Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/342
Tipo: Tese
Título: Purificação e caracterização de uma α-galactosidase em sementes de Tachigali multijuga e clonagem parcial do gene da estaquiose sintase de soja
Título(s) alternativo(s): Purification and characterization of α-galactosidase from Tachigali multijuga seeds and partial cloning of soybean stachyose synthase gene
Autor(es): Fialho, Lílian da Silva
Primeiro Orientador: Rezende, Sebastião Tavares de
Primeiro coorientador: Barros, Everaldo Gonçalves de
Segundo coorientador: Moreira, Maurílio Alves
Primeiro avaliador: Castro, Ieso de Miranda
Segundo avaliador: Fietto, Luciano Gomes
Terceiro avaliador: Oliveira, Luiz Orlando de
Quarto avaliador: Borges, Eduardo Euclydes de Lima e
Abstract: A soja, devido ao seu alto valor nutricional, é mundialmente consumida na forma de óleo, margarinas, proteína texturizada e extrato hidrossolúvel. O extrato hidrossolúvel, conhecido como leite de soja, é uma alternativa alimentar para muitas pessoas com intolerância à lactose. No entanto, a presença dos galactooligossacarídeos (GO) restringe o consumo de soja e seus produtos derivados. A mucosa intestinal do homem e animais monogástricos não possui a enzima α-galactosidase necessária para hidrolisar as ligações α-1,6 dos resíduos de galactose presentes nos GO, desta forma estes oligossacarídeos não são digeridos causando diarréia, náuseas, e flatulência. Como parte de nosso esforço para aumentar o consumo de soja e produtos derivados pelo homem, este trabalho teve dois objetivos: purificar e caracterizar uma α-galactosidase de sementes de Tachigali multijuga e avaliar sua capacidade de hidrolisar os GO em leite de soja; e isolar, clonar e seqüênciar parte do gene que codifica a enzima estaquiose sintase (STS) de soja, para ser usada para seu silenciamento por técnicas de engenharia genética. A enzima α-galactosidase foi purificada por precipitação ácida, diálise, cromatografias de troca iônica e filtração em gel. A fração enzimática purificada foi analisada por eletroforese em gel SDS-PAGE e revelou uma única banda protéica com massa molecular de 38 kDa. Atividade máxima da α-galactosidase foi detectada em pH 5,0 - 5,5 a 50 °C. A enzima foi estável no pH 4,5 - 7,0 por 15 min a 40 ºC, mas perdeu total atividade no pH 7,0 por 30 min a 40 ºC. Cerca de 65 % de atividade original foi mantida após préincubação por 200 h a 35 ºC. A meia-vida da α-galactosidase a 40 ºC foi 17,6 h. A α-galactosidase apresentou especificidade absoluta para galactose ligada em posição α, e ela foi completamente inibida por SDS, Hg2+, Cu2+ e Ag+, e parcialmente inibida por D-galactose e melibiose. Os valores de KM para hidrólise do ρNPαGal, melibiose, rafinose e estaquiose foram 0,45; 5,37; 39,62 e 48,80 mM, respectivamente. A α-galactosidase foi inibida competitivamente por galactose quando o ρNPαGal foi usado como substrato, com Ki de 2,74 mM. Os valores de energia de ativação estimados para os substratos ρNPαGal e rafinose foram 13,86 e 4,75 kcal/mol, respectivamente. O tratamento da farinha desengordurada de soja com a α-galactosidase purificada de sementes de Tachigali multijuga resultou em 72 e 50 % de redução do conteúdo de rafinose e estaquiose, respectivamente, após incubação por 4 h a 40 °. A enzima apresentou capacidade para hidrolisar goma de alfarroba e goma guar, sugerindo possível aplicação industrial para promover propriedades gélicas em polissacarídeos. A atividade de STS foi determinada durante o desenvolvimento da semente de soja e em sementes maduras. A quantificação de estaquiose foi feita por HPLC. O conteúdo de estaquiose na soja madura foi 4,10 % e a atividade específica da enzima STS foi 2,15 nkat/mg, usando rafinose e galactinol como substratos. Um fragmento do gene STS foi isolado por PCR usando cDNA de semente em combinação com primers degenerados. A análise do padrão de expressão por RT-PCR mostrou que o gene STS é expresso em todos os estádios de desenvolvimento do grão, além de folhas, caule e raiz. A clonagem de um fragmento de 983 pb no vetor pGEM-T Easy foi confirmada por seqüenciamento. A identidade do fragmento, usando a ferramenta BLAST, confirmou que a seqüência clonada se refere ao gene STS, que até então não tinha sido isolada e seqüenciada em soja. Este trabalho abre perspectivas para pesquisas biotecnológicas visando o desenvolvimento de variedades de soja, com reduzido conteúdo de estaquiose e então mais adequadas para o consumo humano.
