Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/8223
Tipo: Tese
Título: Coleta farmacológica e criopreservação de sêmen de grandes felinos mantidos em cativeiro e capturados em vida livre com o uso de armadilhas de laço
Pharmacological collection and cryopreservation of semen from big felines kept in captive and captured in wild using foot snares
Autor(es): Araujo, Gediendson Ribeiro de
Abstract: Os principais desafios na criopreservação de sêmen de felinos de vida livre são desenvolver ou aprimorar uma metodologia eficiente na captura de indivíduos, desenvolver uma técnica mais prática e eficiente na coleta de sêmen com boa qualidade para criopreservação, e também desenvolver equipamentos de resfriamento e congelamento que sejam portáteis e que dispensem o uso de energia elétrica. Objetivou-se, portanto, por meio do presente trabalho adaptar uma metodologia de coleta farmacológica de sêmen e de um método de criopreservação de sêmen de onças pintadas e onças pardas que sejam viáveis para animais de vida livre, capturados por armadilhas de laço. Foram usadas armadilhas de laço compostas por um sistema catapulta, um sistema de contenção e um sistema de monitoramento, nas quais foram realizadas adaptações para melhor adaptação da técnica a três biomas brasileiros Caatinga, Pantanal e Mata Atlântica. O presente trabalho foi o primeiro a capturar onças pintadas e pardas na Caatinga, sendo que a unidade de avaliação do esforço de captura foi “laços-dia”, ou seja, o número de laços armados ao dia que resultou na captura de um animal. O esforço para captura de onça pintada foi de 30,3, 212,5 e 351 laços-dia/captura para o Pantanal, Caatinga e Mata Atlântica, respectivamente. Possivelmente a baixa taxa de captura na Mata Atlântica se deu pela soma de dois fatores: a baixa densidade populacional e a topografia da região, que limitou a área de captura. O mesmo não foi observado para a onça parda neste bioma, cujo esforço de captura foi de 144 laços-dia/captura, possivelmente devido à maior densidade desta espécie. O sucesso de captura (eventos de captura/dias de campanha) de onça pintada foi semelhante ao obtido por trabalhos que usaram cães farejadores, porém essa metodologia exige a manutenção de uma matilha treinada, além de conferir maior risco de acidentes tanto para o animal, quanto para a equipe. Para o estudo da coleta farmacológica de sêmen três onças pardas (Puma concolor) de cativeiro e onze onças pintadas (Panthera onca), sendo seis mantidas em cativeiro e cinco de vida livre, foram anestesiadas com a associação de Medetomidina (0,08- 0,1 mg/kg) e Ketamina (5 mg/Kg). Passados entre 20 e 40 minutos da indução anestésica a uretra dos animais foi sondada com uma sonda uretral estéril para gatos, por onde foi possível coletar ejaculado em todos os animais. Por meio desta técnica coletou-se em média 106,7 μL de sêmen nas onças pardas contendo 524,1 x 106 /mL e 347,2 μL nas onças pintadas contendo 2635,2 x 106 espermatozoides / mL. As avaliações de vigor, motilidade e patologia espermática demonstraram que a técnica não afeta a qualidade do sêmen em relação às demais metodologias usadas em felinos. Para o congelamento do sêmen foram utilizados animais mantidos em cativeiro (seis onças pintadas e três onças pardas). A etapa de resfriamento foi dividida em dois tratamentos, um com a metodologia convencional como uso de gelo e água (Resfriamento A) e a outra com material refrigerante reciclável congelado em nitrogênio líquido (Resfriamento B). Os resultados das avaliações de rotina (vigor, motilidade e teste hiposmótico), com sondas fluorescentes e de análise computadorizada do sêmen demonstraram que não houve diferença entre os dois tratamentos testados. Por meio do presente estudo foi possível desenvolver metodologias que viabilizaram a criopreservação de sêmen de onças pintadas e onças pardas de vida livre. Portanto, o uso de armadilhas de laço associada à coleta farmacológica de sêmen por cateterização uretral, com medetomidina, e resfriamento usando gelo reciclável congelado em nitrogênio líquido mostrou-se eficiente e seguro nas atividades propostas.
The major challenges for developing assisted reproduction technologies in wild felines consist on:improve or even develop capture methodologies that are more practical and more efficient; develop new methodologies to collect great quality freezable semen; and develop portable freezing devices that can be used without electric energy. We aimed to adapt a pharmacological method for semen collection and a cryopreservation method that are more efficient for wild animals, captured through a foot snare trap. We used foot snare trap made with a catapult system, a restrain system and a tracking system, in which some adaptations were made for matching the technique to three biomes Caatinga, Pantanal and Atlantic Forest. This is the first jaguar and cougar capture report at Caatinga. The jaguar capture rate was 30.3, 212.5 and 351snare-day/capture at Pantanal, Caatinga and Atlantic Forest, respectively. Possibly the low capture rate at Atlantic Forest was related to two factors: the low population density and the topography, which limited the capture area. However it was not observed for pumas at the same biome, whose capture rate was 144 snare-day/capture, possibly due to the higher density of this specie. The capture success (capture events/ expedition days) was similar to studies that used trailing hounds, however this method requires the maintenance of a trained pack, and confer increased risk for the animal and researchers. To study the pharmacological method for semen collection, three captive cougars and six captive and five wild jaguars were chemically restrained with a combination of medetomidine (0.08 to 0.1 mg/Kg) and Ketamine (5 mg/Kg). After the medetomidine administration – 20 to 40 minutes – the urethra was catheterized using a urinary tomcat catheter, through we could collect semen from all animals. Using this technique we could collect an average of 106.7 μL containing 524.1 sperm/mL from the cougars and 347.2 μL containing 2635.2 sperm/mL from the jaguars. The sperm motility, sperm progressive motility and sperm morphology analysis demonstrated that the methodology don`t affect the sperm quality comparing with other technologies used in felines. To study the cryopreservation protocol we used only captive animals (six jaguars and three cougars). The cooling step was divided into two treatments, one using a standardized method with ice and water (Cooling A) and the other one using a recyclable ice frozen in liquid nitrogen (Cooling B). All results from the routine analysis (sperm motility, sperm progressive motility, sperm morphology), the fluorescent probes and the computerized sperm analysis demonstrated that there was no difference between both treatments. Through this thesis it was possible to develop methodologies that make viable the semen cryopreservation from wild jaguars and cougars. For this purpose it is recommended the foot snare trap to capture the animals; in combination with the semen collection via urethral catheterization using a pharmacological method and the cryopreservation protocol using a recyclable ice frozen in liquid nitrogen at the cooling step.
Palavras-chave: Onça-pintada - Reprodução
Suçuarana - Reprodução
Onça-pintada - Inseminação artificial
Suçuarana - Inseminação artificial
Biotecnologia
CNPq: Reprodução Animal
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: ARAUJO, Gediendson Ribeiro de. Coleta farmacológica e criopreservação de sêmen de grandes felinos mantidos em cativeiro e capturados em vida livre com o uso de armadilhas de laço. 2016. 81f. Tese (Doutorado em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2016.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/8223
Data do documento: 26-Fev-2016
Aparece nas coleções:Medicina Veterinária

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo1,5 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.