Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/5187
Tipo: Dissertação
Título: Controle biológico de Angiostrongylus cantonensis utilizando fungos nematófagos
Título(s) alternativo(s): Biological control of A. cantonensis using nematophagous fungi
Autor(es): Paula, Alessandra Teixeira de
Primeiro Orientador: Araújo, Jackson Victor de
Primeiro coorientador: Braga, Fábio Ribeiro
Primeiro avaliador: Oliveira, Leandro Licursi de
Abstract: As parasitoses, do ponto de vista médico e social, representam importantes problemas de saúde pública. No Brasil, em média um terço da população vive em áreas com risco de transmissão e ocorrência de doenças parasitárias. A falta de saneamento básico, bem como fatores ambientais próprios de clima tropical, desigualdade das condições socioeconômicas dos indivíduos e a falta de informação favorecem sua ocorrência. Os processos de colonização, estabelecimento de novas rotas de comércio e migração humana, contribuíram para a introdução de patógenos transportados por seus hospedeiros para outras regiões. Dessa forma, várias espécies se encontram fora de sua área de origem. O parasito Angiostrongylus cantonensis e o caramujo exótico Achatina fulica, são dois exemplos de organismos que foram introduzidos no Brasil. A. fulica é um dos hospedeiros intermediários do parasito A. cantonensis, responsável por causar em humanos, doença conhecida como meningoencefalite eosinofilica, podendo levar indivíduos parasitados a óbito. Em várias regiões do país, foi confirmada a presença deste parasito ocorrendo naturalmente, bem como casos de humanos infectados. Dessa forma, medidas de controle alternativo, são importantes para evitar sua dispersão. Nesse contexto foi avaliada a capacidade predatória de oito isolados fúngicos pertencentes ás espécies Duddingtonia flagrans (isolados: AC001, CG768 e CG722), Monacrosporium thaumasium (isolado: NF34), M. sinense (isolado: SF53) e Arthobotrys robusta (isolado: I31), A. cladodes (isolado: CG719) e A. conoídes (isolado: I40) sobre larvas de primeiro estádio (L1) de A. cantonensis em condições laboratoriais. Foram formados nove grupos: oito grupos tratados com os diferentes isolados, e um grupo controle (sem fungos). Os grupos tratados continham 1000 conídios dos isolados fúngicos e 1000 L1 de A. cantonensis em placa de Petri contendo o meio Agar-água 2% (AA2%). O viigrupo controle continha apenas 1000 L1 de A. cantonensis em AA2%. Evidências da atividade predatória de todos os isolados fúngicos testados, foram observadas ao final de sete dias do experimento, através da recuperação das larvas (L1) não predadas, sendo observados os seguintes percentuais de redução com os respectivos isolados: AC001 (82,8%); CG768 (71,0%); CG722 (72,8%); NF34 (86,7%), SF53 (89,7%); I40 (48,3%), CG719 (84,7%) e I31 (80,4%). Não houve diferença (p>0,01) entre a ação dos isolados utilizados ao final de sete dias, no entanto, foi observado diferença (p<0,01) em relação ao grupo controle. Os resultados demonstraram que os fungos pertencentes aos gêneros Duddingtonia (AC001, CG768 E CG722), Monacrosporium (NF34 e SF53) e Arthrobotrys (I31 e CG719), poderiam ser utilizados no controle biológico, uma vez que estes foram capazes de reduzir a população de larvas (L1) de A. cantonensis in vitro.
The parasitosis, in a medical and social standpoint, presents important public health problems. In Brazil, an average of a third of population lives in areas with risk of transmission and occurrence of parasitic diseases. The lack of basic sanitation, as well as environmental factors particular of tropical climates, inequality of the socioeconomic conditions of the individuals and the lack of information are factors that favor its occurrence. The colonization process, establishment of new routes of trade and human migration, contributed to the introduction of pathogens transported by their hosts to other regions. This way, various species found out of their origin area. The parasite Angiostrongylus cantonensis and the exotic snail Achatina fulica are two examples of organisms that were introduced in Brazil. A.fulica is one of the intermediate hosts of the parasite A. cantonensis, responsible for cause in humans, disease known as eosinophilic meningoencephalitis, may lead parasitized individuals to death. In various regions of the country, was confirmed the presence of this parasite naturally occurring, as well as cases of infected humans. This way, measures of alternative control, are important to avoid its dispersion. In this context was evaluated the predatory capability of eight fungal isolates belong to the species Duddingtonia flagrans (isolated: AC001, CG768 and CG722), Monacrosporium thaumasium (isolated: NF34), M. sinense (isolated: SF53) and Arthobotrys robusta (isolated: I31), A. cladodes (isolated: CG719) and A. conoídes (isolated: I40) on first larvae stage (L1) of A. cantonensis in laboratory conditions. Were formed nine groups: eight groups treated with the different isolated and one control group (without fungi). The groups treated contained 1000 conidia of isolated fungal and 1000 L1 of A. cantonensis in Petri dish containing Agar- water 2% (AA2%). The control group contained only 1000 L1 of A. cantonensis in AA2%. Evidence of predatory activity of all fungal isolates tested could be observed at the end of seven days of the experiment through the recovery of ixnon-predated L1, where were observed the following percentage of reduction of L1 with the respective isolates: AC001 (82,8%); CG768 (71,0%); CG722 (72,8%); NF34 (86,7%), SF53 (89,7%); I40 (48,3%), CG719 (84,7%) and I31 (80,4%). No difference was observed (p>0,01) between the action of the isolated used in the end of seven days, however, was observed difference (p<0,01) compared with the control group. The results observed demonstrated that the fungi belonged to the genus Duddingtonia (AC001, CG768 and CG722), Monacrosporium (NF34 and SF53) and Arthrobotrys (I31 and CG719), could be used in biological control, once that these were capable of reduce the population of larvae (L1) of A. cantonensis in vitro.
Palavras-chave: Angiostrongylus cantonensis - Controle biológico
Fungos nematófagos
A. cantonensis - Biological control
fungi nematophagous
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::MEDICINA VETERINARIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Biotecnologia, diagnóstico e controle de doenças; Epidemiologia e controle de qualidade de prod. de
Programa: Mestrado em Medicina Veterinária
Citação: PAULA, Alessandra Teixeira de. Biological control of A. cantonensis using nematophagous fungi. 2014. 62 f. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia, diagnóstico e controle de doenças; Epidemiologia e controle de qualidade de prod. de) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2014.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/5187
Data do documento: 19-Fev-2014
Aparece nas coleções:Medicina Veterinária

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf793,17 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.