Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/3436
Tipo: Dissertação
Título: A criança de seis anos no ensino fundamental na perspectiva de mães e professoras
Título(s) alternativo(s): The child of six years in basic education from the perspective of mothers and teachers
Autor(es): Pedrosa, Michelha Vaz
Primeiro Orientador: Mello, Rita Márcia Andrade Vaz de
Primeiro coorientador: Oliveira, Milton Ramón Pires de
Segundo coorientador: Souza, Rita de Cássia de
Primeiro avaliador: Gomes, Maria Carmen Aires
Abstract: A presente pesquisa objetivou investigar como as mães representam a entrada da criança de seis anos no Ensino Fundamental, assim como a representação que têm da alfabetização nas turmas de seis anos, buscando verificar se há influência de sua parte sobre o trabalho das professoras neste quesito. O estudo desenvolveu-se por meio da abordagem qualitativa. Utilizaram-se como instrumentos de coleta de dados a observação, o questionário, a entrevista semiestruturada e o diário de campo. Os dados obtidos nas entrevistas foram analisados segundo a técnica de Análise de Conteúdo. O lócus da pesquisa constituiu-se de duas escolas da rede pública municipal de educação da cidade de Muriaé Minas Gerais. Os sujeitos pesquisados foram seis mães e cinco professoras regentes do 1º ano de escolaridade obrigatória. Os resultados indicaram uma tendência por parte das mães em associar o atual primeiro ano de escolaridade à antiga primeira série, o que as leva, em muitos momentos, a depositar sobre a criança de seis anos e sobre o trabalho da escola as mesmas expectativas de aprendizagem e desenvolvimento antes depositadas nas crianças de sete anos. Dentre as principais expectativas das mães quanto à entrada da criança de seis anos no Ensino Fundamental, destaca-se a ruptura com as práticas atribuídas à Educação Infantil, a aprendizagem da leitura e escrita, bem como o afastamento da rua e da criminalidade. Há, por parte das mães, o desejo e a satisfação em ver os filhos lendo e escrevendo, mesmo que sejam apenas palavras simples, já no primeiro ano de escolaridade. A maioria delas demonstrou compreender a existência das especificidades da criança de seis anos, dentre elas a ludicidade, assim como a compreensão das diferenças individuais de cada criança. No entanto, algumas mães apresentaram uma visão de alfabetização ao longo do primeiro ano de escolaridade como sendo uma meta para os filhos. A justificativa para tal postura pauta-se no fato de não haver mais a reprovação, o que para elas poderá prejudicá-los caso passem para o ano seguinte sem estarem alfabetizados. Quanto à relação família e escola, foi possível observar que esta ainda necessita ser estreitada. As mães afirmam compreender a importância da participação na vida escolar dos filhos, no entanto, algumas delas confessam não disporem do tempo necessário para acompanhá-los como deveriam. Todas mencionaram o fato de já terem, em algum momento, conversado com a professora sobre a aprendizagem da leitura e escrita; todavia, apenas uma delas demonstrou exercer acompanhamento mais sistemático sobre o trabalho da professora. Todas as professoras confirmaram o fato de haver interesse das famílias em torno da alfabetização dos filhos no decorrer do primeiro ano, contudo, consideram que tal fato não exerça influência sobre o seu trabalho. Para as professoras esse interesse está relacionado a outros fatores que de fato influenciam mais na relação de algumas famílias com a escola, como a falta de acompanhamento e colaboração, a falta de diálogo e as comparações feitas entre as diferentes crianças e o trabalho da escola com o de outras.
This study investigated how mothers represent the six years old child entry in elementary school, as well as how they represent the literacy in classes of six years old, looking for the existence of the possible influence related to it in teacher‟s work in this subject. The study was developed through a qualitative approach. It was used as instruments for data collection, observation, questionnaire, semistructured interviews and field diary. The data obtained in the interviews were analyzed according to content analysis. The research locus consisted of two public schools in the City of Muriaé - Minas Gerais. The study was made with six mothers and five regent teachers of 1st school year. The results indicated a tendency by mothers to associate the current first school year to the old first series, what leads, in many instances, charging the six year old child and the school work for the same expectations of learning and development deposited before in seven years old children. Among the main expectations of mothers regarding the child entry of six years old in elementary school, there is a break with the practices allocated to early childhood education, learning to read and write as well as the removal of street crime. The mothers desires and wait to see the children reading and writing, even if they are just simple words, in the 1st school year. Most of them show they understand the existence of the specificities of six year old child, among them the playfulness, as well as the understanding of individual differences of each child. However, some mothers had a vision of literacy throughout the first year of schooling as a goal for their children. The reason for this stance is guided by the fact that there is no failing so it can demand them if they pass for the following year without being literate. About the family and school relationships, it was observed it still needs to be arrangead. The mothers claim to understand the importance of participation in school life of children, however, some confess that they have no time to accompany them as they should. All mothers have mentioned the fact that they has already, sometime, talked to the teacher about learning of reading and writing, however only one shown to have more systematic monitoring the work of the teacher. All teachers have confirmed that there are interests of families around the literacy of the children during the first year, however they consider that this fact does not exercise influence on their work. For the teachers this interest is related to other factors that actually influence over the relationship of some families with the school, such as lack of monitoring and collaboration, the lack of dialogue and comparisons made between different children and school work with others.
Palavras-chave: Ensino fundamental
Infância
Família
Alfabetização
Basic education
Childhood
Family
Literacy
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Educação, estado e sociedade; formação de professores e práticas educativas
Programa: Mestrado em Educação
Citação: PEDROSA, Michelha Vaz. The child of six years in basic education from the perspective of mothers and teachers. 2011. 102 f. Dissertação (Mestrado em Educação, estado e sociedade; formação de professores e práticas educativas) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/3436
Data do documento: 12-Abr-2011
Aparece nas coleções:Educação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf651,48 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.