Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/3985
Tipo: Dissertação
Título: Plantas espontâneas favorecem crisopídeos em plantio de pimenta malagueta
Título(s) alternativo(s): Non-crop plants favour lacewings in chili pepper crops
Autor(es): Diaz, Natália Salgado
Primeiro Orientador: Venzon, Madelaine
Primeiro coorientador: Pallini Filho, ângelo
Primeiro avaliador: Souza, Brígida de
Abstract: A diversificação do habitat em agroecossistemas através da manutenção de plantas espontâneas é uma estratégia que permite aumentar populações de artrópodes benéficos ao tornar o ambiente mais adequado para os inimigos naturais, devido à disponibilidade de recursos alimentares, lugares para oviposição e áreas de refúgio em condições adversas. A pimenta-malagueta Capsicum frutescens é uma cultura de grande importância no Brasil, por sua rentabilidade e importância social. No entanto, a cultura carece de suporte fitossanitário e os agricultores incorrem em práticas inadequadas na tentativa de controle de pragas. Dentre os diferentes artrópodes benéficos, os crisopídeos (Neuroptera: Chrysopidae) se destacam pela ocorrência natural em diferentes agroecossistemas e por sua capacidade predatória. A partir desta perspectiva foram realizadas avaliações em áreas de cultivo de pimenta-malagueta para estabelecer: i) a influência de plantas espontâneas integradas no campo de cultivo na abundância de crisopídeos e de pulgões comparada com plantios de pimenta-malagueta sem vegetação espontânea; ii) a identificação das plantas espontâneas presentes na cultura, sua associação com crisopídeos (fonte de alimento, lugar oviposição e/ou refúgio) e a presença de pulgões; e iii) a predação intraguilda em ovos de C. externa na presença e na ausência de plantas espontâneas. Posteriormente, no capítulo 2, estudou-se em laboratório o papel das inflorescências das plantas espontâneas de ocorrência comum em cultivos de pimenta (Bidens pilosa, Ageratum conyzoides e Sonchus oleraceus) na sobrevivência, no desenvolvimento, na fecundidade e fertilidade de C. externa e Ceraeochrysa cubana. De acordo com os resultados obtidos em campo, a abundância de crisopídeos nas áreas de pimenta-malagueta foi favorecida pela presença de plantas espontâneas e não houve diferença significativa na presença de pulgões em plantas de pimenta nas áreas com e sem vegetação espontânea. Emilia sp. (média= 1 ovo/planta) e Pennisetum sp. (média= 0,54 ovos/planta) foram as espécies com maior presença de ovos. Pennisetum sp., Conyza bonariensis, Marsypianthes chamaedrys, Solanum lycocarpum, e Solanum americanum foram as espécies com maior presença de adultos com médias de 1,21, 1, 0,90, 0,85 e 0,83 adultos/planta, respectivamente. Das 16 espécies de plantas espontâneas que foram identificadas no plantio de pimentamalagueta, seis tinham presença de pulgões. A predação intraguilda em ovos de C. externa foi maior nas áreas de pimenta sem vegetação espontânea (média= 2,9 ovos predados/cartão/planta) do que nas áreas de pimenta com vegetação espontânea (média= 2,2 ovos/cartão/planta). Nos experimentos em laboratório, tanto as larvas de C. externa como as de C. cubana sobreviveram mais tempo nas dietas A. conyzoides e B. pilosa com inflorescência do que nas outras dietas onde foram oferecidas plantas espontâneas sem inflorescência. O desenvolvimento das larvas foi significativamente afetado pelas dietas oferecidas, oito larvas de C. cubana empuparam na dieta B. pilosa e duas de C. externa na dieta de S. oleraceus, sendo o maior numero de pupas formadas nas dietas com inflorescências para cada uma das espécies de crisopídeos. A dieta com ovos de A. kuehniella foi o único tratamento onde mais do 70% das larvas sobreviveram, empuparam e os adultos emergiram. A sobrevivência média dos adultos em todas as dietas com plantas espontâneas foi de cinco dias por tanto não houve oviposição. Na dieta de levedo e mel a sobrevivência foi superior aos 60 dias para as duas espécies de crisopídeos testadas, com oviposição total de 775,35 (±207,8) e 1108,12 (±106,8) ovos/fêmea para C. externa e C. cubana, respectivamente. A manutenção da vegetação espontânea na cultura da pimenta-malagueta favorece a presença de crisopídeos e reduz a predação intraguilda. O uso das inflorescências como alimento para larvas de C. externa e C. cubana favorece a sua sobrevivência e pode ser útil como alimento complementar na dieta destes predadores. Assim, a manutenção de plantas espontâneas no campo de cultivo pode incrementar a sobrevivência e o desenvolvimento destes inimigos naturais.
