Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/24614
Tipo: Dissertação
Título: A paisagem que vejo e construo: a aplicação da aula-passeio freinetiana como práxis da Educação Patrimonial em uma escola da cidade de João Monlevade – MG
The landscape I see and construct: the application of the Freinetian class as a praxis of Heritage Education in a school in the city of João Monlevade - MG
Autor(es): Pereira, Joel dos Santos
Abstract: Essa pesquisa, realizada com alunos do 7o ano do Ensino Fundamental do Centro Tecnológico Dr. Joseph Hein (CENTEC), aliou-se ao ensino de Geografia e à pedagogia de Celestin Freinet, propondo uma prática de Educação Patrimonial com a paisagem da cidade de João Monlevade – MG. Considerando a paisagem como a materialização das relações entre o homem e o espaço em que ele vive e refletindo sobre usos do patrimônio, da memória e da história, os estudantes puderam ressignificar o passado através das marcas pretéritas existentes na paisagem do presente. A metodologia utilizada para atingir os propósitos dessa pesquisa foi a aula-passeio, que além de se apresentar como uma prática prazerosa na relação de ensino-aprendizagem, possibilitou a descoberta e a valorização dos patrimônios culturais que marcam a paisagem monlevadense. A inserção dos alunos na própria cidade, explorando suas memórias, discutindo identidades e traduzindo conceitos, se configurou em uma experiência de Educação Patrimonial que se baseou em discussões teórico-metodológicas, mas que culminaram com a realização de aulas práticas. A partir dessa estratégia educativa, elaborou-se um Caderno de Orientações e Sugestões, que poderá ser utilizado por diversos educadores, como alternativa para realizar a Educação Patrimonial no espaço cotidiano dos alunos.
This research, carried out with students of the 7th year of the Elementary School of the Centro Tecnológico Dr. Joseph Hein (CENTEC), allied to the teaching of Geography and to the pedagogy of Celestin Freinet, proposing a practice of Heritage Education with the landscape of the city of João Monlevade - MG. Considering the landscape as the materialization of the relations between man and the space in which he lives and reflecting on uses of heritage, memory and history, the students were able to re-signify the past through the past marks existing in the landscape of the present. The methodology used to reach the purposes of this research was the class-walk, which in addition to presenting itself as a pleasant practice in the teaching-learning relationship, made possible the discovery and appreciation of the cultural heritage that marks the Monlevade’s landscape. The insertion of the students in the city itself, exploring their memories, discussing identities and translating concepts, was configured in an Heritage Education experience that was based on theoretical-methodological discussions, but culminated in practical classes. Based on this educational strategy, a Guidellines and Sugestions was prepared, which could be used by several educators, as an alternative to carry out Heritage Education in the daily space of students.
Palavras-chave: Geografia - Estudo e ensino
Geografia (Ensino fundamental) - Trabalho científico de campo
Patrimônio cultural
Ensino - Metodologia
CNPq: Ciências Humanas
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: PEREIRA, Joel dos Santos. A paisagem que vejo e construo: a aplicação da aula-passeio freinetiana como práxis da Educação Patrimonial em uma escola da cidade de João Monlevade – MG. 2018. 216 f. Dissertação (Mestrado em Patrimônio Cultural, Paisagens e Cidadania) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2018.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/24614
Data do documento: 6-Ago-2018
Aparece nas coleções:Patrimônio Cultural, Paisagens e Cidadania

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo12,61 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.