Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/617
Tipo: Tese
Título: Efeito de macronutrientes sobre o crescimento e a nutrição mineral de mudas de angico-vermelho (Anadenanthera macrocarpa (Benth.) Brenan) e sansão-do-campo (Mimosa caesalpiniaefolia Benth.)
Título(s) alternativo(s): Effect of macronutrients on the growth and mineral nutrition of seedlings of Anadenanthera macrocarpa (Benth.) Brenan (angico-vermelho) and Mimosa caesalpiniaefolia Benth. (sansão-do-campo)
Autor(es): Gonçalves, Elzimar de Oliveira
Primeiro Orientador: Paiva, Haroldo Nogueira de
Primeiro coorientador: Neves, Júlio César Lima
Segundo coorientador: Gomes, José Mauro
Primeiro avaliador: Jacovine, Laércio Antonio Gonçalves
Segundo avaliador: Carvalho, Janice Guedes de
Terceiro avaliador: Dias, Herly Carlos Teixeira
Abstract: O conhecimento das necessidades nutricionais para produção de mudas e o estabelecimento destas no local definitivo são fundamentais para o sucesso de qualquer programa de plantio de espécies florestais. Nesse contexto, as espécies florestais nativas merecem atenção. Em razão dos poucos conhecimentos nutricionais que existem sobre elas, a condução de estudos mais detalhados visando à determinação dessas necessidades é plenamente justificável. Há grande diferença entre as necessidades nutricionais de acordo com as espécies, sendo também variável a exigência de um ou outro elemento mineral. No entanto, a falta de um deles, com certeza, limitará o crescimento das plantas. Neste estudo, objetivou-se avaliar o efeito de diferentes doses de macronutrientes (N, P, K, S, Ca e Mg) no crescimento e na nutrição de mudas de angico-vermelho (Anadenanthera macrocarpa) e sansão-do-campo (Mimosa caesalpiniaefolia) em três solos diferentes. Para isso, as plantas foram cultivadas em três solos (Argissolo, Latossolo distrófico e Latossolo álico), em vasos com capacidade de 2,1 dm3. O experimento foi conduzido no período de fevereiro a junho de 2005 no Viveiro de Pesquisas Florestais do Departamento de Engenharia Florestal da UFV, em Viçosa. Os tratamentos foram delimitados segundo uma matriz baconiana, onde se variaram os macronutrientes em três doses diferentes, mais dois tratamentos adicionais (zero e base), num total de 20 tratamentos com quatro repetições. As fontes de N, K e S foram parceladas em quatro vezes (0, 30, 60 e 90 dias). Feitas a colheita (aos 120 dias após a semeadura) e as análises dos dados, verificou-se que houve diferença de respostas das plantas à aplicação dos macronutrientes de acordo com o solo estudado. Ambas as espécies aumentaram a absorção dos macronutrientes à medida que se aumentou a disponibilidade destes nos solos estudados, o que levou à maior concentração dos nutrientes aplicados em todas as partes das plantas. Entretanto, em alguns casos, não houve resposta de crescimento correspondente. O maior crescimento das mudas foi observado nas que foram cultivadas no solo LVA, e os nutrientes P, N e S foram os que mais provocaram efeitos significativos. As doses de N variaram de 50 a 200 mg/dm³, tanto para o angico-vermelho quanto para o sansão-do-campo. Observou-se que a primeira requer menos P (de 150 a 280 mg/dm³) do que o sansão-do-campo (de 312 a 503 mg/dm³). Quanto a K, Ca e Mg, as doses recomendadas são as mesmas para as duas espécies: 50 mg/dm³, 0,8 cmolc/dm³ e 0,2 cmolc/dm³, respectivamente. Especificamente para o angico-vermelho, em termos de nível crítico, os valores que proporcionaram melhor desenvolvimento da planta foram: N (14,4 a 26,8 mg/dm³ na planta), P (7,5 a 46 mg/dm³ no solo e 1,1 a 1,4 g/kg na parte aérea), K (14 a 86,5 mg/dm³ no solo e 6,2 a 8,5 g/kg na parte aérea), Ca (0,8 a 2,2 cmolc/dm³ no solo e 5 a 19 g/kg na parte aérea) e Mg (0,2 a 0,8 cmolc/dm³ no solo 1,7 a 1,9 g/kg na parte aérea). Para o sansão-do-campo, os valores foram N (16 a 17,3 mg/dm³ no solo), P (77 a 110 mg/dm³ no solo e 1 a 1,5 g/kg na parte aérea), K (14 a 86,5 mg/dm³ no solo e 5,7 a 7,1 g/kg na parte aérea), Ca (0,8 a 2,2 cmolc/dm³ no solo e 10 a 14,4 g/kg na parte aérea) e Mg (0,2 a 0,25 cmolc/dm³ no solo 1,3 a 2,4 g/kg na parte aérea). Todavia, em ambas as espécies, para o K e o Ca sugerem-se estudos com doses dentro dessa faixa de valores encontrados, para melhor definição do nível crítico. A influência da aplicação de um determinado macronutriente, sobre a absorção dos demais, foi mais significativa para o P tanto no sentido de aumento quanto no de diminuição, sendo os efeitos mais destacados na parte aérea das plantas. Entretanto, as crescentes doses dos nutrientes aplicados não interferiram na absorção dos outros, indicando equilíbrio entre eles, ou seja, o balanço nutricional entre os nutrientes foi adequado.
