Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/9187
Tipo: Dissertação
Título: Qualidade da água e saúde das famílias: o caso da sub-bacia hidrográfica do Ribeirão do Lage/MG
Quality of the water and health of the families: the case of the Ribeirão do Lage/MG catchment
Autor(es): Santos, Vera Lúcia Martins
Abstract: Considera-se que as condições do estado de saúde da população, principalmente rural, estão interrelacionadas com o seu “habitat”, em termos das condições da moradia e do seu ambiente sanitário-higiênico (água, serviço de esgoto e lixo); sendo a saúde resultante de um conjunto de fatores sociais, econômicos, políticos, culturais, ambientais, comportamentais, bem como biológicos. Assim, este trabalho trata da relação entre a qualidade da água de consumo doméstico e a saúde das famílias, tendo em vista que água e saúde, bens preciosos, encontram-se amplamente interconectados. Procurou-se, por meio de um estudo de caso, relacionar a água de consumo consumptivo ou doméstico com a saúde das famílias rurais, inseridas na Sub-bacia Hidrográfica do Ribeirão do Lage; cuja situação encontra-se amplamente agravada pela falta de saneamento e atendimento médico básico, o que tem gerado preocupação às autoridades e populações locais, quanto às implicações nas condições de saúde e socioeconômicas das famílias ribeirinhas. As informações foram obtidas por meio da coleta de dados de fontes secundárias e primárias, por meio de entrevistas e aplicação de dois questionários previamente testados. Foram realizadas, também, análises físico- químicas e bacteriológicas de amostras de água coletadas nesta sub-bacia. Os resultados mostram estar ocorrendo um desequilíbrio interno entre os diversos componentes do ecossistema, visto que se constatou uma contaminação das coleções de água por coliformes e Escherechia coli, além de uma alta na DBO, o que a tornaria imprópria para ser utilizada para ingestão direta, irrigação de hortaliças a serem consumidas cruas e lazer, entre outras atividades. Algumas das evidências da degradação ambiental regional foram a escassez de recursos hídricos e a saturação do meio pela recepção dos rejeitos das atividades humanas, como os esgotos e resíduos agropecuários. Entre as enfermidades mais comumente diagnosticadas, estavam a esquistossomose, muito presente na região e que causa muita debilidade física e emocional nas pessoas, bem como as verminoses, transmitidas por helmintos e parasitas. Quanto às perdas financeiras familiares, elas se deram, principalmente, em relação a dias parados e menor rendimento no trabalho remunerado, já que os gastos monetários com o tratamento das doenças não foram significativos. Tal resultado pode ser explicado tanto pelo baixo poder aquisitivo da população, isto é, as famílias não tinham renda suficiente para gastar com a saúde de seus membros, dependendo, totalmente, do poder público ou da caridade de outros; como pela própria questão cultural e informativa quanto ao valor dessas enfermidades e seus reflexos no bem estar e qualidade de vida. Assim, situações de natureza cultural no manejo dos recursos, agregadas ao baixo poder aquisitivo, à desinformação sobre questões fundamentais da qualidade necessária da água e escassez da mesma, vêm causando vários problemas ambientais, prejudicando a saúde individual e social das famílias, com implicações negativas sobre sua qualidade de vida. Entretanto, pelos depoimentos, Isso é pouco percebido ou valorizado pelas famílias da região, em decorrência dos valores culturais, condições sociais e econômicas existentes, tornando as enfermidades detectadas de importância secundária, ou mesmo, sem qualquer relevância. Faz-se, então, necessária uma visão mais abrangente, multidisciplinar e dinâmica da situação, isto é, uma abordagem integral, ecossistêmica e evolutiva, considerando todos os aspectos da vida familiar. Ou seja, a compreensão do processo saúde-doença está relacionada à complexidade do próprio ambiente, das suas interdependências ecológicas, políticas, econômicas, culturais e sociais, entre outras, reconhecendo-se a importância da educação, no contexto da saúde social e ambiental.
The conditions of health of the populations, mainly rural, would be considered to be interrelated to their habitat in terms of housing e sanitary conditions (water and sewage treatment, solid waste treatment). The health is a result of social, economical, political, cultural, environmental, biological and, comportmental factors. Thus, this work attempet to study the relation between the quality of water used and the healthy of the families, in view of water and health are greatly interconnected. The study was realized with the families inserted in the Ribeirão do Lage catchment, Caratinga, MG. The situation found was widely aggravated by the lack of sanitation and medical attendance, generating local concern to the implications in the social, economical conditions and health of the riverine families. The data for this work were collected from primary and secondary sources, by interviews and application of two questionnaires previously tested. Samples of water utilized by the people were collected for bacteriological and physical-chemical analyses. The results showed contamination of the water with Escherichia coli and high biochemical oxygen demand, indicating that the water resource is improper for several uses, such as, direct ingestion, irrigation of vegetables, bath and others. Some evidences of environmental degenerations were identified by the scarcity of water resources which is contaminated with wastes from human activities such as sewage and agricultural pollutants. Amongst the commom diagnosis diseases, the schistosomose had ever been present which cause much physical and emotional debility. Verminosis had been also present which is transmitted by helminthes. In relation to financial losses of the families, they occurred due to the days without work and lesser income in the remunerated work since the expenses with the treatment of the illnesses had not been significant. This result can be explained by the low welfare of the population as well as by the lack of information about the gravity of these diseases and its consequences in the welfare and quality of life. Thus, the conditions of the resources management, added to low welfare and to the disinformation about fundamental issues of necessary quality water and its scarcity, have caused several serious environmental problems, being harmful to individual and social health of the families. The negative consequences have negative implications on their quality of life. However, considering the interviews, there in no perception of the problems dimensions by the families due to cultural, social and economical values. The detected diseases are not so important or without relevance, for the families. In conclusion, it is necessary a broad view, with an integrated approach, considering all aspects of the families life. The understanding of the process of illness is related to the environmental complexity, in another words ecological, political, economical, cultural and social factors. The importance of education is recognized in the context of the social and environmental health.
Palavras-chave: Qualidade da água
Saúde
Bacia Hidrográfica
Doenças hídricas
Ecossistêmica
CNPq: Ciências Sociais Aplicadas
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: SANTOS, Vera Lúcia Martins. Qualidade da água e saúde das famílias: o caso da Sub-bacia Hidrográfica do Ribeirão do Lage/MG. 2002. 107 f. Dissertação (Mestrado em Economia Doméstica) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2002.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/9187
Data do documento: 8-Mar-2002
Aparece nas coleções:Economia Doméstica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo1,36 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.