Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/17925
Tipo: Artigo
Título: O desafio das cooperativas de crédito solidário na Zona da Mata de Minas Gerais
Autor(es): Martins, Márcia Eliana
Freitas, Alair Ferreira de
Dias, Marcelo Miná
Filippi, Eduardo Ernesto
Abstract: Voltadas à inclusão financeira da agricultura familiar, as cooperativas de crédito solidário atuam – além do mero acesso ao crédito – na melhoria da qualidade de vida daqueles com os quais interagem. Tal como os bancos, as cooperativas de crédito enquanto instituições financeiras estão sujeitas aos normativos e regulamentações do Sistema Financeiro Nacional, fato que gera uma série de procedimentos e normas para garantir seu funcionamento. Nesse sentido, este trabalho procura evidenciar, através dos discursos dos associados, o dilema no qual se vê uma dessas cooperativas: de que forma manter uma proposta alternativa aos bancos comerciais, sem descumprir as normas e procedimentos ditados pelo Sistema Financeiro Nacional? De acordo com os dados obtidos nas 32 entrevistas e observação em reuniões de diretoria, durante a realização da pesquisa de mestrado intitulada "O Cooperativismo de Crédito Solidário e as Representações Sociais da Cooperação nos municípios de Araponga e Tombos/MG", por um lado, existe a preocupação em garantir que sejam seguidas as normas do sistema financeiro e que as cooperativas tenham sua gestão mais profissionalizada. Por outro, há uma imensa preocupação em não deixar que essas normas afetem sua forma diferenciada de atuação, em que os agricultores têm acesso aos serviços financeiros de que necessitam. Não há uma saída definitiva, tampouco imediata, para essa questão. Existem apenas apontamentos iniciais que não garantem resultados referentes a todos os aspectos considerados importantes, como a valorização dos laços de confiança em consonância com a atuação de uma instituição financeira em expansão.
Aimed at financial inclusion of family farmers, solidary credit cooperatives act – besides mere access to credit – to improve the quality of life of those with whom they interact. Such as banks, credit cooperatives as financial institutions are subject to standards and regulations of the National Financial System, fact that generates a series of procedures and rules in order to guarantee their operation. In this sense, this paper emphasizes, through the speeches of their members, the dilemma in which we see one of these cooperatives: how to keep an alternative proposal to the commercial banks, without disobeying the rules and procedures dictated by the National Financial System? According to the data obtained in the 32 interviews and in the observation of directors' meetings, during the elaboration of the Master research entitled "The Solidary Credit Cooperativism and Social Representations of Cooperation in the cities of Tombos and Araponga/MG", on the one hand, there is a preoccupation with guaranteeing that the financial system's rules are followed and that the cooperatives have more professional management. On the other hand, there is a huge preoccupation with not to allow that these rules affect the differentiated performance form, in which farmers have access to financial services they need. There is not an immediate or definitive solution for this question. There are only some initial notes that do not guarantee results for all the aspects considered important, like the appreciation of the bonds of trust in consonance with the performance of a financial institution in expansion.
Palavras-chave: Cooperativismo de crédito
Economia solidária
Sistema Financeiro Nacional
Editor: Revista Brasileira Multidisciplinar – ReBraM
Tipo de Acesso: Open Access
URI: https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2011.v14i1.98
http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/17925
Data do documento: 29-Jun-2011
Aparece nas coleções:Artigos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
artigo.pdftexto completo81,9 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.