The knowledge of the nutritional needs for the production of seedlings and their establishment in their permanent place are fundamental for the success of any planting program of forest species. Therefore, the native forest species call for attention. Because of few nutritional data existing about these species, it is necessary to develop more detailed studies to determine these needs. There are great differences among the nutritional needs of each species and so are the demands of one or other element. But the lack of one of them, obviously, is going to limit plant growth. The objective of this study was to evaluate the effect of different doses of macronutrients (N, P, K, S, Ca and Mg) on the growth and nutrition of seedlings of Anadenanthera macrocarpa (angico-vermelho) and Mimosa caesalpiniaefolia (sansão-do-campo) in three types of soil. The plants were growth in Argisol, Distrophic Latosol and Alic Latosol) in pots with 2.1 dm3 capacity. The experiment was carried out from February to June 2005 in the Viveiro de Pesquisas Florestais (Forest Research Nursery) of the Departamento de Engenharia Florestal (Forest Engineering Department) of the UFV in Viçosa, Minas Gerais State, Brazil. The treatments were delimited according to a Baconian Matrix, where the macronutrients were varied in three different doses plus two additional treatments (zero and base), in a total of 20 treatments with four repetitions. The N, K and S sources were parcelled in four times (0, 30, 60 and 90 days). The plants were harvested in 120 days after seeding and data were analyzed. It was verified that there were differences in plants responses to the macronutrients according to the soil studied. Both species increased the absorption of macronutrients as the rate of availability of these nutrients increased in the soil. This led to a greater concentration of the nutrients in all parts of the plants. However, in some cases, there was not a correspondent growth response. The greatest growth was observed in the seedlings grown in the LVA soil and the nutrients P, N and S were the ones that caused most significant effects. The N doses varied from 50 to 200mg/dm3 for both species. It was observed that Anadenanthera macrocarpa needs less P (from 150 to 250 mg/dm3) than Mimosa caesalpiniaefolia (from 312 to 503 mg/dm3). As for K, Ca and Mg, the recommended doses are the same for both species: 50 mg/dm3; 0.8 cmolc/dm3 and 0.2 cmolc/dm3, respectively. Specifically for Anadenanthera macrocarpa, in terms of critical level, the values which rendered the best plant development were: N (14.4 to 26.8 mg/dm3 in the plant), P (7.5 to 46 mg/dm3 in the soil and 1.1 to 1.4 g/kg in the aerial part), K (14 to 86.5 mg/dm3 in the soil and 6.2 to 8.5 g/kg in the aerial part), Ca (0.8 to 2.2 cmolc/dm3 in the soil and 5 to 19 g/kg in the aerial part), and Mg (0.2 to 0.8 cmolc/dm3 in the soil and 1.7 to 1.9 g/kg in the aerial part). For Mimosa caesalpiniaefolia the values were: N (16 to 17.3 mg/dm3 in the soil), P (77 to 110 mg/dm3 in the soil and 1 to 1.5 g/kg in the aerial part), K (14 to 86.5 mg/dm3 in the soil and 5.7 to 7.1 g/kg in the aerial part), Ca (0.8 to 2.2 cmolc/dm3 in the soil and 10 to 14.4 g/kg in the aerial part), and Mg (0.2 to 0.25 cmolc/dm3 in the soil and 1.3 to 2.4 g/kg in the aerial part). Nevertheless, for both species, for K and Ca studies are suggested with doses within the range of the values found, to better define the critical level. The influence of the application of a given macronutrient on the absorption of the others was more significant for P both for the increase and for the decrease, and the stronger effects were on the aerial part of the plants. However, the increased doses of the nutrients applied did not interfere in the absorption of the other, witch indicates an equilibrium among them, or, the nutritional balance was appropriate.
Palavras-chave: Cidades
Arborização
Árvores
Mudas
Qualidade
Viveiros florestais
Cities
Arborization
Trees
Seedlings
Quality
Forest nurseries
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS FLORESTAIS E ENGENHARIA FLORESTAL::SILVICULTURA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Manejo Florestal; Meio Ambiente e Conservação da Natureza; Silvicultura; Tecnologia e Utilização de
Programa: Doutorado em Ciência Florestal
Citação: GONÇALVES, Elzimar de Oliveira. Effect of macronutrients on the growth and mineral nutrition of seedlings of Anadenanthera macrocarpa (Benth.) Brenan (angico-vermelho) and Mimosa caesalpiniaefolia Benth. (sansão-do-campo). 2007. 167 f. Tese (Doutorado em Manejo Florestal; Meio Ambiente e Conservação da Natureza; Silvicultura; Tecnologia e Utilização de) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2007.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/617
Data do documento: 28-Jun-2007
Aparece nas coleções:Ciência Florestal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf673,14 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.