dos pais para seus filhos. Para “proprietários”, há possibilidade de que seus filhos deixem o meio rural e estudem até adquirir uma “boa profissão”. Para “pequenos proprietários”, os filhos devem deixar o meio rural, trabalhar e, depois, retornarem com algum recurso, a fim de adquirir seu próprio “pedaço de chão”. Para os “não- proprietários”, o projeto para os filhos é mesmo deixar este meio, a fim de trabalhar e garantir seu próprio sustento. A presença da assessoria e a organização local da comunidade foram fundamentais para a afirmação dos valores locais, da ‘cultura de origem’. As tradições foram colocadas em conflito com os símbolos de modernidade e, por isso, não permaneceram como estavam. Ao adquirirem a consciência do risco, os jovens e suas famílias passaram a ter confiança de que era possível, neste novo cenário, interferir na realidade. A comunidade passou a revalorizar ainda mais suas tradições, seus valores, seu jeito de viver. A experiência vivida, especialmente pela juventude, foi a demonstração de que se vivem as mudanças de um mundo complexo e sofisticado em relação ao passado. Está ocorrendo a interseção entre a modernidade e a transformação da vida cotidiana.
This study analyzed how rural and urban culture shaped options available to rural youth to construct their life projects. The concepts of “reflexivity of modernity” and “field of possibilities” provided references for these analyses, the latter helping delineate rural and urban fields of attraction and expulsion, constructed as a historic process on the basis of given alternatives. As Velho says, “the viability of options depends on the interaction with other individual and collective projects”. With regard to the collective project, the participation of youth in the struggle of opposition to construction of the hydroelectric dam and in defense of their rights brought new perspectives to their individual projects. Their expectations revealed ambiguities: for some, the possibility of dam construction reinforced the option of leaving as a result of local social conditions, while at the same time enhancing the importance of a feeling of belonging to their (rural) “cultural origin”. The possibilities of their life projects becoming a reality tend to be influenced substantially by the socioeconomic conditions of the family. The analytical categories of “owner-operator”, “small owner-operator” and “non-owner-operator” were used to characterize and compare socio-economic conditions and helped identify financial autonomy as an important factor in the projects of these youth. Leaving the rural area is and option independent of whether or not the dam is built and is motivated principally by the illusion of a relatively easy and comfortable life in the city. The opportunity to continue their formal education, obtain a good job and marry were identified as individual projects and strategies. The preferential option of parents for their children differed among the three categories. “Owner-operators” preferred that their children leave the rural area and continue schooling until obtaining employment in a good profession. “Small owner-operators would like their children to leave the rural area, seek employment in the city and then return with sufficient resources to acquire their “piece of land”. “Non-owner-operators preferred that their children leave the rural area to find work in the city and support themselves. Traditions were placed in conflict with symbols of modernity (the dam project) and, as a result, did not remain the same. The presence of a Church, university and environmentalist support team, as well as local organization, was fundamental in a process of affirmation of local values, those of the “culture of origin”. Upon acquiring an awareness of risk, the youth and their families acquired confidence that it was possible, in this new scenario, to intervene in the world around them. The community came to value even more highly their traditions and way of life. The lived experience, especially by the youth, demonstrated that they are subject to changes of a more complex and sophisticated world than in the past. They are living at the crossroads of modernity and a way of life in transformation.
Palavras-chave: Barragem
Cultura de origem
CNPq: Extensão Rural
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: MEDEIROS, José César. Juventude e modernidade em Casa Nova: reflexões a propósito de um projeto de barragem em Minas Gerais. 2002. 133 f. Dissertação (Mestrado em Extensão Rural) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2002.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/9869
Data do documento: 21-Fev-2002
Aparece nas coleções:Extensão Rural

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo1,28 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.