Habitat diversification in agroecosystems by mantaining non-crop plants is a strategy which allows the increase of beneficial arthropods since it makes the environment more suitable for natural enemies, due to the availability of food resources, oviposition sites and refuge areas. Chili pepper Capsicum frutescens is a very important crop in Brasil, because of its profitability and social value. However, this crop needs phytosanitary stand and the growers use inadequate practices in attempt to control pests. Among the several beneficial arthropods, lacewings are highlighted by their natural occurrence in various agroecosystems and by their predatory ability. From this perspective, I carried out assessments in areas of chili pepper cultivation to determine: i) the influence of noncrop plants integrated to the field in the abundance of lacewings and of aphids compared to chili pepper crops without non-crop plants, ii) the identification of non-crop plants, present in the crop, associated to lacewings (food source, oviposition and/or refuge site) and to the absence or presence of aphids, and iii) intraguild predation in eggs of C. externa in the presence and in the absence of non-crop plants. Posteriorly, in chapter 2, I studied in laboratory the role of non-crop plant flowers of common occurrence in chili pepper crops (Bidens pilosa, Ageratum conyzoides and Sonchus oleraceus) in the survivor, development, fecundity and fertility of C. externa and Ceraeochrysa cubana. According to the results found in field, the abundance of lacewings in chili pepper crop areas was favoured by the presence of non-crop plants and there was no significant difference in the presence of aphids on chili pepper plants in the areas with or without non crop vegetation. Emilia sp. (average = 1 egg/plant) and Pennisetum sp. (average = 0.54 egg/plant) were the species with the greatest presence of lacewing eggs. In Pennisetum sp., Conyza bonariensis, Marsypianthes chamaedrys, Solanum lycocarpum, and Solanum americanum it was found the greatest presence of adults with average of 1.21, 1, 0.90, 0.85 and 0.83 adults/plant, respectively. Six out of 16 non-crop plants identified in chili pepper crops had aphids on them. Intraguild predation on eggs of C. externa was higher in the areas of chili pepper crops without non-crop plants (average = 2.91 predated eggs/card/plant) compared to the chili pepper crop areas with non-crop plants (average = 2.19 eggs/card/plant). In the laboratory assessments, both C. externa and C. cubana larvae survived for a longer time in the diets of A. conyzoides and B. pilosa with flowers compared to the remaining diets in which I offered non-crop plants without flowers. Larvae development was significantly affected by the offered diets, eight C. cubana larvae pupated in the diet of B. pilosa and two C. externa larvae pupated in the diet of S. oleraceus, the higher number of pupae being formed in the diets with flowers for each lacewing species. The diet with A. kuehniella eggs was the only treatment where more than 70% of the larvae survived, pupated and emerged as adults. The average survivorship of adults in all diets with non-crop plants was five days, with no oviposition. In the diet with yeast and honey, survivorship was higher than 60 days for both lacewing species tested, with total oviposition of 775.35 (±207.8) and 1108.12 (±106.8) eggs/female for C. externa and C. cubana, respectively. Maintaining non-crop vegetation in chili pepper crop areas favours the presence of lacewings and decreases the intraguild predation. The use of plant flowers as food for larvae of C. externa and C. cubana favours their survivorship and may be useful as complementary food in the diet of these predators. Therefore, maintaining non-crop plants in crop fields may improve natural enemy survivorhip e development.
Palavras-chave: Pimenta - Cultivo
Pimenta - Controle de pragas
Crisopídeos
Plantas espontâneas
Pepper - Growing
Pepper - Pest control
lacewings
weeds
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA::FITOSSANIDADE::ENTOMOLOGIA AGRICOLA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Ciência entomológica; Tecnologia entomológica
Programa: Mestrado em Entomologia
Citação: DIAZ, Natália Salgado. Non-crop plants favour lacewings in chili pepper crops. 2014. 70 f. Dissertação (Mestrado em Ciência entomológica; Tecnologia entomológica) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2014.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/3985
Data do documento: 21-Fev-2014
Aparece nas coleções:Entomologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf1,45 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.