Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/138
Tipo: Tese
Título: Impactos da restrição ao crédito rural nos estabelecimentos agropecuários brasileiros
Título(s) alternativo(s): The impact of rural credit restriction to brazilian farmers
Autor(es): Santos, Ricardo Bruno Nascimento dos
Primeiro Orientador: Braga, Marcelo José
Primeiro coorientador: Teixeira, Erly Cardoso
Segundo coorientador: Campos, Antônio Carvalho
Primeiro avaliador: Neder, Henrique Dantas
Segundo avaliador: Oliveira Júnior, Jose Nilo de
Terceiro avaliador: Mattos, Leonardo Bornacki de
Abstract: O crédito rural foi implementado no final da década de 1960 e desde então se tornou uma das principais políticas agrícolas do Brasil. A partir da sua criação, o programa contou com subsídios governamentais, obtidos através das taxas de juros, compensando, em parte, a transferência de recursos do setor agrícola promovido pelo processo de substituição de importações. O direcionamento da política de crédito, na prática, beneficiou apenas os estabelecimentos rurais que detinham grande concentração de terras, fazendo com que grande parte dos recursos do crédito fossem direcionados a grandes estabelecimentos rurais. A concentração gerada por esse direcionamento da política de crédito fez com que a maioria dos pequenos e médios produtores rurais não tivesse acesso ao crédito, gerando um processo de restrição creditícia no Brasil. Em meados da década de 1990, com o intuito de diminuir a desigualdade da distribuição creditícia, surgiram políticas direcionadas para pequenos agricultores. Entre essas políticas a mais conhecida foi o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que possibilitou o acesso ao crédito a uma significativa parte dos pequenos produtores rurais. Dado que o volume de crédito tem aumentado ao longo da década 2000 acompanhado pelo aumento dos recursos e número de participantes do Pronaf ao longo desses anos, estará o programa de crédito rural aumentando a produtividade e a renda dos estabelecimentos participantes? Uma alternativa para avaliar a importância do financiamento aos estabelecimentos rurais é verificar se a restrição de crédito diminui a produtividade e a renda desses estabelecimentos. A hipótese desta tese é que a política de crédito tende a aumentar a produtividade dos estabelecimentos rurais. O objetivo principal deste trabalho é verificar para o Brasil e para as grandes regiões o impacto da restrição do crédito se a intervenção do governo via Pronaf teve efetividade no ano de 2006, para isso, foram elaborados três cenários. No primeiro cenário, são analisados os produtores que obtiveram ou não o crédito rural, em um segundo momento, é analisada apenas a política do Pronaf, comparando-a com os demais estabelecimentos que receberam outro tipo de crédito, no terceiro momento são analisados apenas os estabelecimentos que se enquadram como agricultores familiares. Os modelos de restrição de crédito mostraram que o valor da produção e os gastos com insumos aumentam a probabilidade de obter crédito. A experiência (idade) e os dirigentes que estão há muitos anos à frente do estabelecimento reduzem a probabilidade de ter o crédito rural no Brasil e nas regiões, porém quando aplicado apenas à agricultura familiar, diante do Pronaf, a experiência aumenta a probabilidade de receber o crédito. Quanto aos resultados das diferenças das médias da produtividade da terra e do trabalho observa-se que, na avaliação da restrição do crédito para todos os tipos de crédito, apenas na região Nordeste houve produtividade da terra maior para os estabelecimentos beneficiados pela política de crédito, nas demais regiões ou foi favorável aos não beneficiados ou a política não teve efeito. A produtividade do trabalho também foi maior para os estabelecimentos que tiveram restrição ao crédito, resultado que se repetiu para o modelo de restrição do Pronaf. O melhor desempenho em termos de produtividade do trabalho dos estabelecimentos com restrição pode estar associado à crise observada no setor agropecuário entre os anos de 2004 e 2006, que ampliou o preço dos insumos agrícolas e reduziu o preço e a renda dos produtores rurais no ano estudado, implicando menor contratação de mão de obra para manter a produção.
The rural credit was implemented in the late 1960s and thenceforth it became one of the major agricultural policies in Brazil. From its inception, the program relied on government subsidies obtained through interest rates, offsetting in part the resources shift from the agricultural sector promoted by the import substitution process. The credit policy direction in practice benefited only the farms, which had a large land concentration, causing much of the credit resources were directed to them. The concentration generated by this credit policy direction has meant that most small and medium farmers had no access to the credit, generating a credit restriction process in Brazil. In the mid 1990s, aiming to reduce the credit distribution inequality, some policies were taken directed to small farmers. Among these policies, the National Program to Strengthen Family Agriculture (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar – PRONAF) was the best known, which facilitated the access to credit for a significant proportion of small farmers. Since the credit volume has increased throughout the 2000s accompanied by increased resources and number of the PRONAF participants over the years, we ask: “will the rural credit program be increasing the productivity and incomes of the participating establishments?” An evaluating alternative about the importance of funding to the rural settlements is to verify whether the credit restriction reduces these establishments’ productivity and income. The hypothesis is that the credit policy tends to increase the farms productivity. This work’s main objective is to check the credit restriction impact on Brazil and on large regions and if the government intervention via PRONAF was effective in 2006. For this, three scenarios were developed. In the first scenario, we analyze the producers who obtained or not the rural credit; in a second time, only the PRONAF policy is analyzed, comparing it with other establishments that have received another credit type; and in the third moment, only the establishments that qualify as family farmers were analyzed. The restriction credit models showed that the production value and the inputs costs increase the obtaining credit likelihood. The experience (age) and the leaders who are many years ahead of the establishment reduce the likelihood of having rural credit in Brazil and in many regions, but only when applied to the family farming the experience increases the likelihood of receiving credit from PRONAF. Evaluating the credit restriction for all credit types, it is observed that only in the Northeast region the land productivity werehigher for establishments benefited by the credit policy. In other areas, it is noted that it was not favorable to the policy recipients or it had no effect. The labour productivity was also higher for establishments that have had the credit restriction, whose result was repeated for the PRONAF restriction model. The best performance may be associated with the observed crisis in the agricultural and livestock sector between 2004 and 2006, which increased the farm inputs price and reduced the farmers price and income in these years, resulting in less manpower recruitment to maintain the production.
Palavras-chave: Crédito rural
Propensity Score Matching
Viés de Seleção Amostral
Rural credit
Propensity Score Matching
Sample selection bias
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA::METODOS QUANTITATIVOS EM ECONOMIA::METODOS E MODELOS MATEMATICOS, ECONOMETRICOS E ESTATISTICOS
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Economia e Gerenciamento do Agronegócio; Economia das Relações Internacionais; Economia dos Recursos
Programa: Doutorado em Economia Aplicada
Citação: SANTOS, Ricardo Bruno Nascimento dos. The impact of rural credit restriction to brazilian farmers. 2010. 143 f. Tese (Doutorado em Economia e Gerenciamento do Agronegócio; Economia das Relações Internacionais; Economia dos Recursos) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2010.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/138
Data do documento: 15-Dez-2010
Aparece nas coleções:Economia Aplicada

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf811 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.