Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.custom.ufv.br//handle/123456789/1851
Tipo: Tese
Título: Comportamento de matrizes suínas em gestação submetidas a diferentes tipos de alojamento e condições de sazonalidade
Título(s) alternativo(s): Behavior of pregnant sows under different types of housing and conditions of seasonality
Autor(es): Santos, Wilams Gomes dos
Primeiro Orientador: Ferreira, Aloízio Soares
Primeiro coorientador: Silva, Francisco Carlos de Oliveira
metadata.dc.contributor.advisor-co2: Souza, Vanner Boere
Primeiro avaliador: Veloso, Cristina Mattos
Segundo avaliador: Silva, Hunaldo Oliveira
Abstract: Foram realizados dois experimentos com objetivo estudar o comportamento de matrizes suínas em gestação submetidas a diferentes tipos de alojamento no verão e no inverno. Nos dois experimentos, as matrizes foram distribuídas em um delineamento inteiramente casualisado com quatro tratamentos e doze repetições. Os tratamentos foram: gaiolas de gestação; baias coletivas de gestação com comedouros; baias coletivas de gestação sem comedouros e baias coletivas de gestação com piquetes e sem comedouros. Foi avaliado comportamento, frequência respiratória, temperatura retal, cortisol sérico, metabólitos fecais de cortisol e desempenho das matrizes. No experimento do verão, as variáveis ambientais ficaram acima da zona de conforto para matrizes em gestação. As matrizes alojadas em baias coletivas de gestação com piquetes apresentaram menor porcentual de tempo despendido com estereotipias que as matrizes dos outros tratamentos. Não houve diferença significativa entre os tratamentos quanto à frequência respiratória e a temperatura retal. Houve diferença significativa entre os tratamentos para a média de cortisol sérico do período de gestação, com os menores níveis em matrizes alojadas em baias coletivas. Houve diferença significativa entre os tratamentos para a média de metabólitos fecais de cortisol do período de gestação, com os menores níveis encontrados em matrizes alojadas em baias coletivas de gestação sem comedouros e em matrizes alojadas em baias coletivas de gestação com piquetes e sem comedouros. Não houve diferença significativa entre os tratamentos para desempenho das matrizes. No experimento do inverno, as variáveis ambientais apresentaram-se dentro da zona de conforto térmico para a fase de gestação. As matrizes alojadas em baias coletivas de gestação com piquetes tiveram menor porcentual de tempo despendido com estereotipias que as matrizes dos demais tratamentos. Não houve diferença significativa entre os tratamentos quanto à freqüência respiratória. Houve diferença significativa entre os tratamentos para a temperatura retal no período da tarde, mesmo estando dentro da faixa considerada normal para as matrizes em gestação. Houve diferença significativa entre os tratamentos para a média de cortisol sérico do período de gestação, com os menores níveis encontrados nas matrizes alojadas em baias coletivas de gestação. Não houve diferença significativa entre os tratamentos para a média de metabólitos fecais de cortisol do período de gestação. Não houve diferença significativa entre os tratamentos para desempenho das matrizes. Conclui-se que no verão e no inverno as baias coletivas de gestação proporcionaram melhores condições de bem-estar para as matrizes, quando comparadas às gaiolas de gestação. Das baias coletivas de gestação, aquelas com piquetes apresentaram maior vantagem, uma vez que reduziram as estereotipias. O desempenho produtivo das matrizes no verão e no inverno não foi influenciado pelo tipo de alojamento.
Two experiments were conducted in order to study the behavior of pregnant sows subjected to different types of housing in the summer and winter. In both experiments, the sows were distributed in a completely randomized design with four treatments and twelve replicates. The treatments were the following: gestation stalls, group gestation pens with feeders; group gestation pens without feeders; group gestation pens with paddocks and no feeders. The experiments assessed behavior, respiratory rate, rectal temperature, serum cortisol, fecal cortisol metabolites and production performance of sows. In the summer experiment, the environmental variables were above the comfort zone for pregnant sows. The sows housed in group gestation pens with paddocks had lower percentage of time spent on stereotypies than sows of other treatments. There was no significant difference among treatments for respiratory rate and rectal temperature. There were significant differences among treatments for mean serum cortisol in the gestation period, with lower levels in sows housed in group pens. There were significant differences among treatments for mean fecal cortisol metabolites in the gestation period, with the lowest levels found in sows housed in group gestation pens without feeders and in sows housed in group gestation pens with paddocks and no feeders. There was no significant difference among treatments for productiion performance of sows. In the winter experiment, the environmental variables were within the zone of thermal comfort for the gestation period. The sows housed in group gestation pens with paddocks had lower percentage of time spent on stereotypies than the sows of the other treatments. There was no significant difference among treatments for respiratory rate. There were significant differences among treatments for rectal temperature in the afternoon, although they were within the range considered as normal for pregnant sows. There were significant differences among treatments for mean serum cortisol in the gestation period, with the lowest levels found in sows housed in group gestation pens. There was no significant difference among treatments for mean fecal cortisol metabolites in the gestation period. There was no significant difference among treatments for production performance of sows. It can be concluded that, in the summer and winter, group gestation pens provided better sow welfare when compared to gestation stalls. When group gestation pens are considered, those with paddocks showed greater advantage because they reduced stereotypies. The production performance of sows in the summer and winter was not influenced by the type of housing.
Palavras-chave: Metabolismo
Minerais
Crescimento
Metabolism
Minerals
Growth
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIA::NUTRICAO E ALIMENTACAO ANIMAL::EXIGENCIAS NUTRICIONAIS DOS ANIMAIS
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul
Programa: Doutorado em Zootecnia
Citação: SANTOS, Wilams Gomes dos. Behavior of pregnant sows under different types of housing and conditions of seasonality. 2013. 94 f. Tese (Doutorado em Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2013.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/1851
Data do documento: 15-Mar-2013
Aparece nas coleções:Zootecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf793,09 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.