Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/3935
Tipo: Dissertação
Título: Actinomicetos e fungos simbiontes: implicações para formigas cortadeiras do gênero Acromyrmex MAYR, 1865
Título(s) alternativo(s): Actinomicetes and symbiotic fungi: implications for leaf-cutting ants of the genus Acromyrmex MAYR, 1865
Autor(es): Dângelo, Rômulo Augusto Cotta
Primeiro Orientador: Lúcia, Terezinha Maria Castro Della
Primeiro coorientador: Souza, Danival José de
Primeiro avaliador: Nascimento, Antonio Galvão do
Segundo avaliador: Siqueira, Maria Augusta Lima
Abstract: Insetos sociais estão sujeitos a uma grande variedade de patógenos, sendo que, aqueles que estão constantemente em contato com o solo, como formigas e cupins, são mais susceptíveis a parasitas e doenças. Durante a sua evolução, os insetos sociais desenvolveram vários mecanismos para evitar a contaminação por fungos e outros parasitas. Formigas cortadeiras estão sujeitas a uma variedade de fungos que podem comprometer os indivíduos da colônia ou o fungo simbionte basidiomiceto Leucoagaricus gongylophorus, usado como fonte primária de nutrientes para esses insetos. Alguns desses patógenos são fungos parasitas do jardim de fungo do gênero Escovopsis. Pesquisas recentes sugerem que as cortadeiras apresentam um segundo grupo de mutualistas, actinomicetos do gênero Pseudonocardia que produzem metabólitos secundários com propriedades antimicrobianas específicas contra Escovopsis. Ainda segundo esses trabalhos, esses actinomicetos se alojam em estruturas especializadas no tegumento das cortadeiras, onde recebem nutrientes através de glândulas exógenas, o que possibilitaria o desenvolvimento desses microrganismos. Dessa forma, objetivou-se com esse trabalho: 1) isolar linhagens de actinomicetos e avaliar o grau de inibição desses organismos sobre fungos presentes em colônias de formigas cortadeiras do gênero Acromyrmex coletadas em Viçosa-MG; 2) identificar e verificar o grau de similaridade de diferentes linhagens de actinomicetos simbiontes presentes em formigas de mesmo gênero; 3) verificar a presença de estruturas especializadas que poderiam abrigar actinomicetos em três espécies de formigas cortadeiras; e 4) determinar a implicação da ausência dessas estruturas para as cortadeiras. Nos testes de inibição, isolaram-se actinomicetos de cinco espécies de cortadeiras do gênero Acromyrmex e mediuse a inibição contra os quatro fungos encontrados mais frequentemente no corpo dessas mesmas espécies de cortadeiras, além de Escovopsis sp., durante 10 dias. Analisando-se diferentes linhagens de actinomicetos simbiontes isolados decortadeiras, foi verificado que, dependendo dessa estirpe, pode haver um efeito antibiótico ou estimulatório contra fungos, entomopatogênicos ou não. Concluiu-se que acréscimos e decréscimos nas taxas de inibição ao longo dos dias podem estar relacionados ao papel que os metabólitos secundários terão sobre os fungos. Utilizaram-se marcadores moleculares para identificar seis isolados de actinomicetos obtidos de cinco espécies de cortadeiras. Cinco espécies de dois gêneros puderam ser identificadas: uma de Streptomyces, isolada da formiga Ac. balzani e quatro de Pseudonocardia, obtida das outras espécies avaliadas. Finalmente, com o intuito de se verificar a presença de estruturas especializadas que abrigam actinomicetos em Acromyrmex e determinar qual a implicação de sua ausência, realizaram-se cortes histológicos de operárias de diferentes tamanhos das espécies Ac. disciger, Ac. subterraneus subterraneus e da parasita social Ac. ameliae. Além disso, comparou-se o tamanho proporcional da glândula metapleural nessas três espécies. Obteve-se que operárias de diferentes tamanhos de formigas cortadeiras das espécies estudadas não apresentam nenhuma cavidade especializada onde seja possível a alocação de actinomicetos nas regiões da cabeça, tórax ou gáster. Em Ac. subterraneus subterraneus é possível que glândulas exócrinas liberem suas secreções diretamente sobre a superfície do tegumento, viabilizando a presença dos actinomicetos nesses locais. Apesar de não possuir uma camada visível de actinomicetos sobre o corpo, Ac. disciger apresenta grande quantidade de pelos, além do maior tamanho da glândula metapleural dentre as espécies analisadas. Ac. ameliae também não possui revestimento de actinomicetos sobre o corpo, e, possivelmente, direciona energia em parasitar a colônia e explorar as defesas de sua hospedeira. Assim, pode haver um trade-off entre as diferentes estratégias de defesa empregadas pelas cortadeiras.
