Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/1374
Tipo: Tese
Título: Filogeografia, diferenciação geográfica e caracterização citogenética de populações naturais de Psychotria ipecacuanha das florestas Atlântica e Amazônica
Título(s) alternativo(s): Phylogeography, geographic differentiation and cytogenetic characterization of natural populations of Psychotria ipecacuanha from the Atlantic and Amazon forests
Autor(es): Rossi, Ana Aparecida Bandini
Primeiro Orientador: Oliveira, Luiz Orlando de
Primeiro coorientador: Carvalho, Carlos Roberto de
Segundo coorientador: Santos, Jorge Abdala Dergam dos
Primeiro avaliador: Caixeta, Eveline Teixeira
Segundo avaliador: Viccini, Lyderson Facio
Abstract: Poaia (Psychotria ipecacuanha) é um pequeno arbusto perene que cresce abundantemente em áreas úmidas e sombrias das florestas tropicais do Brasil. A espécie foi utilizada pelos nativos brasileiros que ensinaram as propriedades medicinais aos colonizadores europeus. As raízes de poaia alcançaram utilidades mundiais como expectorante, amebicida, e agente vomitivo, devido à presença de alcalóides isoquinolinicos farmacológicamente ativos. Porém, a intensa coleta de plantas nativas e à negligência de replantio após a coleta das raízes conduziu a um severo declínio de suas pulações nativas. Populações remanescentes ocorrem naturalmente em três regiões extremamente discreta das florestas tropicais: 1) a América central e partes adjacentes da América do Sul; 2) parte do sudoeste da Amazona brasileira; e 3) Floresta Tropical Atlântica ao longo da costa brasileira. Os estudos realizados na presente investigação utilizaram técnicas combinadas que incluiu filogeografia molecular basead em cpDNA, estrutura de população via ISSR, e citogenética para caracterizar populações naturais de poaia das florestas Atlântica e Amazônica do Brasil. As análises permitiram elaborar e avaliar hipóteses dos fatores históricos e ecológicos que moldaram a atual distribuição das populações existentes e adicionar informações para a compreensão da história evolutiva desta importante espécie medicinal. As análises de clado aninhado e análises de ISSR revelaram diferenças notáveis entre as florestas. Diversidade de haplótipo de cpDNA foi maior na Floresta Atlântica, que abrigou 11 dos 12 haplótipos encontrados. Um único haplótipo foi encontrado na Floresta Amazônica. Nenhum dos haplótipos foi compartilhado pelas florestas, o que indica a presença de monofilia recíproca. As análises de clado aninhado indicaram a fragmentação alopátrica como sendo a principal força que moldou as diferenças entre florestas. Quando comparada a Floresta Amazônica, a Floresta Atlântica exibiu altos níveis de diversidade genética como demonstrado pelos maiores valores de HE, HB e I, tanto como uma média das populações como de grupo, como revelado pelas análises de ISSR. AMOVA revelou que a maioria da diversidade genética foi particionada entre tipos de floresta. Fluxo gênico entre florestas é na atualidade insignificante. As análises de citometria de fluxo evidenciaram dois grupos com quantidade de DNA distinta (2C = 1.24 pg e 2C = 2.05 pg). Poaia demonstrou um cariótipo consistindo de 11 pares de cromossomo (2n = 22), dos quais 4 são metacêntricos e 7 são submetacêntricos. As análises de citogenética revelaram que as populações naturais podem estar experienciando poliploidização e sugerem que esta espécie seja tetraplóide. Em geral, as análises indicaram um evento de colonização recente como origem das populações da Floresta Amazônica e uma origem antiga para as populações da Floresta Atlântica. A Floresta Atlântica foi considerada como um centro de diversidade para poaia. Implicações para conservação são discutidas.
Ipecac (Psychotria ipecacuanha) is a small perennial shrub, which grew abundantly under shady areas of tropical rain forests of Brazil. The species was employed by native Brazilians who taught the medicinal properties to European settlers. Ipecac roots have achieved worldwide usefulness as an expectorant, amoebicide, and vomitive agent because of its pharmacological active isoquinoline alkaloids. However, overharvesting of wild plants and negligence in replanting ipecac plants after uprooting has led to a severe decline of native ipecac populations. Remaining populations occur naturally in the understory of tropical forests from three widely discrete regions: 1) Central America and adjacent parts of South America; 2) Southwestern part of the Brazilian Amazon; and 3) Atlantic Rain Forest along the Brazilian coast. The studies carried out in the present investigation used a combined approach that included molecular phylogeography based on cpDNA, population structure via ISSR, and cytogenetics to characterize natural populations of ipecac from the Atlantic and Amazon forests of Brazil. The analyses allowed us to develop and evaluate hypotheses on the historical and ecological factors that shaped the distribution of extant populations and added a substantial amount of information to the understanding the evolutionary history of this important medicinal species. Both nested clade analyses and ISSR analyses revealed remarkable differences between forests. Diversity of cpDNA haplotype was much higher in the Atlantic Forest, which harbor 11 out of the 12 haplotypes found. Only a single haplotype was uncovered in the Amazon Forest. None of the haplotypes was shared across forest types, which indicated the presence of reciprocal monophyly. The nested clade analyses pointed allopatric fragmentation as the main causal force that shaped the differences between forests. When compared to the Amazon Forest, the Atlantic Forest exhibited higher levels of genetic diversity as shown by the greater values of HE, HB and I, both as a mean of populations and as a group, as revealed by the ISSR analyses. AMOVA revealed that most of the genetic diversity was partitioned between forest types. Gene flow between forests is negligible at the present time. The flow cytometry analyses evidenced two groups with distinct DNA amount (2C = 1.24 pg and 2C = 2.05 pg). Ipecac showed a karyotype consisting of 11 chromosome pairs (2n = 22), of which 4 are metacentric and 7 are submetacentric. The cytogenetic analyses reveled that natural populations may be experiencing polyploidization and suggested that this species can be a tetraploid. Overall, the analyses indicated a recent colonization event as the origin of the populations found in the Amazon Forest and an ancient origin for the populations of the Atlantic Forest. The later forest was considered as a center of diversity for ipecac. Implications for conservation are discussed.
Palavras-chave: Filogeografia
Diversidade genética
Planta medicinal
Phylogeography
Genetic diversity
Medicinal plant
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::GENETICA::GENETICA MOLECULAR E DE MICROORGANISMOS
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
Departamento: Genética animal; Genética molecular e de microrganismos; Genética quantitativa; Genética vegetal; Me
Programa: Doutorado em Genética e Melhoramento
Citação: ROSSI, Ana Aparecida Bandini. Phylogeography, geographic differentiation and cytogenetic characterization of natural populations of Psychotria ipecacuanha from the Atlantic and Amazon forests. 2007. 136 f. Tese (Doutorado em Genética animal; Genética molecular e de microrganismos; Genética quantitativa; Genética vegetal; Me) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2007.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/1374
Data do documento: 1-Mar-2007
Aparece nas coleções:Genética e Melhoramento

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf992,09 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.