Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/14663
Tipo: Tese
Título: Alterações morfofisiológicas em morcegos frugívoros (Artibeus lituratus) expostos à formulação comercial do inseticida deltametrina
Morphophysiological alterations in fruit-eating bats (Artibeus lituratus) exposed to the commercial formulation of the insecticide deltamethrin
Autor(es): Oliveira, Jerusa Maria de
Abstract: A Deltametrina (DTM) é um inseticida piretroide utilizado na agricultura e no controle de vetores de doenças. Resíduos desse pesticida são comumente encontrados no ambiente e podem trazer prejuízos para a saúde de organismos não-alvos, como os morcegos frugívoros. Durante o forrageio, estes animais entram em contato com esse inseticida por intermédio da água e alimentação. No entanto, a literatura científica apresenta escassez de dados que demonstram a toxicidade dos pesticidas em dos morcegos. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar a toxicidade aguda de baixas concentrações do inseticida DTM no morcego frugívoro Artibeus lituratus (Olfers, 1818). Para isso, foram capturados 23 morcegos machos utilizando redes de neblina em fragmentos de Mata Atlântica - MG, Brasil. Os animais foram mantidos em gaiolas (3x3x2 m) no morcegário da Universidade Federal de Viçosa, e porções de mamão pulverizadas com solução do inseticida DTM (0; 0,02; 0,04 mg/kg de mamão), foram oferecidas diariamente aos animais, durante sete dias. Após o período de exposição, foram avaliadas as enzimas antioxidantes catalase (CAT), superóxido dismutase (SOD), glutationa S-transferase (GST), a peroxidação lipídica e as proteínas carboniladas no fígado, músculo peitoral e testículos dos morcegos. Os níveis de peróxido de hidrogênio foram mensurados no fígado e músculo peitoral e o óxido nítrico (NO) no fígado, músculo peitoral, rins e testículos. No plasma, foram mensurados a atividade da alanina aminotransferase (ALT) e aspartato aminotransferase (AST), a glicemia e as proteínas totais. Foram mensurados o percentual de glicogênio hepático, os níveis de lipídios e proteínas totais do músculo peitoral e do fígado. A imunidade inata foi avaliada por intermédio da atividade bactericida do soro e da proliferação celular de esplenócitos. Foram realizadas também avaliações histopatológicas e histomorfométricas no fígado, rim, intestino e testículos. Os morcegos mostraram estresse oxidativo no fígado, no músculo peitoral e nos testículos. No plasma, os animais apresentaram hiperglicemia e aumento das transaminases AST e ALT. O fígado também mostrou redução da reserva de glicogênio, esteatose, e histopatologias pronunciadas. No intestino ocorreu hiperplasia de células caliciformes e maior evidência de células apoptóticas. Os rins mostraram aumento de glicogênio nos túbulos proximais, infiltrados inflamatórios, nefroesclerose vascular benigna e redução dos níveis de NO. Os testículos dos morcegos expostos mostraram aumento nos níveis de NO, apoptose das células germinativas e histopatologias severas. Os parâmetros imunológicos avaliados não apresentaram alterações entre os grupos, provavelmente devido ao tempo de exposição. Portanto, esses resultados nos mostram que a exposição oral de morcegos frugívoros à baixas concentrações da formulação comercial do inseticida DTM pode alterar o metabolismo de carboidratos, causar injúrias no fígado, músculo peitoral, rins, intestino e testículos. Portanto, a DTM pode ser tóxica para morcegos frugívoros, e comprometer a saúde desses animais.
Deltamethrin (DTM) is a pyrethroid insecticide used in agriculture and in control of disease vectors. Residues of this pesticide are commonly found in the environment and can be harmful to the health of non-target organisms, such as fruit- eating bats. During foraging, these animals come into contact with this insecticide through water and food. However, the scientific literature shows a shortage of data demonstrating the toxicity of pesticides in the physiology of bats. Therefore, the objective of this study was to evaluate the acute toxicity of low concentrations of DTM insecticide on the fruit- eating bat Artibeus lituratus (Olfers, 1818). Twenty-three male bats were captured with mist nets in fragments of Atlantic Forest - MG, Brazil. The animals were kept in cages in a bat shelter (3x3x2 m) at Universidade Federal de Viçosa. Portions of papaya sprayed with DTM insecticide solution (0; 0.02, 0.04 mg / kg papaya) were offered daily to the animals for seven days. After the exposure period, the antioxidant enzymes catalase (CAT), superoxide dismutase (SOD), glutathione S-transferase (GST), lipid peroxidation and carbonylated proteins were evaluated in the liver, pectoral muscle and testis of bats. Hydrogen peroxide levels were measured in liver and pectoral muscle, nitric oxide (NO) was measured in liver, pectoral muscle, kidneys and testes. The activity of alanine aminotransferase (ALT) and aspartate aminotransferase (AST), glucose and total proteins were measured in plasma. The percentage of hepatic glycogen, lipid and total proteins levels of pectoral muscle and liver were also measured. Innate immunity was assessed by serum bactericidal activity and splenocytes cell proliferation. Histopathology and histomorphometry evaluations were also performed in the liver, kidney, intestine and testes. Bats showed oxidative stress in liver and pectoral muscle. In plasma, the animals showed hyperglycemia and increased AST and ALT. The liver also showed reduced glycogen, steatosis, and pronounced histopathologies. In the intestine, goblet cell hyperplasia and increased evidence of apoptotic cells were observed. The kidneys showed increased glycogen in the proximal tubules, inflammatory infiltrates, benign vascular nephrosclerosis, and reduced NO levels. The testes of the exposed bats showed increased levels of NO, oxidative stress, apoptosis of germ cells and severe histopathologies. The immunological parameters evaluated did not present alterations between the groups, probably due to the time of exposure. Therefore, these results show that oral exposure of fruit- eating bats to low concentrations of the commercial formulation of insecticide DTM can alter the metabolism of carbohydrates, causing injury to the liver, pectoral muscle, kidneys, intestines and testes. Therefore, DTM can be toxic to bats and compromise their health.
Palavras-chave: Morcegos
Pesticídas e vida selvagem
Pesticídas - Avaliação de riscos
CNPq: Biologia Geral
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: OLIVEIRA, Jerusa Maria de. Alterações morfofisiológicas em morcegos frugívoros (Artibeus lituratus) expostos à formulação comercial do inseticida deltametrina. 2017. 103 f. Tese (Doutorado em Biologia Celular e Estrutural) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2017.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/14663
Data do documento: 14-Ago-2017
Aparece nas coleções:Biologia Celular e Estrutural

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo4,94 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.