Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/45
Tipo: Dissertação
Título: Efeitos da política de equalização das taxas de juros do crédito rural nas regiões brasileiras
Título(s) alternativo(s): Effects of the interest rates equalization policy of rural credit on the brazilian regions
Autor(es): Cardoso, Débora Freire
Primeiro Orientador: Teixeira, Erly Cardoso
Primeiro coorientador: Campos, Antônio Carvalho
Segundo coorientador: Castro, Eduardo Rodrigues de
Primeiro avaliador: Gurgel, ângelo Costa
Segundo avaliador: Domingues, Edson Paulo
Terceiro avaliador: Gomes, Marília Fernandes Maciel
Quarto avaliador: Reis, Brício dos Santos
Abstract: Apesar de a literatura clássica postular que os subsídios trazem ineficiências alocativas, distributivas e custo social, países desenvolvidos, sobretudo EUA e da UE, insistem na manutenção de políticas de incentivo à agricultura. Esse padrão de gastos com o setor sugere que os formuladores de política percebem racionalidade econômica e social nesses subsídios, atribuindo-lhes efeitos positivos sobre o crescimento econômico e o bem-estar. No Brasil, o principal subsídio agrícola é via crédito rural, por meio da Equalização das Taxas de Juros (ETJ), que oferece aos produtores financiamento a juros mais baixos que os praticados no mercado. Nesse sentido, considerando a relevância do financiamento rural no país, questiona-se se o subsídio do crédito rural gera crescimento econômico em todas as macrorregiões brasileiras. O objetivo geral do trabalho é avaliar os impactos dos gastos governamentais com a política de Equalização das Taxas de Juros (ETJ) no crescimento econômico das cinco regiões brasileiras, comparando os gastos da política com os benefícios econômicos gerados. O modelo, o banco de dados e o software do Projeto de Análise de Equilíbrio Geral da Economia Brasileira (Paeg) foram aplicados às simulações. Inicialmente, tem-se o cenário no qual todo o subsídio concedido via ETJ à agropecuária e todo o consumo de insumos intermediários proporcionado pelo crédito rural subsidiado a esse setor são eliminados. Esse cenário visa a estabelecer a importância da política de ETJ em termos de promover o crescimento econômico e o bem-estar nas regiões. Posteriormente, num segundo cenário, simula-se que esse subsídio seja alocado para o setor de transportes, com vistas a calcular o seu retorno alternativo. O primeiro cenário mostra que a política de ETJ proporciona crescimento econômico nas regiões Centro-Oeste, Nordeste e Sul superior a seu custo. Por outro lado, nas regiões Norte e Sudeste verifica-se queda no PIB mediante os gastos com a ETJ. Para o Brasil, cada real gasto com as equalizações promove aumento no PIB equivalente a 1,34 vezes o gasto com a política, evidenciando que a taxa de retorno dos gastos com a ETJ em termos de promover o crescimento econômico é de 34%. Além disso, todas as regiões são beneficiadas em termos de bemestar pela política. Os resultados para o segundo cenário indicam que, para o país, seja em termos de PIB ou em termos de bem-estar dos agentes, os gastos com a ETJ têm retorno alternativo negativo, quando se considera que eles são concedidos ao setor de transportes, em detrimento do setor agropecuário. Em termos regionais, no Centro- Oeste, Nordeste e Sul, o recurso gasto com a ETJ, quando alocado ao setor de transportes, tem retorno alternativo negativo, tanto em termos de crescimento econômico, quanto de bem-estar. No entanto, nas regiões Norte e Sudeste, apesar de não se verificar retorno alternativo positivo em relação a bem-estar, observa-se retorno alternativo positivo em termos de PIB. Conclui-se que, para o país como um todo, a política de ETJ do crédito rural é custo-efetiva em termos de promover o crescimento econômico e o bem-estar. Portanto, algumas políticas intervencionistas podem gerar ganhos em crescimento econômico e bem-estar maiores do que seu próprio custo.
Although the classic literature postulating that subsidies bring allocative and distributives inefficiencies, and social cost, developed countries, especially the U.S. and those in the EU insist on the maintenance of policies to support agriculture. This pattern of expenditure in the sector raises the idea that there is economic rational on those subsidies and that they have positive effect on economic growth. In Brazil, the main agricultural subsidy is via rural credit through the Interest Rates Equalization (IRE), which provides credit to producers at lower interest rates than those on the market. It is questioned whether this subsidy generates economic growth to all Brazilian regions. The overall objective is to evaluate the impact of the Interest Rate Equalization policy (IRE) on the economic growth of five Brazilian regions. The model, database and software of the General Equilibrium Analysis Project of the Brazilian Economy (Paeg) are applied to the simulations. Initially, there is the scenario in which all the subsidy via IRE and the entire consumption of intermediate inputs provided by subsidized rural credit to this sector are eliminated. This scenario aims to establish the importance of IRE policy in terms of promoting economic growth and welfare in the regions.Subsequently, a second scenario simulates that this subsidy is allocated to the transportation sector, in order to calculate its alternative rate of return. The first scenario shows that the IRE policy provides economic growth in the Midwest, Northeast and South regions above the cost of the policy. Moreover, in the North and Southeast regions there is a decrease in the GDP. For the country as hole, every dollar spent on IRE promotes an increase in GDP equivalent to 1.34 times the policy cost, that is, the IRE policy rate of return in terms of promoting economic growth is 34%. Furthermore, all regions are benefiting in terms of welfare. The results for the second scenario, that is, when the IRE subsidy is allocated to the transport sector, indicates that for the country, in terms of GDP and welfare increase, the IRE policy has negative alternative rate of return relative. The IRE policy subsidy allocated to the transport sector, in the Midwest, Northeast and South regions, present negative rate of return, both in terms of economic growth and welfare. However, in the North and Southeast regions, although the alternative rate of return, in terms of welfare growth, is negative, the policy has positive alternative return in terms of growth economic. The conclusion is that, for the country as a whole, the IRE policy is cost-effective in terms of promoting economic growth and welfare. Therefore some interventionist policies can generate gains in terms of economic growth and welfare greater than the cost of the policy.
Palavras-chave: Equalização das taxas de juros
Crescimento econômico
PAEG
Interest rates equalization
Economic growth
Paeg
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA::TEORIA ECONOMICA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Economia e Gerenciamento do Agronegócio; Economia das Relações Internacionais; Economia dos Recursos
Programa: Mestrado em Economia Aplicada
Citação: CARDOSO, Débora Freire. Effects of the interest rates equalization policy of rural credit on the brazilian regions. 2011. 206 f. Dissertação (Mestrado em Economia e Gerenciamento do Agronegócio; Economia das Relações Internacionais; Economia dos Recursos) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/45
Data do documento: 23-Fev-2011
Aparece nas coleções:Economia Aplicada

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,33 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.