Social insects are subjected to a great variety of pathogens, and those who is constantly in contact with the soil, as the ants and the térmites, are more susceptible to parasites and diseases. During the course of the evolutionary history, social insects developed many machanisms to avoid the contamination by fungi and other parasites. Leaf-cutting ants are sobjected to a variety off ungi that can affect individuals of the colony or the symbiotic basidiomycete fungus Leucoararicus gongylophorus, which is used as the primary source of nutrients for these insects. Some of these pathogens are parasitic fungi of the fungus garden of the genus Escovopsis. Recent reseach suggests that these ants show a second mutualist group, actinomycetes of the genus Pseudonocardia that produce secondary metabolites with specific antimicrobial properties against Escovopsis. Also, according with these studies, these actinomycetes are housed in specialized structures in the integument of the leaf-cutting ants, where they receive nutrients through exogenous glands, which would allow the development of these microrganisms. Thus, the objectives of this work were: 1) isolate actinomycetes strains and evaluate the degree of inhibition of these organisms on the fungi present in colonies of leaf-cutting ants of the genus Acromyrmex collected in Viçosa-MG; 2) identify and verify the similarity degree of different strains of symbiotic actinomycetes present in ants of the same genus; 3) verify the presence of specialized structures that could harbor actinomycetes in three species of leafcutting ants; e 4) determine the implication of the absence of these structures for these ants. In the inhibition tests, actinomycetes of five species of the genus Acromyrmex was isolated and inhibition was measured against the four more common fungi found in the body of these same kinds of ants, as well as Escovopsis sp., during 10 days. Analyzing different symbiotic actinomycetes strains isolated from leaf-cutting ants, it was found that, depending on this strain, there may be na an antibiotic or a stimulatory effect against fungi, enthomopathogenic or not. It was concluded that increases and decreases in the rates of inhibition throughout the days may be related to the role that secondary metabolities have on fungus. Molecular markers were used to identify six actinomycetes obtained from five species of leaf-cutting ants. Five species of two genera of these microrganisms could be identified: Streptomyces, isolated from the ant Ac. balzani and four different Pseudonocardia strains, obtained from other species evaluated. Finally, in order to verify the presence of specialized structures that could harbor actinomycetes and determine the implications of its absence, histological sections were performed on workers of different sizes of the species Ac. disciger, Ac. subterraneus subterraneus and social parasite Ac. ameliae. In addition, the proportional size of the metapleural gland in these three species was compared. It was found that workers of different sizes of the species of leaf-cutting ants studied do not have any specialized cavity where it is possible the allocation of actinomycetes in the head, thorax or gaster. In the specie Ac. subterraneus subterraneus is possible that exocrine glands release their secretions directly in the surface of the tegument, allowing the presence of the actinomycetes in these locations. Although Ac. disciger does not have a visible layer of actinomycete on the body, this specie feature lots of hair, as well as the largest metapleural gland among the analyzed species. Ac. ameliae, also, has no coat of actinomycetes on the body, and possibly direct its energy in parasite the colonies and explore the defenses of its host. Thus, there may be a trade off between the different defense strategies employed by the leaf-cutting ants.
Palavras-chave: Acromyrmex
Actinomicetos
Simbiose
Inibição
Defesa
Acromyrmex
Actinomycetes
Symbiosis
Inhibition
Defense
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::PARASITOLOGIA::ENTOMOLOGIA E MALACOLOGIA DE PARASITOS E VETORES
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Ciência entomológica; Tecnologia entomológica
Programa: Mestrado em Entomologia
Citação: DÂNGELO, Rômulo Augusto Cotta. Actinomicetes and symbiotic fungi: implications for leaf-cutting ants of the genus Acromyrmex MAYR, 1865. 2011. 90 f. Dissertação (Mestrado em Ciência entomológica; Tecnologia entomológica) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/3935
Data do documento: 27-Jul-2011
Aparece nas coleções:Entomologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo 70.pdf9,5 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.