Because of its high nutritional value, soybean is worldwide consumed in the forms of oil, margarines, texturized protein and hydrosoluble extract. The hydrosoluble extract, known as soymilk, is also an alternative to dairy food for many lactose-intolerant people. However, the presence of galactooligosaccharides (GO) restricts the consumption of soybean and soyderived products. The intestinal mucous membrane of humans and monogastric animals lacks the α-galactosidase enzyme that is necessary for the hydrolysis of α-1,6 bonds of galactosil residues present in GO, consequently these oligosaccharides are not digested causing diarrhea, nauseas and flatulence. As part of our effort to increase the consumption of soybean and soy-derived products by humans, this work was developed with two goals: to purify and characterize one α-galactosidase from Tachigali multijuga seeds and evaluate its capacity for hydrolysing GO in soymilk; and to isolate, clone and sequence part of the gene that encodes the soybean stachyose synthase enzyme (STS), to be used for its silencing by genetic engineering techniques. The α-galactosidase enzyme was purified by acid precipitation, dialysis, ion exchange and gel filtration chromatographies. The purified enzymatic fraction was analyzed by electrophoresis in SDS-PAGE gel revealing only one protein band with estimated molecular mass of 38 kDa. Maximal α-galactosidase activity was detected at pH 5.0 5.5 and 50 ºC. The enzyme was stable at pH 4.5 - 7.0 at 40 ºC for 15 min, but lost its activity after incubation for 30 min at pH 7.0 at 40 ºC. About 65 % of original activity was kept after pre-incubation at 35 ºC for 200 h. Half-life of the α-galactosidase at 40 ºC was 17.6 h. The α-galactosidase showed absolute specificity for galactose linked to the α position, and it was completely inhibited by SDS, Hg2+, Cu2+ and Ag+ and partially inhibited by D-galactose and melibiose. The KM values for the hydrolysis of ρNPαGal, melibiose, raffinose and stachyose were 0.45, 5.37, 39.62 and 48.80 mM, respectively. The enzyme was inhibited competitively by galactose when ρNPαGal was used as substrate, with Ki of 2.74 mM. Activation energies estimated for ρNPαGal and raffinose were 13.86 and 4.75 kcal/mol, respectively. The treatment of defatted soybean flour with the α-galactosidase purified from Tachigali multijuga seeds resulted in 72 and 50 % of reduction in raffinose and stachyose contents, respectively, after incubation at 40 ºC for 4 h. The enzyme showed capacity to hydrolyze the locust bean gum and guar gum, suggesting that it can be used in the industry to improve gelling properties in polysaccharides. STS activity was determined during the development of soybean seed and in mature seeds. Stachyose quantification was carried out by HPLC. Stachyose content in mature soybean seeds was 4.10% and STS specific activity was 2.15 nkat/mg, using raffinose and galactinol as substrates. A fragment of the STS gene was isolated by PCR using seed cDNA in combination with degenerated primers. The analysis of the expression patterns by RT-PCR showed that the STS gene is expressed in all seed developmental stages, as well as in leaves, stem and roots. The cloning of a 983 base-pair fragment in a pGEM-T Easy vector was confirmed by sequencing. The identity of the fragment, using BLAST analysis, confirmed that the cloned sequence referred to the STS gene, which had not been isolated and sequenced in soybeans until then. This work opens perspectives for biotechnological researches aiming at the development of soybean varieties with reduced stachyose content and therefore more suitable for human consumption.
Palavras-chave: Alfa-galactosidase
Galactooligossacarídeos
Estaquiose sintase
Soja
Alfa-galactosidase
Galactooligosaccharides
Stachyose synthase
Soybean
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::BIOQUIMICA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Bioquímica e Biologia molecular de plantas; Bioquímica e Biologia molecular animal
Programa: Doutorado em Bioquímica Agrícola
Citação: FIALHO, Lílian da Silva. Purification and characterization of α-galactosidase from Tachigali multijuga seeds and partial cloning of soybean stachyose synthase gene. 2007. 154 f. Tese (Doutorado em Bioquímica e Biologia molecular de plantas; Bioquímica e Biologia molecular animal) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2007.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/342
Data do documento: 17-Ago-2007
Aparece nas coleções:Bioquímica Agrícola

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf736,12 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.