Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/106
Tipo: Tese
Título: Relações entre crédito e crescimento econômico no Brasil, 2000 a 2006
Título(s) alternativo(s): Relationships between credit and economic growth in Brazil from 2000 to 2006
Autor(es): Chinelatto Neto, Armando
Primeiro Orientador: Lima, João Eustáquio de
Primeiro coorientador: Gomes, Marília Fernandes Maciel
Segundo coorientador: Braga, Marcelo José
Primeiro avaliador: Perobelli, Fernando Salgueiro
Segundo avaliador: Campos, Antônio Carvalho
Terceiro avaliador: Toyoshima, Sílvia Harumi
Abstract: O crédito tem grande importância econômica, uma vez que permite agilidade nas transações e expansão da economia por meio da intermediação financeira e do fornecimento de liquidez aos agentes econômicos. Percebe-se que um dos motivos do baixo crescimento econômico brasileiro é a escassez do crédito, porém, após crises entre 2000 e 2003, iniciou-se a recuperação da concessão de crédito, principalmente do crédito para pessoas físicas. Mesmo com esta recente trajetória de crescimento da relação crédito/PIB, ainda está abaixo do observado em países desenvolvidos ou em países emergentes. Diante deste quadro, são utilizados modelos de Vetores Auto-regressivos com Mecanismo de Correção de Erro para analisar a relação entre o crescimento da economia brasileira e o crédito concedido para consumidores e empresas no período de junho de 2000 a março de 2006. Com base nas teorias dos ciclos econômicos, é discutida a inter-relação entre variáveis econômicas no curto e longo prazos, sendo estabelecidas relações entre fatores financeiros e o crescimento econômico nesses horizontes de tempo dentro do contexto do modelo neoclássico. Em concordância com a teoria, o PIB é a variável determinada endogenamente pelas variáveis de crédito. Ao analisar as condições de estabilidade das variáveis e das relações estabelecidas entre elas, foi possível identificar uma relação de longo prazo, revelando que o PIB sofre um ajuste positivo em função do crescimento do crédito para pessoas físicas, mas existe trade off entre PIB e crédito concedido para empresas. No curto prazo, somente o aumento do crédito para empresas está associado ao crescimento do PIB, sendo necessário de 14 a 15 meses para corrigir as discrepâncias entre o valor efetivo e seu valor de longo prazo. De maneira geral, o aumento do PIB no curto prazo está associado ao aumento do crédito para empresas e, no longo prazo, está associado ao aumento do crédito para pessoas físicas. Diante de um choque nas variáveis de crédito, para pessoas físicas há propagação dos impactos positivos, mas, para empresas, os impactos positivos são temporários. Também se verifica que o crédito para pessoas físicas tem grande poder de explicar a variância do crédito ao longo do tempo. Por outro lado, o crédito para empresas tem maior poder de explicar a variância de previsão em períodos futuros. Os resultados encontrados permitem tecer algumas conclusões sob o ponto de vista macroeconômico. No caso brasileiro, o crédito para pessoas físicas representa consumo presente e estimula investimento futuro. Por outro lado, o crédito para empresas representa investimento e crescimento no presente, porém precisa ser um canal contínuo para que resulte em crescimento sustentado.
Credit has great economic importance since it allows trade flexibility and economy expansion through financial intermediation and liquidity provided to economic agents. One of the reasons for the low economic growth in Brazil is lack of credit, but after the 2000 and 2003 crises, recovery of credit concession was achieved, especially individual credit. Even with the recent trajectory of credit-GIP growth, it is still below that observed in developed and developing countries. Given this framework, Auto-regressive Vector models are used with Error Correcting Mechanism to examine the relationship between Brazilian economy growth and the credit granted to individuals and companies during June 2000 to March 2006. Based on the economic cycle theory, the short and long term interrelationships among economic variables and the established relationships between financial factors and economic growth under these time horizons within the context of the neoclassical model are discussed. In agreement with this theory, GIP is the variable endogenously determined by credit variables. Examining the variable stability conditions and the relationship among them a long-term relation could be identified, showing that GIP undergoes a positive adjustment depending on the growth of individual credit, but with a trade off between GIP and the credit granted to companies. In the short term, increased credit to companies is associated with GIP growth; it takes from 14 to 15 months to correct the discrepancies between the actual and the long term values. Overall, short-term GIP increase is associated with increasing credit to companies and long-term GIP is associated with increasing individual credit. Before a shock in the individual credit variables, there is a propagation of positive impacts while for the companies the positive impacts are temporary. Individual credit has a great capability of explaining credit variance over time. Moreover, corporate credit has a great capability of explaining forecasting variance. Based on the results obtained, some conclusions could be reached from the macroeconomic point of view. In the Brazilian case, individual credit represents the present and stimulates future investments. On the other hand, corporate credit represents investment and growth in the present, but it must be a continuous channel in order to result in sustained growth.
Palavras-chave: Crédito
Crescimento econômico
Vetores auto-regressivos
Credit
Economic growth
Auto-regressive vectors
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA::METODOS QUANTITATIVOS EM ECONOMIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Economia e Gerenciamento do Agronegócio; Economia das Relações Internacionais; Economia dos Recursos
Programa: Doutorado em Economia Aplicada
Citação: CHINELATTO NETO, Armando. Relationships between credit and economic growth in Brazil from 2000 to 2006. 2007. 118 f. Tese (Doutorado em Economia e Gerenciamento do Agronegócio; Economia das Relações Internacionais; Economia dos Recursos) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2007.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/106
Data do documento: 10-Dez-2007
Aparece nas coleções:Economia Aplicada

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf734,36 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.